terça-feira, julho 31, 2012

Estou de férias...
Durante um período de tempo que julgo não será pré-determinado, este Bloger entrará de férias. Isso não significa que pontualmente não surja um ou outro post. Muito quando me apetecer ou se torne inevitável. Será como as paixões de verão: Fugaz!

sábado, julho 28, 2012

quarta-feira, julho 25, 2012

DEFINITIVAMENTE SOU PARVO
Afastei-me da maioria das coisas e da maioria dos grupos por razões que já aqui expliquei. Mas por vezes é inevitável eu bater nelas como quem estando cego vai bater contra uma parede. Eu não queria, mas raios são autênticos banhos de água fria que me despejam em cima.
Volto ao sistema de saúde (dito SNS) que temos cá pela santa terrinha e que tantas perplexidades e receios parecem despertar nas pessoas. Sinceramente devem ver coisas que eu não vejo, ou sou eu que vejo coisas que estão vedadas à maioria.
Por razões pessoais vi-me obrigado a recorrer ao Centro de Saúde de Peniche acompanhando uma pessoa de família que não se pode locomover pelos seus próprios meios. Tem de deslocar-se em cadeira de rodas. Mal eu sabia que esta aventura me marcaria de forma tão arrepiante. Os serviços de enfermagem que o utente em cadeira de rodas necessita são no piso -1. Qual não é o meu espanto quando não encontrei uma rampa para poder proceder a essa deslocação. Já passaram desde que o o Centro de Saúde existe, não quantos Directores do dito cujo, mais uns quantos Ministros, uns não sei quantos Directores-Gerais e mais outros tantos Presidentes de Câmara e Presidentes de Junta de Freguesia. Tanta gente tem comido à conta do erário público, dos nossos impostos, dos nossos votos e ninguém considerou minimamente razoável arranjar uma rampa para quem se desloca àquele serviço público numa cadeira de rodas. O actual Edil até conquistou o direito à Tribuna Presidencial por se distinguir no apoio a gente portadora de deficiência. Mas lá uma rampa para os tetraplégicos se poderem utilizar do Centro de Saúde de forma eficaz, isso é que não. Sai muito caro. E depois como é que se arranjava dinheiro para isto e aquilo e aqueloutro? Estou tão revoltado que vou parar por aqui antes que diga alguma coisa que possa servir de desculpa para não me lerem ou não tomarem conhecimento do que escrevo. Não me venham é pedir para engrossar as fileiras das Manifs. Vão de cadeira de rodas.

terça-feira, julho 24, 2012

NUANCES DA LÍNGUA PORTUGUESA

Desde que os americanos se lembraram de começar a chamar aos pretos 'afro-americanos', com vista a acabar com as raças por via gramatical, isto tem sido um fartote pegado!

As criadas dos anos 70 passaram a 'empregadas domésticas' e preparam-se agora para receber a menção de 'auxiliares de apoio doméstico' .

De igual modo, extinguiram-se nas escolas os 'contínuos' que passaram todos a 'assistentes operacionais'.

Os vendedores de medicamentos, com alguma prosápia, tratam-se por 'delegados de informação médica'.

E pelo mesmo processo transmudaram-se os caixeiros-viajantes em 'técnicos de vendas '.

O aborto eufemizou-se em 'interrupção voluntária da gravidez';

Os gangs étnicos são 'grupos de jovens'

Os operários fizeram-se de repente 'colaboradores';

As fábricas, essas, vistas de dentro são 'unidades produtivas'e vistas da estranja são 'centros de decisão nacionais'.

O analfabetismo desapareceu da crosta portuguesa, cedendo o passo à 'iliteracia' galopante.

Desapareceram dos comboios as 1.ª e 2.ª classes, para não ferir a susceptibilidade social das massas hierarquizadas, mas por imperscrutáveis necessidades de tesouraria continuam a cobrar-se preços distintos nas classes 'Conforto' e 'Turística'.

A Ágata, rainha do pimba, cantava chorosa: «Sou mãe solteira...» ; agora, se quiser acompanhar os novos tempos, deve alterar a letra da pungente melodia: «Tenho uma família monoparental...» - eis o novo verso da cançoneta, se quiser fazer jus à modernidade impante.

Aquietadas pela televisão, já se não vêem por aí aos pinotes crianças irrequietas e «terroristas»; diz-se modernamente que têm um 'comportamento disfuncional hiperactivo'

Do mesmo modo, e para felicidade dos 'encarregados de educação' , os brilhantes programas escolares extinguiram os alunos cábulas; tais estudantes serão, quando muito, 'crianças de desenvolvimento instável'.

Ainda há cegos, infelizmente. Mas como a palavra fosse considerada desagradável e até aviltante, quem não vê é considerado 'invisual'. (O termo é gramaticalmente impróprio, como impróprio seria chamar inauditivos aos surdos - mas o 'politicamente correcto' marimba-se para as regras gramaticais...)

As prostitutas passaram a ser 'senhoras de alterne'.

Para compor o ramalhete e se darem ares, as gentes cultas da praça desbocam-se em 'implementações', 'posturas pró-activas', 'políticas fracturantes' e outros barbarismos da linguagem.

E assim linguajamos o Português, vagueando perdidos entre a «correcção política» e o novo-riquismo linguístico.
Estamos lixados com este 'novo português'; não admira que o pessoal tenha cada vez mais esgotamentos e stress. Já não se diz o que se pensa, tem de se pensar o que se diz de forma 'politicamente correcta'.

E falta ainda esclarecer que os tradicionais "anões" estão em vias de passar a "cidadãos verticalmente desfavorecidos"...

Os idiotas e imbecis passam a designar-se por "indivíduos com atitude não vinculativa"

Os pretos passaram a ser pessoas de cor.

O mongolismo passou a designar-se síndroma do cromossoma 21.

Os gordos e os magros passaram a ser pessoas com disfunção alimentar.

Os mentirosos passam a ser "pessoas com muita imaginação"

Os que fazem desfalques nas empresas e são descobertos são "pessoas com grande visão empresarial mas que estão rodeados de invejosos"

Para autarcas e políticos, afirmar que "eu tenho impunidade judicial", foi substituído por "estar de consciência tranquila".

O conceito de corrupção organizada foi substituído pela palavra "sistema".

Difícil, dramático, desastroso, congestionado, problemático, etc., passou a ser sinónimo de complicado

segunda-feira, julho 23, 2012

TROCAR IDOSOS POR RECLUSOS
Eu sei que o texto que se segue é demagógico. Alguns de vós já o conhecem. Publico-o por duas razões. Para o dar a conhecer aos que ainda não o leram, e para que se perceba bem até que ponto destruíram o espirito ganhador deste país, que motiva quem quer que seja a escrever um texto destes.

Caros amigos:
Quem teve a seguinte ideia devia ganhar um prémio Nobel.
Reparem como ela reflecte uma realidade que tem tanto de triste como de real!

UMA IDEIA A EXPLORAR?...
Colocar os nossos idosos nas cadeias, e os delinquente fechados nas casas dos velhos.
Desta maneira, os idosos teriam todos os dias acesso a um lazer, passeios.
Não teriam necessidade de fazer comida, fazer compras, lavar a loiça, arrumar a casa, lavar roupa etc.
Teriam medicamentos e assistência médica regular e gratuita.
Estariam permanentemente acompanhados.
Teriam refeições quentes, e a horas.
Não teriam que pagar renda pelo alojamento.
Teriam direito a vigilância permanente por vídeo, pelo que receberiam assistência imediata em caso de acidente ou emergência. E sem pagar um tuste.
As suas camas seriam mudadas duas vezes por semana, e a roupa lavada e passada com regularidade.
Um guarda visitá-los-ia a cada 20 minutos e levar-lhes-ia a correspondência directamente em mão.
Teriam um local para receberem a família ou outras visitas.
Teriam acesso a uma biblioteca, sala de exercícios e terapia física espiritual.
Seriam encorajados a arranjar terapias ocupacionais adequadas, com formador instalações e equipamento gratuitos.
Ser-lhes-ia fornecido gratuitamente roupa e produtos de higiene pessoal.
Teriam assistência jurídica gratuita.
Viveriam numa habitação privada e segura, com um pátio para convívio e exercícios.
Acesso a leitura, computador, televisão, rádio e chamadas telefónicas na rede fixa.
Teriam um secretariado de apoio, e ainda Psicólogos, Assistentes Sociais, Políticos, Televisões, Amnistia Internacional, etc., disponíveis para escutarem as suas queixas ( ?).
O secretariado e os guardas seriam obrigados a respeitar um rigoroso código de conduta, sob pena de serem duramente penalizados.
Ser-lhes-iam reconhecidos todos os direitos humanos internacionalmente convencionados e subscritos por Portugal.

Por outro lado, nas casas dos idosos:
Os delinquentes viveriam com 200 ( ?) numa pequena habitação com obras feitas há mais de 50 anos.
Teriam que confeccionar a sua comida e comê-la muitas vezes fria e fora de horas.
Teriam que tratar da sua roupa.
Viveriam sós e sem vigilância.
Esquecer-se-iam de comer e de tomar os medicamentos e não teriam ninguém que os ajudasse.
De vez em quando seriam vigarizados, assaltados ou até violados.
Se morressem, poderiam ficar anos, até alguém os encontrar.
As instituições e os políticos não lhes ligariam qualquer importância.
Morreriam após anos à espera de uma consulta médica ou de uma operação cirúrgica.
Não teriam ninguém a quem se queixar.
Tomariam um banho de 15 em 15 dias,sujeitando-se a não haver água quente ou a caírem na banheira velha.
Passariam frio no Inverno porque a pensão dos (200?) não chegaria para o aquecimento.
O entretenimento diário consistiria em ver telenovelas e o Goucha na televisão.

Digam lá se desta forma não haveria mais justiça para todos, e se os contribuintes não agradeceriam?

sábado, julho 21, 2012

sexta-feira, julho 20, 2012

UM PEDAÇO DA HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA DE PENICHE

quinta-feira, julho 19, 2012

PARCERIA AUTÁRQUICA

Num tempo em que se ouve dizer tanto mal das PPP (Parcerias Público Privadas) é de louvar a iniciativa da Junta de Freguesia da Conceição que estabeleceu uma parceria com as Agências Funerárias de Peniche. Lamentavelmente não conhecemos os termos em que tal parceria foi estabelecida.
Só assim podemos entender um PASSEIO SÉNIOR (leia-se idosos), organizado pela dita Junta de Freguesia no próximo dia 22 do corrente mês, à zona mais quente do país (temperaturas na ordem dos 40o) que se encontra sobre ALERTA VERMELHO, com um percurso no Distrito de Santarém. Os Séniores (leia-se velhos) irão fazer uma descida ao Inferno do calor (no mínimo ao Purgatório) e não acreditamos que levem regadores para se irem refrescando. Espero sinceramente que esta Parceria esteja condenada ao fracasso.

quarta-feira, julho 18, 2012

UM POEMA
Há muitos anos atrás, eu escrevia poemas. A sua grande maioria nunca foi publicada. Alguns desapareceram completamente no caixote do lixo do tempo. Outros vou encontrando dispersos. Hoje encontrei mais um de que gostei. Pelas suas características muito próprias. Publicá-lo agora é o reconhecimento disso mesmo.

Reportando-me
ao solicitado na sua comunicação anterior
sou
a informá-lo
                               que estou vivo
e presente e pronto a negociar.

De acordo
com o desejo expresso por V. Exª
e sobre o que me interroga
face ao progresso económico
que a sua empresa irá representar,
                             parece-me que
basta libertar a palavra.

Em referência ainda ao s/ ofício-circular
número um barra mil novecentos e oitenta e um,
algures,
posso dizer-lhe que
tudo o que se passa entre mim e V. Exª
passa por si.

E hoje, exactamente vinte e um, temporalmente em Maio
penso que você estar aqui ou não
representa um facto, um facto, um facto
desculpe a repetição, trata-se de um erro meramente dactilográfico
e nunca uma tentativa de sublinhar qualquer vontade.
                                 até porque
a vontade repetida não é mais do que isso,
uma vontade repetida e, por isso sem valor.

                                          Do v/ venerador
                                   Reconhecido e obrogado,


                                Falta a assinatura mas v/ sabe

terça-feira, julho 17, 2012

segunda-feira, julho 16, 2012

OS QUE NÃO SÃO

Não é fácil encontrar num grupo tão pequeno de gente, tanta animosidade e tanto desdém pelos que são os seus alvos.
Miguel Relvas, Paula Teixeira da Cruz, Francisco José Viegas, Nuno Crato, Paulo Portas, Aguiar Branco, "The canadian man" e alguns deles acolitados por figuras tão ou mais tétricas que os próprios. Quando olham para nós é com esgares assustadores.
Nunca me senti tão atrofiado com um governo em Portugal. Não me inspiram confiança, nem me auguram nada de bom. Ao ouvir aos domingos os esforços que o Marcelo faz para conseguir que aquela gente (a sua gente), sejam respeitados é que percebo que já ninguém que tenha feito da actividade política acredita neles. O Lobo Xavier pelo que defende profissionalmente tornou-se credor deste governo e lá vai amenizando os destemperos do Pacheco Pereira que mais não faz que pôr a descoberto a incompetência e a malandragem desta gentinha.
Chegamos a um ponto tal em que os ministros se tornam aceitáveis são os que por esta ou aquela razão ou se mexem pouco, ou então já superaram todos os testes de honestidade a que já foram submetidos ao longo de vários anos, como é o caso do Ministro da Saúde.

PS: Quando eu era “puto” havia um ditado popular que se citava muita vez. “Tão ladrão é o que vai à horta, como o que fica à porta”. Este ditado aplica-se “ipsis verbis” ao Relvas e ao Crato. Sempre desconfiei deste último como aqui várias vezes referi. Não me enganei.

sábado, julho 14, 2012

sexta-feira, julho 13, 2012

CARNAVAL DE VERÃO

O Relvas vai tirar o Mestrado sendo-lhe para isso exigido um certificado das funções que exerceu desde que se licenciou até agora.
Os médicos disseram que não e o hipotético Ministro da Saúde vai conceder-lhes todo conjunto de exigências que tecnicamente considera incorrectas.
Os Pilotos ameaçaram e são já proprietários de uma parte da TAP.
O Pinto da Costa deu um abraço de adesão à candidatura do Menezes à Câmara Municipal do Porto .
A Guerra Fria entre o dito Menezes e o putativo extinto Rio interrompeu durante meses a resolução da gestão do Metro do Porto que deve mais dinheiro que os subsídios todos de Natal e de Férias da função Pública.
O Cavaco está em atitude gestionária aguardando com angústia que o próximo PR seja eleito, livrando-se assim do pesadelo em que está metido.
O Sócrates vai lendo Kant, Descartes, Marcuse e quejandos nas esplanadas dos Campos Elísios, agradecendo a Deus Nosso senhor o povo inteligente que somos que lhe concedeu livrar-se do Verão tórrido em que vivemos. E ri-se a bandeiras despregadas. Não do que dizem os filósofos, mas daquilo que fazemos.
Entretanto aqui na minha terra, nesta ditosa cidade de Peniche, sem dinheiro e sem crise, com medões de lodo espalhados no centro da cidade, com imóveis a degradarem-se, sendo alguns de património Municipal, como a residência de António Bento, com o esqueleto da Biblioteca Municipal a apodrecer, com o Bairro do Calvário em riscos de se transformar num viveiro de cães vadios, vai-se erguendo monumentalmente o Clube Naval de Peniche, o Centro de Alto Rendimento de Surf, e são doados alguns (sempre poucos) milhares de euros para os desfiles carnavalescos de Verão, como se não tivéssemos já Carnaval suficiente.

quinta-feira, julho 12, 2012

www.pordata.pt

Este é um blog de conversa. Tendemos nas conversas a tornarmo-nos repetitivos. Sou eu também assim. Já aqui referi este site. Contém os elementos para um “RETRATO DE PORTUGAL” tão exaustivo e tão completo quanto possível, dado o tempo da sua existência.
Este site é a face visível da Fundação Manuel dos Santos, que reúne gente do gabarito de António Barreto, que muito mais do que nos amarrotar com o que sabe, nos transmite conhecimentos que nos levam a pensar e a agir pela nossa própria cabeça, correspondendo assim ao apelo há muito desenvolvido por um filósofo português que não estimamos tanto quanto devíamos, refiro-me a Agostinho da Silva.
Num tempo de vacas magras, é importante sermos capazes de recolher o saber e o seu doce sabor.

quarta-feira, julho 11, 2012

“PUTA QUE OS PARIU”
No final de 2011 (Novembro/Dezembro), a Editora “TINTA DA CHINA” publicou “A BIOGRAFIA DE LUIZ PACHECO” de João Pedro George. Para quem não conhece, Luiz Pacheco com Cesariny, Almada e mais 2 ou 3 da mesma época cujos nomes entretanto se perderam no tempo, porque a História só refere os que da lei da morte se vão libertando.
Quando tanto se fala e diz sobre crises sociais, de valores, económicas e mais umas quantas que a verve não me permite atingir, seria de “bom-tom” para a nossa sanidade mental ler este livro. Ficamos a conhecer gente que nasce, cresce e morre sem nunca se vergar. Por mim conferia de imediato ao Luiz Pacheco 3 licenciaturas de borla: a de Literatura Portuguesa, Indigestão Financeira e por último mas talvez a mais importante de todas, a de Rei dos Filhos da Puta.
Recomendo vivamente a leitura deste livro, na certeza de que ele vos ajudará a ouvir políticos e afins sem que necessariamente sejam obrigados a vomitar. Para vos adoçar a boca retiro um extracto de uma entrevista dele (o Crocodilo) quando cada mais sábio perorava sobre si próprio e transcrita nesta Biografia:

«Eu não me considero coisíssima nenhuma. Eu considero-me um gajo que está aqui sentado. O burguês tem perante o chamado marginal, o gajo que está na cadeia, ou que está no hospital, ou aqui no lar, uma atitude natural de superioridade e supremacia. Isso manifesta-se. O que estou a dizer é que estou-me cagando para o burguês, para os burgueses todos, incluindo a minha costela burguesa.»
 
PS: Infelizmente e ao contrário do Luiz Pacheco, o Relvas, o Passos, o Gaspar e o Sócrates e seus representados, não acabarão os seus dias num lar manhoso e com cheiro a mijança. Infelizmente.

terça-feira, julho 10, 2012

MANIFESTAÇÕES, INAUGURAÇÕES E VERNISSAGES

Há muito que deixei de frequentar. Quando a minha mulher e a minha filha foram candidatas a cargos públicos (políticos) acedi a comparecer em solidariedade com elas, tal como em tempos idos elas me manifestaram a sua solidariedade para comigo. Mas hoje já nem isso me move.
Sinto um amor enorme pela pessoa que é a minha mulher e pela pessoa que é a minha filha. Mas isso não me empurra para ir mais além do que aquilo que sou capaz no limite de fazer.
Não acredito que manifestações possam alterar o que quer que seja quando quem toma decisões deixou de ser o poder político e passou a ser o poder económico. O Relvas é uma anedota. O Passos uma marionete. O Gaspar é um boneco de trapos.
A criação do Hospital em Peniche foi um acto político. A sua desactivação é um acto económico. Ponto final parágrafo.
Se esse não fosse o sentido das coisas seria um anacronismo ver parte dos responsáveis concelhios do partido do governo a negarem a evidência e outra parte o grupo a que pertencem a dar o seu aval à reformulação do funcionamento do SNS na região Oeste.
A solução não existe. A não ser vivermos da forma que há muito nos deveriam ter ensinado. Dar só passos de acordo com o tamanho das nossas pernas. Agora vai o Hospital tal como o conhecemos. A autonomia das escolas já desapareceu. Esperem mais um pouco. Suspeito que a reformulação do Ensino Superior irá conduzir-nos a mais uma realidade que nos parecerá dolorosa, mas não passará da leve impressão como a que se sente quando se arranca um dente. Refiro-me ao futuro encerramento da ESTM tal como hoje a conhecemos. Este tipo de escolas a multiplicarem-se pelo país, formando licenciados que irão ser futuros desempregados fazem subir o défice para valores incomportáveis, com desempregados qualificados que saem caríssimos ao erário público.

segunda-feira, julho 09, 2012

E AGORA…?

Agora a constituição segue dentro de momentos. É como se um juiz num tribunal dissesse ao criminoso que o crime cometido ficava perdoado porque a perturbação interior o desculpava desta vez. Mas para a próxima seria castigado. Mas já estamos habituados a estes esquemas. É só ver as TVs ou ler os Jornais ou ouvir os rádios. Eles são os Vales e Azevedo, os Duarte Lima, os Bagões Félix e por aí fora. Mas os malandros são os ciganos e os filhos da Lélé.
Entretanto eu que vou religiosamente pagando os meus impostos, vejo-me espoliado por roubo e ilegalmente dos meus honorários. Pelo menos foi isso que disse o Tribunal Constitucional.
No meio disto tudo vem a notícia de surpresa e de rompante. Professor de 44 anos é apanhado em Lisboa em assaltos a lojas de conveniência. O que vamos nós esperar dos alunos deste professor? No mínimo e após se filiarem num dos partidos do chamado “arco do poder” serão futuros governantes deste país.

sábado, julho 07, 2012