quarta-feira, dezembro 31, 2008

2008/2009
Desejar votos de UM FELIZ ANO NOVO, parece ser hoje de um sentido de humor pelo menos patético que é para não dizer macabro.
Quando os Governos nos ameaçam que vai ser péssimo, quando os desempregados vão ser às centenas de milhar, quando cada vez os ordenados são mais baixos e os produtos de consumo essencial sobem desvairadamente, quando os doentes vêem o peço dos medicamentos a subir e as listas de espera em Centros de saúde e hospitais crescem, quando os professores estão mais preocupados consigo próprios do que com o que lhes compete fazer e se demitem todos os dias da sua função de educadores, quando os supostos assassinos são deixados em liberdade e o miserável que roubou um supermercado é preso, quando as televisões incitam à violência e à ausência de valores cívicos.
Quando tudo isto e muito mais que não caberia aqui dizer acontece, dizer aos meus amigos FELIZ ANO NOVO, soa mais a piada de mau gosto que a vontade que isso seja mesmo assim.
Desejo pois aos meus amigos e leitores que durante o ano de 2009 cresçam os índices de esperança. Que algumas das coisas que nos parecem fazer descrer do nosso país e da humanidade em geral se comecem a suavizar. Que daqui a um ano estejamos menos cépticos e desesperados. Que as nossas famílias se sintam menos-mal.
Eu se as musas continuarem a apoiar-me e não for perdendo muitas capacidades, espero ir continuando por aqui conversando convosco.

terça-feira, dezembro 30, 2008

FACTOS DO ANO EM PENICHE
Todos nós temos uma ideia sobre o que mais marcou cada ano pela positiva e/ou negativa a nível pessoal, local, nacional e internacional.
Detenho-me pelo que se passou a nível local e que mais me marcou.

Desde logo a nomeação de um novo pároco para Peniche. Para a grande maioria de todos nós, tudo quanto aconteceu em Peniche nos últimos 60 anos está marcado pelo Padre Bastos. Não é fácil ver Peniche sem lhe associar esta figura ímpar. Ele é a personagem pública a que todos os penichenses mais ou menos intensamente estão associados.

O Parque da Cidade. Aquela entrada que sempre vi abandonada e desprezada aparece agora exuberante e cheia de vida. Desportista de todas as idades e cidadãos comuns procuram-no para desfrutarem todo aquele espaço magnífico, agora finalmente devolvido à Cidade e aos cidadãos. Os montes de areia horrorosos deram lugar a um local verdejante e eclético.

A morte inesperada da Rosa Caneira. Uma mulher dedicada e altruísta. A mãe dela na Igreja onde o corpo aguardava a celebração das exéquias fúnebres disse a certa altura: “- Peniche, perdeu uma grande mulher”. Nada mais verdadeiro. Uma mulher do povo, sempre dedicada aos outros. Sem cursos e sem recursos económicos apreciáveis, reuniu milhares de pessoas numa grande manifestação de pesar. Ricos e pobres, poderosos e humildes.

O mete-nojo que é a vida político-partidária em Peniche. Sem alternativas dignas desse nome à vista, o PCP nem precisa de ser muito exigente consigo próprio para justificar a reeleição. As oposições cheiram a mofo e a “déjà-vu”. Nem a originalidade de um jornal ao serviço do PS e PSD, que é o maior flop de Peniche nos últimos anos, os salva. Um jornal que é posto à venda nos quiosques e que depois aparece gratuitamente às centenas em tudo o que é sítio, soa e cheira a fraude que não enobrece os seus autores.

segunda-feira, dezembro 29, 2008

“COPIAR SEM OLHAR A QUEM”
Em defesa dos direitos de autorEm 1985 o Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Peniche solicitou a Ida Guilherme que elaborasse um pequeno manuscrito sobre “RENDAS E RENDILHEIRAS” que foi impresso na Tipografia Penichense e passou a ser distribuído pelo Museu de Peniche. Este pequeno manuscrito veio a ser reimpresso numa 2ª Edição, revista e aumentada que viu a luz do dia em 1988.Este pequeno-grande trabalho nas duas edições que conheço apresenta nas últimas páginas as fontes consultadas (Bibliografia) que lhe deram origem, de forma a que, quem se interessar sobre esta matéria possa enriquecer e aprofundar os conhecimentos que temos sobre RENDAS E RENDILHEIRAS de Peniche.
Nos 20 anos que o trabalho em referência celebra este ano, já serviu para ser apresentado como trabalho de estágio sem lhe citarem a origem e para outras imensas citações de alunos de escolas sem que o nome do autor num e noutro caso seja referido.
Aliás a reputada rendilheira e criativa autora deste manuscrito, já viu trabalhos seus em Rendas de Bilros, servirem para capas de outras obras sem que a origem do trabalho seja citada. É o caso da celebrada guarita em renda de bilros que hoje profusamente anda por todo o lado e é feita por tanta rendilheira, sem que a autoria do desenho original para ser utilizado em pique alguma vez seja referida.
Já está pois Ida Guilherme habituada a que lhe surripiem a autoria de inúmeros dos seus trabalhos. Mas existem coisas que têm limites. E publicar na Internet uma parte substantiva do manuscrito em referência, num Blog pessoal, sem que a origem do trabalho seja referida em algum lado entristece qualquer um e leva-o ao desespero. Então o esforço individual não tem de ser reconhecido? Só posso acreditar que quem se apropria desta forma do trabalho dos outros o faça por distracção ou por falta de cuidado.
Mas, É UM ERRO E TEM DE IMEDIATO QUE SER CORRIGIDO. A bem da verdade e do mérito que deve ser dado a quem o tem.
Infelizmente este tipo de situações vem-se repetindo cada vez mais em Peniche. E por pessoas com responsabilidades. Mais ou menos à socapa, copiam-se trabalhos de uns e de outros, ou fazem-se afirmações sobre factos sem que a sua origem seja referida. Entre o anonimato e a cópia despudorada se vai vivendo em Peniche, umas vezes por iniciativa própria, outras a mando de sabe Deus quem.
A Ida Guilherme como rendilheira e criadora ímpar na Área das Rendas de Bilros, merece o respeito de todos nós. Quem não gostar dela que não a cite ou não utilize os seus trabalhos. Quando os utilizar é obrigatório dizer quem os produziu. É o mínimo que a dignidade individual exige.

domingo, dezembro 28, 2008

SOLUÇÕES do teste de ontem.
Quem ler os comentários verificará que o Paulo Renato acertou em pleno nas respostas. Mas a média das respostas acertadas não é essa. Vamos lá então às respostas:
1. 116 anos, de 1337 a 1453.
2. Equador.
3. Novembro.O calendário russo estava na época 13 dias atrasado.
4. O nome latino é Insularia Canaria, que significa ILHA DOS CACHORROS.
5. Albert. Em 1936, ele atendeu a um desejo da rainha Vitória de que nenhum outro rei se chamaria Albert.
6.Foram mesmo 30 anos, de 1618 a 1648

A última resposta permite que nos sintamos aconchegadinhos com o que respondemos. Até dava pena se tirassem 0% de resultados!!!

sábado, dezembro 27, 2008

PARA QUE SE SINTA BEM CONSIGO PRÓPRIO
Um teste em que você não pode falhar. A não ser que esteja distraído. Serve para lhe enaltecer o ego. Aqui vai:
1. Quanto tempo durou a guerra dos 100 anos?
2. Em que país são fabricados os chapéus do Panamá?
3. Em que mês é que os russos celebram a Revolução de Outubro?
4. As Ilhas Canárias, têm esse nome tirado de que animal?
5. Qual era o primeiro nome do Rei George VI?
6. Quanto tempo durou a guerra dos 30 anos?

As respostas damos amanhã

quinta-feira, dezembro 25, 2008

CARTA QUE ME VIERAM HOJE DE MANHÃ MOSTRAR
"Querido" Pai Natal:
Acharás estranho que te escreva hoje, dia 26 de Dezembro, mas quero esclarecer certas coisas que me ocorreram desde que te mandei uma carta, cheio de ilusões, na qual te pedia que me trouxesses uma bicicleta, um comboio eléctrico, um Nintendo 64 e um par de patins.
Quero dizer-te que me matei a estudar todo o ano, tanto que, não só fui um dos primeiros da minha turma, mas também que tirei 20 a todas as disciplinas. Não te estou a enganar. Ninguém se portou melhor que eu, nem com os pais, nem com os irmãos, nem com os amigos, nem com os vizinhos.
Fiz recados SEM COBRAR, ajudei velhinhos a atravessar a rua e não houve nada que não fizesse pelos meus semelhante e, mesmo assim, C'A GANDA LATA, PAI NATAL!!!
É que... olha que deixar debaixo da árvore de Natal uma porcaria dum pião, uma m… duma corneta e um maldito par de meias, QUE GANDA PORRA!!! Quem pensas que és, ó barrigudo?Ou seja, porto-me como um imbecil a merda do ano inteiro para que venhas com uma merda deste calibre? E não sendo isto suficiente, ao estúpido de merda do filho da vizinha, esse idiota sem educação, malcriado e desobediente que grita com a mãe, a esse cavalão, trouxeste-lhe tudo o que pediu.
Por isso agora quero que nem venha um terramoto ou qualquer coisa assim, para irmos todos à merda, já que com um Pai Natal tão incompetente e falso como tu, é melhor que a terra nos engula. Mas não deixes de regressar no ano que vem, que vou rebentar à pedrada as VACAS das tuas renas.
Começando por essa merda do Rudolph, que tem nome de gay. Vou-tos espantar para que te lixes, e andes a pé como eu, GANDA CABEÇUDO!, já que a bicicleta que te pedi era para ir para a escola, que fica longe como a merda da minha casa.
Ah!!! E não me quero despedir sem te mandar para a p… Oxalá que quando tiveres subido muito alto se vire o trenó e leves um grande tombo, por seres tão filho da mãe. Por isso, aviso-te que no próximo ano vais ficar a saber o que é um miudo maldito, sacana e um bocadinho f.

Atentamente,Nano.

P.S. O pião, a corneta e o par de meias, podes vir buscá-los quandoquiseres e mete-los onde levam as galinhas!!!!!

terça-feira, dezembro 23, 2008

BOAS FESTAS
Para os meus familiares e amigos. Para os que me "curtem" menos. Para os que passam os olhos por este blog e concordando umas vezes e discordando outras, com as suas críticas me ajudam a fazer um melhor espaço.

segunda-feira, dezembro 22, 2008

PELA ENÉSIMA VEZ
publica a Concelhia de Peniche do Partido Socialista um panfleto nº1, agora chamado “Marés Socialistas”, visando as próximas autárquicas. Bem próximo do Natal. Por estas e por outras é que eu penso que certa gente não acredita na existência de Deus.
O nome do panfleto foram-no buscar às iniciativas do PCP na Autarquia. A frase chave da 1ª Página foi copiada descaradamente de uma outra dita pelo Presidente Kennedy na sua tomada de posse.
O dito panfleto que me veio parar às mãos tem uma impressão na frente e verso e aparece de pernas para o ar nas folhas interiores. Melhor assim. É porque é desnecessário ser lido.
Quanto ao conteúdo ele é suportado por duas ideias chave: A de que o PCP limita-se a fazer propaganda eleitoral o que digamos não deve ser tão mau assim, dado que se limitam a copiar a actuação tão bem sucedida do Engº Sócrates. A outra vertente de ataque é a de que de têm limitado a estudar planos de actuação e a concluir projectos herdados. E não é que fiquei perplexo? Então estudar e planificar para agir não é o que deve ser feito? Concluir projectos anteriores não deve ser prioritário? Não foi isso mesmo que o PS fez quando chegou à Câmara em 1998 e concluiu os projectos herdados do PSD?
Um bocadinho de pudor não fica mal a ninguém…

sábado, dezembro 20, 2008

CONSELHO (DE QUEM SABE) AO POVO PORTUGUÊS

sexta-feira, dezembro 19, 2008

PARADOXOS
Sócrates e Cavaco dão-se como Deus com os Anjos
Pacheco Pereira é recusado como cabeça de Lista do PSD ao Parlamento Europeu
Santana Lopes é o cabeça de Lista do PSD à Câmara de Lisboa
Manuel Alegre recusa ser Deputado com "este" PS
Jorge Amador dá entrevistas ao órgão oficial do PPD/PSD/PS

O Natal ainda é a 25 de Dezembro?

quarta-feira, dezembro 17, 2008

A CRISE...
não vai atingir só estes tristes

terça-feira, dezembro 16, 2008

AS MALHAS QUE O IMPÉRIO TECE…
Os órgãos de comunicação social vão despejando nomes de personalidades envolvidas em eventuais ilícitos ou em empresas assustadoramente criadas para fins de que hoje ainda não se conhecem os contornos:
Jardim Gonçalves – Paulo Teixeira Pinto – Filipe Pinhal – Cristopher de Beck – António Rodrigues – Alípio Dias – Castro Henriques – Oliveira e Costa Amílcar Theias – Arlindo de Carvalho – Daniel Sanches – Rui Machete – Dias Loureiro – Jorge Coelho
Os nomes saltam em catadupa. E eu sinto-me frágil. Porque alguns destes nomes são de pessoas em que eu acreditava como exemplos de virtudes e de luta pelo engrandecimento do meu País. Sinto-me usado. Sinto-me sujo. Sinto que sou parvo. Afinal, “os tais e tais… eram mais de 10”.

segunda-feira, dezembro 15, 2008

“MAI NADA”
Com este título recebi um email que distribuía por inúmeros internautas a cópia de uma página de um boletim informativo dum aluno do 2º Ciclo, que com a devida vénia aqui publico para se poder acompanhar o meu raciocínio. O título (que eu também reproduzo) tanto quanto me é dado perceber pretende rematar o que a mãe de um aluno diz a uma professora.Começo por referir que este Boletim (Caderno do Aluno) tem carácter confidencial. Se lemos esta cópia não foi porque o Encarregado de Educação (EE) o tivesse divulgado. Dá para perceber que terá sido a Professora que terá considerado “menos feliz” o recado da mãe da aluna e que a terá reproduzido para ilustrar “o que valem” os EEs. 1º atitude infeliz da dita professora.
Estranhei que uma professora digna desse nome, afirme que o não fazer os TPCs prejudica a avaliação do aluno. Qual avaliação? Sumativa? Formativa? Ou meramente Informativa? E em que é que esse facto pode prejudicar uma avaliação? Se é Formativa ou Informativa, antes pelo contrário enriquece-a. O Professor (que o é) fica a saber que o aluno não realiza os TPCs. Ou porque não quer ou porque não tem condições para o fazer.
Se não quer, há que chamar o EE e tentar descobrir as razões que levam a isso, e tentar estratégias de remediação. Se não tem condições para os fazer, então há logo que avançar para as referidas estratégias.
Mas desde logo a resposta da EE é elucidativa. Então há que definir estratégias que desde logo permitam que o aluno em sede de escola possa resolver propostas de trabalho que noutras condições não serão feitas.
Aqui a 2ª atitude nitidamente infeliz da professora. Então estamos ou não numa situação de ensino diferenciado, em que cada aluno é um caso? E que como tal deverá ser tratado…
Quanto mais conheço estas situações, mais razão dou à Ministra da Educação. É preciso avaliar os professores para distinguir o trigo do joio. E dar condições aos que trabalham de forma séria. Quanto aos outros de que a professora que é capaz de fazer o que esta que ilustramos fez, é melhor procurarem outra profissão. Professores é que não são.
PS: Se os professores se queixam de que o Processo de Avaliação lhes ocupa tempo demais, vale a pena pensar no que é sair de casa às sete horas da manhã, chegar às 18 e 30horas. Ter a roupa da casa para tratar, limpezas para fazer, cuidar dos filhos, fazer comida, preparar tudo para o dia seguinte e ter que pensar se o educando fez os TPCs. Uma mãe não terá trabalho a mais? É que uma mãe que trabalhe, não tem uma ocupação no local de trabalho de 22 horas…

domingo, dezembro 14, 2008

Eu já vi acontecer isto numa obra pública em Peniche...também não é para admirar, se se esqueceram o que fazer com os milhares de toneladas de areia que saíram das obras do porto de pesca.

sábado, dezembro 13, 2008

sexta-feira, dezembro 12, 2008

No passado dia 1 de Dezembro, com 75 anos faleceu o Badaró. A sua imagem do chinesinho "Limpópó" fica na memória de quantos o conheceram como actor. Bem como a expressão caída em desuso oralmente, mas agora tão aplicada na prática: "-Oh Abreu! Dá cá o meu!"
O corpo ofereceu à Faculdade de Ciências Médicas, para ser utilizado como objecto de estudo. Da Igreja de Paço de Arcos, para a Faculdade seguiu o cortejo sem flores e praticamente sem acompanhantes.
O abandono a que foi votado empobrece ainda mais a classe artistica portuguesa. Ao homem do Teatro e da Cultura os meus votos de que repouse em paz e que não pese sobre nenhum actor deste país.
PS: O realizador Manuel de Oliveira, ao completar 100 anos de idade, recusou as chaves da Cidade do Porto com que o Presidente Rui Rio pretendia distingui-lo. MO recusou ser utilizado como arma política para aquele edil, que tem dificultado ao máximo a criação da Casa do Cinema naquela cidade. MO pretendia oferecer a esse museu o seu espólio sobre cinema. Rui Rio enche-se de orgulho com o facto de ser Presidente da Câmara. Coitado. Não vê mais para além da distância do seu nariz. Mas se morrer, levará um grande acompanhamentos no funeral.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

SE…
…O PSD existisse nos EUA, com a Bruxa Má como Presidente, o país mais rico do mundo não entraria em recessão.
…O Paulinho das Feiras fosse Chanceler na Alemanha o país mais rico da Europa, nunca este teria entrado em recessão.
…O tio Jerónimo fosse Presidente da República em França, ali os trabalhadores seriam felizes e iriam ver o sol brilhar para todos.
…Se o primo Louça fosse a Rainha de Inglaterra o apoio social aos menos afortunados faria de cada inglês e de cada inglesa, um lord e uma lady.
…Se Pacheco Pereira e Marcelo Rebelo de Sousa fossem os grandes timoneiros em Portugal, viveríamos no Paraíso.

É uma tristeza vivermos em Portugal e termos o Sócrates como primeiro-ministro.

terça-feira, dezembro 09, 2008

O DELFIM
A notícia brutal, deixou-nos ontem de manhã perplexos. Tinha morrido o Delfim. Grande treinador, Aportinguista a toda a prova, animou centenas de jovens de Peniche de Cima a jogarem à bola. Organizador de competições entre miúdos, ele mais um entre todos eles. O Delfim era respeitado pelas crianças e jovens e os adultos que com ele conviveram ficaram seus amigos para sempre.
Agora vai para um sítio onde não há Sporting. Mas ele vai descansar em paz de anos de actividades infantis. O Delfim a todos nós em Peniche vai ficar na memória.

segunda-feira, dezembro 08, 2008

domingo, dezembro 07, 2008

AGORA FINALMENTE PERCEBO TUDO
Mário Nogueira, Secretário-Geral da Fenprof, como resultado da sua Avaliação de Desempenho foi convidado para integrar o Comité Central do Partido Comunista Português.

sábado, dezembro 06, 2008

HISTÓRIAS DE NAZARENOS
Um nazareno que morava numa casa à beira da praia encontra um pinguim à sua porta e fica espantado. Sem saber o que fazer com o bichinho, pergunta ao seu vizinho Quim:
- Ah Quim, este animalzinho apareceu de repente à porta de minha casa! O que devo fazer com ele?
E o Quim: - Ah Tóino, você tem que pegar nele e levá-lo ao jardim zoológico!
O Tóino: - Grande ideia Quim! Obrigado!
No dia seguinte, o Quim vê o Tóino a chegar em casa. Levava o pinguim com uma coleirinha no pescoço. Admirado, pergunta-lhe:
- Ah Tóino, que raio tá você está a fazer com o pinguim? Não o levou ao jardim zoológico?
E o Tóino todo contente:
- Levei sim e ele adorou! Hoje, vou levá-lo ao cinema!

quinta-feira, dezembro 04, 2008

O SEU A SEU DONO
“Sapo Local e Universidade do Minho distinguem Municípios com melhores práticas na Web Palmela e Grândola no Ranking dos 10 Melhores Web sites Municipais

308 Concelhos analisados num estudo que reúne dados de todo o paísSAPO Local reforça a visibilidade das Câmaras Municipais na WebO Sapo Local e a Universidade do Minho apresentaram hoje os Prémios SAPO Local/ UMinho 2008 que destacam os municípios com as melhores práticas na internet. Pretende-se com estes prémios valorizar o trabalho desenvolvido pela Administração Pública Local no seu conjunto, pela qualidade, quantidade e diversidade de serviços que presta on-line, beneficiando a sociedade como um todo.

Os três primeiros classificados considerados com Melhor presença na Web foram: a Câmara Municipal de Pombal, a Câmara Municipal da Maia e em terceiro lugar a Câmara Municipal de Peniche. Palmela, Grândola, Águeda, Chaves, Covilhã, Felgueiras, Guimarães completam o Ranking dos 10 Melhores Web sites Municipais. “


É assim o início da noticia que “catrapisquei” na net no “Diário Digital Rostos.pt”.
Quem lê, ouve e acompanha minimamente o que a oposição local diz da Câmara CDU, pensa que só vão acontecendo coisas horrendas. Mas esta semana decidi fazer o levantamento do que de bom por cá vai acontecendo e que não é mencionado. Aguardo a honestidade dos núcleos locais do PSD e do PS, congratulando-se com o mérito com que a Autarquia tem trabalhado nesta área.
Para se tornarem credíveis têm de referenciar e vetar o que está errado e exaltar o que tiver méritos. A não ser que queiram só ser conhecidos como arautos da desgraça.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

DAPUNKSPORTIF Estou a escrever isto e estou a ouvir o som que vai correndo em www.myspace.com/dapunksportif
São dois rokeiros de Peniche a que se juntam em concertos e tournées outros diversos seus amigos, e que têm o grande mérito da “lei do marasmo de Peniche se irem libertando”. Não sou propriamente um conhecedor para fazer uma crítica objectiva do que fazem. Mas os ecos vários que me vão chegando, apontam para uma qualidade no género acima da média e acima de tudo a dose de irreverência e sabor que lhes confere já uma grande adesão de jovens e de menos jovens mais entendidos.
Sinto-me bem por o Paulo e o João conseguirem caminhar seguros no que gostam e fazem, fazendo-o bem.
Não gosto do nome do grupo, mas parece que tem de ser assim. Chamar-se Epifânio ou Hermengarda era pior. Gostava que pelo menos de vez em quando utilizassem a Língua Portuguesa mas parece que também tem que ser assim.
Quanto ao resto um abraço e votos de muitos êxitos. Partam tudo.

terça-feira, dezembro 02, 2008

http://gdpenichecamadasjovens.blogspot.com/Pelo que representa. Pela ternura. Por tudo aquilo em que merece a pena acreditar num tempo em que os sonhos parecem andar ocultos. Por tudo isto e pelo que não sou capaz de dizer mas sinto, faço aqui e agora publicidade a este blog que me surpreendeu.
Só me interessa dizer que o seu progenitor tornou a blogosfera mais limpa e mais apetecível ao utiliza-la em favor de um desporto e dos jovens desta forma.
Não estou habituado em Peniche a gestos destes.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

1º de Dezembro
Não me sinto muito motivado com o acontecimento que deu origem ao “feriado” de hoje. Quanto ao acontecimento em si, seria interessante saber quantas pessoas se lembram ainda, porque celebramos esta data. Caiu em desuso, tal como o 5 de Outubro e o mesmo irá acontecer ao 25 de Abril.
O dito cujo feriado mantém-se porque os “políticos” não têm coragem para acabar com esta excrescência, que sabe bem porque não se tem de ir trabalhar. Ora como já estou reformado, nem isso é motivação para mim.
Não sei até que ponto é que ganhámos alguma coisa em deixar de ser Espanha, para passar a ser Portugal. A Ibéria motiva-me. Como país, nem para férias somos úteis. Os duques de Bragança que nos legaram D. Duarte Nuno, bem podiam ter ido brincar para outro lado. Comprometeram o futura desta província de Espanha para a qual hoje não há volta a dar.