segunda-feira, outubro 31, 2016


COISAS INTERESSANTES DE “A VOZ DO MAR

Este último número do jornal (28/10/2016) local é um manancial de leituras interessantes. E não me refiro aos mortos nem a notícias de 1ª página. Nem sequer me refiro à febre que se apodera dos putativos candidatos autárquicos que mais ou menos um ano antes desse evento decidem premiar-nos com as suas diarreias mentais, como se fossemos estúpidos e não percebêssemos ao que vêm…

Refiro-me àquelas coisinhas que aparecem em letras pequeninas nas páginas interiores. Editais, anúncios e similares que nalguns casos por força da lei aparecem publicados.

É claro que só os velhos e reformados como eu é que os vão ler. Faz parte da minha condição perceber-me. Enquanto puder e ainda mexer os neurónios. Ainda me verei a olhar para as obras. Lá chegará o tempo se eu conseguir atingir esse desiderato.



- O que desta vez chamou a minha atenção foi ver pela 1ª vez anunciada a realização de uma Assembleia Geral da CERCIP.

È claro que dado o objecto dessa reunião magna era inevitável a publicação da convocatória em jornal local (alteração do Regulamento Interno). Senão esbarraria com a impossibilidade de aprovação notarial.

- A segunda estupefação reside no facto de finalmente ver surgir um novo Presidente da Assembleia Geral. O anterior já cheirava a bafio.

- O meu terceiro assombro reside na falta de cuidado colocada por quem escrevinhou a convocatória.

Se lerem com atenção o que lá está escrito é típico dos tempos do estalinismo ou mais recentemente do amado líder da Coreia do Norte.

Pasmem. Diz lá nos 3 primeiros pontos: - Apreciação e aprovação. Isto só pode ser distração. E se os sócios presentes decidirem não aprovar?

O que deveria dizer era: - Apreciação e votação.

Pode-se apreciar e discutir. Mas ninguém em democracia é obrigado a aprovar. Só nos regimes totalitários.
Sou obrigado a aprovar a acta da última AG?
Sou obrigado a concordar com o plano de Actividades e orçamento para 2017?
Sou obrigado a aprovar as alterações ao RI da instituição propostos pela actual Direcção?
  O texto está conforme aquele que há anos vinha das convocatórias mandadas elaborar pelo anterior Presidente da Instituição. E o Presidente da Assembleia Geral assinava sem sequer ler o que assinava. E o que queriam que se fizesse era aprovado sem discussões. E ai de quem discordasse. Se fosse trabalhador da Cooperativa acabava por ver que lhe calçavam um par de patins.

Até que algumas coisas mudam e a gente começa a perceber como funcionam certas instituições do nosso concelho. Olha se isto fosse no tempo do Estado Novo… A Democracia tem sinais que só os conhece (ou reconhece) quem vive e se alimenta deles. Um autocrata não se revê nesses sinais.

 

sábado, outubro 29, 2016


COISAS DE FIM-DE-SEMANA
Ia um homem com a braguilha aberta e uma senhora muito tímida disse-lhe que ele tinha a porta da garagem aberta.
Então, o senhor, em tom malandreco pergunta:
- Então viu lá o Ferrari?!
- Não. Vi um Fiat Uno com os pneus em baixo!!!

 

Dizia um chefe da pior espécie para um subordinado:
- Aposto em como gostarias de me ver morto, só para teres o prazer de cuspires na minha sepultura!
- Isso não. Nunca gostei de me meter em filas.

 

Um tipo entrou num bar e viu o Tony Blair a falar com o Bush.
Foi perto deles e perguntou-lhes:
" O que é que vocês estão a tramar ? "
Diz o Bush:
" Estamos a planear a 3ª Guerra Mundial..."
Pergunta o tipo: " Ah, sim ? Então o que vão fazer?"
Bush: "Vamos matar 14 milhões de muçulmanos e um mecânico de bicicletas..."
O tipo :" Um mecânico de bicicletas ???!!!!!!"
Diz o Bush para o Blair : "
Está a ver? Eu não lhe disse que ninguém se importava com os 14 milhões.????

quinta-feira, outubro 27, 2016


O ADVOGADO DO DIABO

O que me surpreende não é o “filho do ódio alemão” ter a opinião que tem sobre quem não se submete à sua vontade. O que me indigna é a submissão dos políticos portugueses ao rancoroso ministro alemão das finanças.

Indigna-me que nem o PSD nem o CDS levantem a sua voz contra tal afronta à soberania portuguesa. Assim foi submetido Pétin a Hitler e com o aplauso alemão se constituiu o Governo de Vichy.



Vejam à esquerda o sr. coelho e à direita o sr. Schauble.

E indigna-me que nenhum militante do PSD se insurja contra esta diatribe e alinhe com o silêncio dos que estão dispostos a aceitar a submissão desde que por esse meio possam atingir os seus fins: „o regresso ao poder“. Não é Portugal que lhes interssa, são os seus propósitos.

O rodinhas precisa de lacaios para fazer regressar a Alemanha ao seu império. Em Portugal já os encontrou. Para que multinacionalirá trabalhar o coelho quando acabar a sua comissão de serviço no PSD?

quarta-feira, outubro 26, 2016


À LA-MINUTE

Ser criativo é isto. Alguns conhecimentos sobre saberes perdidos em favor das novas tecnologias. Tudo isto a propósito de uns quantos jovens que armados com os seus conhecimentos, uma máquina de caixa (réplica das de outros tempos), uma tina de revelação, e capacidade para viver do que sabem fazer.



Os valores recebidos (sem IVA, nem recibo verde), que não são declarados às finanças nem do país de origem nem do país em visita, são o seu meio de sobrevivência.

Depois tem a exibição de si próprios. E da sua capacidade de adaptação às realidades novas que vão encontrando. E à sua percepção de que somos um país sem memória. E que o nosso espanto em relação aos princípios fundamentais das coisas nos leva a adquirir bens em que o seu único valor está no ver um filme vintage. Somos vítimas das memórias que os nossos pais e avós arquivaram e que se perderam definitivamente. É a exploração dessa ignorância que permite a jovens argutos poderem sobreviver. No fundo corresponde ao dito popular do “que seria dos bem-governados, se não fora a existência dos mal-governados”.

No tempo dos telefones com máquina fotográfica, esta tornou-se obsoleta. Quem compra hoje álbuns ou molduras? As novas tecnologias mataram a memória. Os museus vão desaparecer e passarão a existir filmes publicados em sites municipais com o que permitiu o desenvolvimento de terras e regiões. Sai barato e não envolve capital de risco.

Também para fazer merdas de museus como o da renda de bilros cá do burgo, mais vale não perder tempo. Vale mais um retrato à la-minute.



terça-feira, outubro 25, 2016


NUMA CASA PORTUGUESA

Com certeza. Existem sinais inequívocos. Enquanto a comunidade de países que odeiam pessoas que não sejam brancos caucasianos não se opuser, alguns desses sinais irão manter-se. A sardinha já se foi. O fado aburguesou-se e tornou-se manjar de turistas, com múltiplas cópias do Zé Tuga.

Restam alguns valores da terra. Como estes:
A couve portuguesa vai dando para a sopa e para os acompanhamentos do peixe (possível) e da carne. Esta couve maior e mais pesada que um recém nascido é um exemplar magnifico da beleza da terra, sem adubos e sem aditivos que a tornariam venenosa. O tamanho é outro milagre. É tão grande que as maçãs com 8/9 cms de diâmetro parecem bolas de ping-pong.

Bom apetite mais à vossa dieta mediterrânea.   

sábado, outubro 22, 2016


BOM FIM DE SEMANA
Uma mulher vai de férias para a Cuba e ali conhece um negro robusto e esbelto. Começam a falar e a dançar e terminam a testar a qualidade das molas do colchão da cama... Depois da "tourada", a mulher, legitimamente, pede ao negro que se identifique.
-Prefiro não dizer o meu nome: toda a gente começa a rir-se...
Assim continuam durante mais 15 dias: bailando, brincando e... pimba, sexo a toda a hora.
Na véspera de regressar a casa, a mulher volta à carga, para que o amante lhe diga o nome e consegue a convencê-lo.
-Chamo-me Neve, diz o negro.
De repente, a mulher começa a rir.
-Vês, eu bem te disse, que toda a gente começa a rir quando sabe do meu nome.
-Não, desculpa, justifica-se a mulher. Eu não me estou a rir do teu nome.
Estou a pensar na cara do meu marido, quando lhe disser que tive 25 cm de neve todos os dias em Cuba.  Cuba e ali conhece um negro robusto e esbelto.
 
Num hipermercado, dois tipos distraídos chocam frontalmente com os carrinhos de compras que transportam. Um indignado pergunta ao outro:

-Você tenha cuidado veja o que anda a fazer…

- Desculpe, diz o outro – Ando à procura da minha mulher

- Coincidência do “carago” – diz o primeiro – Eu também ando à procura da minha…

- Como é que é a sua mulher?

- Alta, loira natural. Pernas bem torneadas. Uns seios salientes e uns lábios carnudos pintados de cor ocre. Usa um vestido leve às flores, muito decotado e talvez um pouco curto demais. E a sua? Como é?

- Olhe, que se lixe a minha. Vamos é à procura da sua…

 

 

quinta-feira, outubro 20, 2016


APRENDER COM OS OUTROS

No número de aniversário do “Região de Leiria” li uma notícia que me apetece transmitir-vos.

É comum a generalidade dos Concelhos atribuírem subsídios para Bolsas de Estudo que normalmente a regras que pretendem distinguir os melhores alunos que ao mesmo tempo são alunos com dificuldades financeiras. Para quem estuda e sobretudo para os pais que pretendem abrir um futuro mais risonho para os seus filhos estes apoios são sempre uma espécie de euromilhões a premiar os que mais se esforçam. E quando falamos do Ensino Universitário com os custos de nível elevado que comporta, ainda se acentua mais o benefício de tais apoios.

Pois bem. A JSD (fazendo recordar o cariz social que o partido que representa em idos conteve) propôs à Câmara Municipal de Leiria um conjunto de alterações ao Regulamento de atribuição de Bolsas de Estudo afim de que estas possam também beneficiar de forma proporcional, alunos portadores de deficiência que se tenham distinguido no seu percurso escolar, embora que por razões dessa própria deficiência não tenham atingido os patamares de sucesso dos seus restantes colegas.

A isto chama-se contribuir para eliminar barreiras e ser coerente com a Declaração Universal dos Direitos do Homem, tão propalada mas tão pouco praticada.

À JSD de Leiria um abraço Democrático pela sua iniciativa. Aos nossos autarcas um apelo para relerem o Reg. de atribuição de Bolsas de Estudo e que seja revisto visando situações como estas.

 

quarta-feira, outubro 19, 2016


PENICHE CAPITAL DA ONDA. E O RESTO?

Por João Pedro Santos. In revista “Sábado”

Outubro 18, 2016

Mão amiga fez-me chegar este artigo de opinião publicado na Revista “Sábado”. Pelo seu interessante desenvolvimento, aqui o reproduzo com a devina vénis ao autor.

 

“O "estar na moda" parece ser uma regra de conduta nos dias que nos correm por debaixo dos pés, e o surf, está na moda.

 

Mas começo pelo início como convém para não confundir as certezas de quem lê e se interessa pelo que nos passa mesmo à frente dos olhos.


Os acasos e desavisos da vida fizeram com que, nos últimos dois anos eu viesse a assentar arraiais no Baleal, pequeno braço de terra no extremo oriental da Península de Peniche. Lugar de clima de personalidade imprevisível e temperamento forte. Lugar único na sua singularidade geográfica. Lugar de uma beleza capaz de nos prender a esta terra de ondas nascidas do vento e dos Deuses do mar. Lugar que cativa e agarra. Lugar que cheira a brisa e saudade. Lugar que é meu e teu também, se alguma vez já tiveste a sorte de por cá andar e olhar com olhos de ver as Berlengas lá ao fundo por entre as nuvens a anunciar chuva ou talvez um dia de sol.


Afinal por mais que os dias se repitam nunca se sabe o que o futuro trará por estas bandas de pescadores, senhores da terra e gentes de prancha debaixo do braço, sempre dispostas a desafiar a rotina com mais uma dança por entre linhas sucessivas de ondas, linhas tão perfeitas que te levam a concluir que se calhar Deus existe mesmo, e tu consegues ouvi-lo falar no incessante desmoronar de água durante mais um set a desenhar a linha de costa.

 

Nada de novo para mim, afinal sempre estive por aqui, desde que me lembro de ser gente em vida, os meus pais são daqui, os meus avós e amigos mais próximos também. O acaso não fez mais que trazer-me de volta a casa e mesmo que um dia arranque para outras paragens, a minha alma continuará a olhar o mar moldar a magia desta terra. Até que um dia regressarei para resgatar o resto de mim que por aqui ficou. Mas para já estou inteiro. Eu, como tantos que por aqui vivem agora, e que sabem o valor incalculável que a vista consegue alcançar.


Desculpem-me a seca que vos estou a dar, mas isto tinha mesmo de ser dito para melhor poderem compreender o que aí vem.


Pois é, voltando ao início, o surf está na moda. Está na moda há já alguns anos como decerto sabem, nada de novo afinal. E, nestes últimos oito anos, a moda atinge o seu clímax por esta altura, com uma das etapas do mundial de surf a realizar-se mesmo aqui à porta de casa, em Supertubos.


Que coisa espectacular! Dirão vocês aí desse lado da internet.


Sim, é giro, respondo eu. Os melhores surfistas da actualidade, grande impacto mediático, milhares de turistas de olhos claros e cabelos loiros, festas, multinacionais por todo o lado a exibirem as suas marcas a dizerem-te ao ouvido que tu podes ter tudo, que tu tens de ter tudo para estares na moda, para seres como eles (os Pros) para apareceres e seres digno de nota, para te destacares como alguém que vive "na crista da onda" (ok, perdoem-me a metáfora barata mas não me ocorreu nada de mais apropriado para o caso).


E foi, segundo estas premissas que ditam os tempos, que o edil local, o Tozé, como gosta de ser conhecido, diminutivo informal de António José Correia, presidente da câmara de Peniche, alicerçou o seu legado de Peniche Capital da Onda. Desde 2009 que o Mundial passa por aqui durante o mês de outubro. E, ano após ano, o Tozé coloca-se em bicos dos pés por entre risos francos e oferendas em forma de latas de conservas:


- "Eu vi que isto do surf tinha um potencial do caraças, fui ter com o Manuel Pinho em 2008 (então ministro da economia) e enquanto comíamos umas amêijoas num almoço em Olhão consegui vender-lhe esta ideia do surf. Em 2009 já cá estava o mundial!"


- "Sabe que no mês de outubro o Mundial tem um impacto económico (em Peniche) superior  a 10 milhões de euros e temos dezenas de milhar de turistas?"


- "Isto antes era um deserto, só arrebitava em agosto e depois desaparecia. Agora está cheio de surfcamps, hotéis, comércio, vida nocturna. Peniche está no mapa o ano inteiro!"


Sim, tudo isto pode ser verdade Tozé. Se bem que eu, comum ignorante das lides políticas, tenha alguma dificuldade em perceber exactamente onde estão e para onde vão esses 10 milhões de euros de que fala. Mas acredito que existam mesmo, por isso pergunto-lhe o seguinte, a si Tozé, que parece ser um tipo prafrentex e que até já foi nomeado o Mayor mais cool do circuito mundial de surf e tudo. Que veste o fato e mete a prancha debaixo do braço sempre que há uma câmara de TV por perto para criar um cenário bonito e radical mas a verdade Tozé, a verdade é que lá dentro de água nunca ninguém o vê. Compreendo, afinal tem os seus afazeres e um município para gerir. Terá mais em que pensar e com que se preocupar. Pergunto-lhe porque é que há imundice por todo o lado (menos na semana do mundial pois claro), porque é que as praias estão repletas de lixo, as ruas estão cheias de lixo, os parques de estacionamento estão cheios de lixo,  porque é que os acessos às praias ( e às ondas que tanto enaltece) estão pejados de entulho, porque é que as estradas fazem lembrar Beirute nos tempos da guerra, porque é que os serviços de saúde são rudimentares, um hospital com uma infraestrutura semelhante à de um hospital libanês de há 30 anos atrás, porque é que não existem estudos de crescimento sustentado, porque é que os pequenos comerciantes se afogam em impostos para poderem sobreviver o ano inteiro enquanto as grandes marcas se instalam e prosperam? Porque é que Peniche que tem de facto, os melhores beach breaks da Europa e do Mundo, está virada mais para quem vem e tão pouco para quem está e para quem fica, para quem ama este lugar, como eu e decerto como o Tozé?

Não me entenda mal, eu acho que a valência do surf trouxe muitas coisas boas a quem aqui vive, acho que estamos melhor do que em 2009, acho também que o crescimento e a visibilidade de uma região acarretam responsabilidades acrescidas de quem é visto no mundo inteiro (ainda que por poucos dias).


Ora bolas Tozé, as pessoas que o elegeram, a maioria, a grande maioria, são gentes que lutam para sobreviver, que contam os tostões ao final do mês, que vivem do mar, da agricultura e do pequeno comércio voltado para o turismo, que nunca fizeram surf na vida nem têm dinheiro para o fazer mesmo que quisessem.


É essa a sua gente Tozé, E os 10 milhões que tanto gosta de anunciar, decerto que dão para fazer muito mais do que apenas uma manobra de maquilhagem durante o mês de outubro.


O surf está na moda, sim, só é pena que a moda esteja ao alcance de tão poucos e que os muitos que aqui vivem, continuem a ter de contemplar o mar à distância de quem só olha e pouco pode fazer.


Ser cool, para nós que aqui estamos, é estar presente o ano inteiro, é não ter de abrir a janela e cheirar o fedor do lixo e das fábricas de conserva, é ir até à praia e não encontrar toneladas de detritos trazidos pelo mar, é preocupar-se com aqueles que tentam erguer-se nestes tempos de tempestade, é amparar, é fomentar, é proteger.

Ser cool, Tozé, é muito, mas muito mais do que um "stunt publicitário" para uma grande marca de surf.


Ser cool, é estar, e ser, de verdade.


Não me leve a mal Tozé, mas isto tinha de ser dito.


Um abraço.”

 

terça-feira, outubro 18, 2016


OS TÁXIS: - POLÉMICAS

Esta guerra dos táxis ocorrida sobretudo em Lisboa, não deixa de ter a sua razão de ser. Os taxistas em Lisboa, de alguma forma apossaram-se da cidade com todas as consequências que se adivinham. Para quem vive na província este é um problema que nunca se colocou. Somos familiares ou amigos de alguns deles, e a nossa relação com eles é de uma intimidade que não admite comportamentos perversos.

Mas a verdade é que aos táxis iria chegar (como chegou a todo o lado), uma concorrência feroz que aqueles que detinham direitos ancestrais não estavam preparados para enfrentar. A propósito deste assunto muito se disse e se escreveu. Mão amiga enviou-me o texto que vou transcrever que me parece reflectir de forma atenta sobre a História dos Táxis em Lisboa.

 

A UBER e o Big-Brother (Sem Sensura)

* Nuno Matias

* 10.10.16

Uber-v-Taxi

Hoje, a Anarquia reinou na Capital Portuguesa. Hoje, os Lisboetas perceberam a importância que os Taxistas têm na logistica da Cidade. Hoje ocorreram algumas desavenças que são normais em qualquer Ser Humano quando vê aquilo que é o seu "ganha-pão" familiar fugir-lhe entre os dedos. Se partiram carros e se magoram alguém da UBER, legalmente posso discordar mas, como Ser Humano que sou, não sou hipócrita para os condenar. No entanto, há uma pergunta a fazer:

Por que razão odeiam tanto a UBER!?

O Início…

Ora bem, tudo começou em 2008. Foi o ano em que o Presidente Obama assinou o "Plano de Resgate Económico de 2008" que permitiu a que muitos Super-Bancos Americanos tivessem uma injecção de Capital da Reserva Americana no valor de 800 Mil Milhões de Dollars. Essa colossal soma financeira salvou milhões de americanos de ficarem sem as suas contas bancárias mas, também safou muitos Banqueiros de não serem julgados pela especulação financeira que estavam a praticar. Um desses Super-Bancos foi a Goldman-Sachs que conseguiu levantar-se mas, outros não tiveram a mesma sorte. Claro que estou a falar do Lehman Brothers.

Foi no Ano de 2008 que começou a Grande Crise que ainda estamos a recuperar e que provocou a chamada da Troika a Portugal. Sim, todo o dinheiro dos resgates a

Portugal, à Irlanda e à Grécia serviram para engordar Super-Bancos como a Goldman-Sachs. Naturalmente que a Classe Política ajudou imenso a roubar as carteiras e os ordenados de inúmeros Contribuintes. Ajudou mediante a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional. Não nos devemos esquecer que Durão Barroso foi para o Goldman-Sachs e que o nosso ex-Ministro das Finanças, Vítor Gaspar, foi para o FMI. Foi um "agradecimento" ao trabalho prestado…

A Fundação…

A UBER foi fundada em Março de 2009, ou seja, um ano depois do Resgate Financeiro do Presidente Obama. Teve como principais Accionistas a Google e o Super-Banco que Obama e o seu Congresso ajudaram a salvar, o Goldman-Sachs. Para perceberem melhor o que é o Goldman-Sachs, aconselho-vos a ler esta lista de ex-funcionários. O Presidente do Goldman-Sachs é o Sr. Lloyd Biankfein que chegou num dia a afirmar que era "…uma Obra de Deus" devido às suas ligações com a Maçonaria. Por outro lado, o Presidente da Google é o Sr. Eric Schmidt. O Sr. Schmidt chegou a pertencer ao Conselho Administrativo da Apple mas, quando Steve Jobs descobriu as suas ligações com o Clube de Bilderberg, rapidamente tomou providências para que jamais pertencesse à Marca da Maçã. Não esqueçamos que, daquele Clube, fazem parte o Sr. Bill Gates (Fundador da Microsoft e grande investidor da Monsanto), Durão Barroso, a sucessora de Vítor Gaspar, Maria Luís Albuquerque e, claro, o Super-Banco Goldman Sachs.

O Big-Brother…

Se eu vos indicar o nome "Obama Tech Dinner", provavelmente não vos diz nada mas, vou esclarecer-vos. No dia 18 de Fevereiro de 2011 e devido à debilidade da saúde de Steve Jobs, Barack Obama decidiu reunir as Gigantes da Tecnologia num jantar informal na Casa Branca. A notícia só foi divulgada durante o evento e a fotografia seguinte foi a única a ser autorizada:

The-Tech-Supper.png

Olhando para a foto, conseguem perceber o que realmente se passa no Planeta Terra. Mas, caso tenham dúvidas, passo-vos a explicar aqueles que desconhecem:

* A Genentech é uma Empresa de Biotecnologia pertencente à Farmaceutica Suíça Roche;

* A Cisco é uma das maiores empresas de Telecomunicações de Voz e Dados do Mundo;

* Doerr Kleiner foi um dos impulsionadores de Empresas como a Google, a Amazon e o Twitter;

* A Oracle é uma das maiores empresas de Bases-de-Dados Empresariais do Mundo;

* A Netflix é uma das maiores Distribuidoras de Conteúdos do Planeta;

* Hennessy Stanford foi um dos Pioneiros das Arquitecturas de Redes de Computadores.

Observando esta fotografia, podemos concluir que, à mesma mesa, estavam as pessoas que sabem o seguinte:

* Os Dados que as Empresas guardam;

* Toda a Tecnologia que permite distribuir Informação;

* Os Gostos, a Informação e a quem pertence esses Gostos e essa Informação;

* Quais são os vossos Amigos e o estado das Relações Inter-Pessoais;

* Quem Compra, o que Compra mas também o que Vê e Ouve;

* A Informação divulgada pelos Media.

Mesmo sabendo esta informação detalhada sobre a População Mundial, somente nos restava saber um único ponto: Onde está quem e por onde se move!?

Foi para responder a esta questão que a UBER foi criada pela Google e pelo Goldman-Sachs. No entanto, por forma a atrair um maior número de pessoas, tiveram que baixar os preços em relação aos Taxis assim como melhorar o meio de transporte, ou seja, os carros.  Na Aplicação da UBER e graças à Tecnologia Multitasking dos Telemóveis actuais, o Sistema de Geolocalização funciona de uma forma "escondida". Por outras palavras, a Aplicação da UBER sabe sempre onde o dono do telemóvel está mesmo que não esteja a usar a Aplicação. Resumidamente, estamos perante um cenário de "Big Brother".

Além do que referi anteriormente, a UBER envia ao Goldman-Sachs todos os vossos Dados Bancários, incluindo o Código de Segurança de 3 Dígitos que o vosso Cartão de Crédito tem. Para piorar este cenário, o Goldman-Sachs fica a saber o número de clientes por Banco e, acreditem, essa informação é extremamente importante quando o Goldman-Sachs pretende fazer aquisições de Bancos Locais como é o caso do nosso Banco Comercial Português ou quando quer destruir um Banco como aconteceu ao Grupo Espírito Santo.

Votando à geoposição dos donos dos telemóveis, essa informação é de extrema importância visto que, se somarmos os gostos de cada um devidamente fornecidos pelo Facebook aos dados de consumo, naturalmente que conseguimos manipular as Leis de Mercado conforme desejamos. Assim sendo e com a ajuda de Governantes como Durão Barroso, Vítor Gaspar, Maria Luís Albuquerque e Assunção Cristas (ex-Ministra da Agricultura, grande apoiante da Monsanto e esposa do Presidente da UBER Portuguesa), já estamos em plena na Nova Ordem Mundial.

Terminando…

Antigamente, os Estados e a Economia não sabia nada sobre a sua Vida. Agora, a Banca sabe como gastam os vosso dinheiro, há Empresas que sabem com quem vocês se dão e do que falam, há Empresas que sabem o que procuram e o do que gostam; há

Empresas que sabem os vossos Dados Bancários assim como os Dados que a sua empresa detém e, finalmente, há empresas que sabem por onde você anda e onde está. Agora pergunto:

Ainda tem Vida Pessoal!?

 

segunda-feira, outubro 17, 2016


MAIS ACHAS PARA A FOGUEIRA DO FORTE DE PENICHE
Algumas das pessoas que eu respeito e leio com prazer como é o caso de João Taborda da Gama e Daniel Oliveira, e em tempos idos Pacheco Pereira, têm vindo a escrever sobre o fim anunciado da reserva moral da nação portuguesa que é a prisão política do Estado Novo que foi instalada no Forte de Peniche.

Todos eles são unânimes no conceito deveria presidir à sua preservação: Para que não se esqueçam as páginas negras do Portugal Moderno.

Assim foi na África do Sul com a cela de Nelson Mandela e em Auschwitz no sul da Polónia com o campo de extermínio dos Judeus.

Todos estes locais são campos de extermínio. De comunistas, de pretos e de judeus. Tudo o que é abominado na Declaração Universal dos Direitos do Homem, que determina que ninguém pode ser banido da sociedade por aquilo em que acredita, pela sua raça ou religião.

 

Mas continuemos com esta história abominável que se tece à volta do forte de Peniche. Tudo se inicia com uma presidência da Câmara PS e com o Apoio da Região de Turismo do Oeste também PS nos idos de 2000. Nesse tempo dá-se a 1ª visita de Siza Vieira ao Forte de Peniche para verificar “in loco” a eventual requalificação do Forte de Peniche para mais uma pousada do Grupo Pestana.

Esta história não é nova portanto. Já tem cerca de 20 anos e foi sempre apresentada como moeda de troca para os apetites do Grupo Pestana. O simbolismo e a história do Forte nunca foram preocupação.

Os anos da crise remeteram para as calendas gregas este aproveitamento. Que parece terem lugar agora. PS e PCP uniram esforços para este imbróglio. Nada os fará parar. E não contem com a Câmara Municipal de Peniche para se opor a este acto de lesa Pátria. Para eles (Presidente e Vice-Presidente da Câmara) aparecerem nas Televisões com os líderes do Grupo Pestana é tudo o que mais podem desejar da vida. Até porque auguram (ao verem o exemplo do Barroso), que os pode vir a aguardar um promissor futuro. Os ideais e o sofrimento dos que lutaram já passou.

Agora vem o tempo dos flashes e do show business. E digamos em abono da verdade que os nossos políticos locais até têm figura para aparecerem na Caras. Quem sofreu que tivesse sido esperto e não se deixasse apanhar. E afinal só lhes resta um ano para ganhar o futuro. Câmara comunista? Deixem-me rir. Tem tanto de comunista como eu de santo. É ver a quantidade de habitação social deixada ao abandono. A lei das paridades deveria impor também um QI mínimo para dela poder fazer parte quem quer que fosse.

Quando me contarem anedotas por favor, contem as que quiserem menos essa de que a Câmara de Peniche é comunista.

 

 

domingo, outubro 16, 2016

HISTÓRIAS SOBRE CONFUSÕES
Levanta-se o cumpadri Manel cedinho, ( lá p'las 9 da mnhê ), e vai ao poço para tirar água; Quando lá chega, espreita para o fundo a ver a altura da água, vê o seu reflexo e desata a gritar:
- MARIA, MARIA vem cá depressa que está um hôme no fundo do nosso poço...
Vem a Maria, olham lá para dentro e diz:
- Nã é um hôme, é um hôme e uma mulher, vai depressa chamar a Guarda.
Quando o Manel chega ao posto da G.N.R., eram 11 horas, bate à porta, (que ainda estava fechado), vem o plantão a resmungar:
- Ca porra queris p'rá acordar a autoridade de madrugada?
O Manel conta o sucedido, e lá foram, quando chegaram ao poço eis o veredicto do agente:
- Se vocêis fossem bardamerda, já lá está um colega meu, eli que tome conta da  ocorrência!!!!!!!


 
Um puto pergunta ao pai: - Ó pai, o que é a realidade virtual?
- Bem, isso é um pouco difícil de explicar - respondeu o pai
- Vamos ver um exemplo.
Vai perguntar à tua irmã se por 500 contos ela é capaz de dormir com o vizinho aqui do lado. O puto assim fez.
Chegou ao pé da irmã e perguntou:
- Ó mana, por 500 contos tu eras capaz de dormir com o vizinho do lado?
- Sim, respondeu a irmã, por 500 contos era capaz.
Dormia, sim.
O puto voltou para junto do pai e contou-lhe o resultado da consulta à irmã.
Então o pai mandou-o fazer a mesma pergunta à mãe. O puto assim fez:
- Ó mãe, por 500 contos tu eras capaz de dormir com o vizinho do lado?
- Bem, respondeu a mãe, por 500 contos eu era capaz.
O puto voltou junto do pai e disse:- Ó pai, a mãe também disse que sim!
- Estás a ver, meu filho, virtualmente nós temos 1000 contos cá em casa.
Na realidade temos duas putas.


quinta-feira, outubro 13, 2016

terça-feira, outubro 11, 2016


UMA FOTOGRAFIA

Em 1954 o meu sogro (Álvaro Santos Martins) era guarda prisional. As suas características humanas levaram a que fosse perseguido pelos seus chefes, castigado com alteração da sua localização, e, posteriormente a sua detenção, julgamento e prisão. Foi espancado, maltratado e submetido a sevícias pelos PIDEs e dolorosamente afastado dos seus filhos e mulher.

Tudo foi feito para lhe diminuir a dignidade e os seus valores humanos.

Nesse ano de 1954, os filhos do meu sogro comiam as sobras do pão que o diabo amassou, que amigos e correligionários desapareceram todos até ao 25 de Abril, quando por milagre, de um dia para o outro todos se tornaram comunistas.

Nesse Verão de 1954 a Anita e a Natália foram à praia do Baleal com o Zé Domingos (filho do Domingos da Rola) e tiraram uma fotografia.

Nesse Verão de 1954 a minha sogra foi visitar o marido deu-lhe a fotografia onde ele no verso escreveu: “23 de Agosto de 1954. Recebida no Reduto Norte de Caxias, sala 3 – 1º Andar. A Anita, o Zé domingos e a Natália.

 Nesse Verão num bocado de Caxias as pedras foram areia e o cimento fez-se mar. Ao longe todo o casario se tornou o Solar da Encarnação de Ferrel. E por mais noite que caísse era o sol do Baleal que brilhava. E a noite fazia-se dia com as suas meninas sorrindo para ele e o Zé Domingos a apoiar as suas amigas de sempre.   

segunda-feira, outubro 10, 2016


TODOS POR GUTERRES

TODOS CONTRA GUTERRES

Quando apresentou a demissão de 1º Ministro, tudo e todos do interior do PS à oposição mais obtusa que em Portugal se manifesta sempre que é outro (qualquer um) o partido do Governo. Churchill definiu bem esta situação ao afirmar que “nos partidos da oposição tenho os meus adversários. No meu partido tenho os inimigos”.

Pois é. Nessa altura e não será preciso recordar os nomes, não é assim oh Barroso, o 1º Ministro que se demitia era um autêntico “monte de esterco” para o nosso país. De imediato os do seu partido lhe fizeram o funeral e os outros apressaram-se em incinerá-lo de forma definitiva. Não servia para 1º Ministro de Portugal.

E era ver o que diziam os politólogos da situação. Guterres era incapaz de decidir. Era um conciliador. Era um tímido. Não sabia dar um murro na mesa. Inapto. Sei lá o que mais lhe chamaram…

Os jornalistas quais vampiros atiraram-se à única coisa em que o cansaço o venceu. Ele que se licenciou com 19 em Engenharia no Técnico. A SIC e em particular a SIC Noticias durante anos mostrou para gozar de forma despudorada, a cena do seu engano com os números de défice. Como se isso importasse minimamente a quem fosse sequer um pouco inteligente. Importante para a SIC era o José Gomes Ferreira.  

Quem substituiu Guterres como 1º Ministro? O assassino do povo iraquiano. Um tal de durão barroso. Que depois de fazer merda em Portugal e na comunidade da treta se passou de malas e bagagens para quem paga melhor.

Quem substitui Guterres como secretário-geral do PS? Um tal de socras. Acusado de quantos crimes de corrupção já existiram em Portugal. Ex-presidiário.

Tudo ironias do destino?  

Entretanto o Guterres lá continuou em busca do seu sonho. E se Portugal o achava imprestável, outros cenários poderiam considera-lo aproveitável. Contra aqueles que o desacreditavam lá foi. Contra os que faziam dos jogos do poder o seu elixir, lá ia o Guterres sossegadinho, no seu caminho.

Até que começou a acreditar que não era ele que sobrava em Portugal. Era Portugal a ele que já não era suficiente. Pessoas são pessoas em todo o lado. Conflitos são importantes quando merece a pena travá-los e mediá-los. E começa a creditar que vale a pena. E luta quando ninguém (excepto muito poucos) parece nele acreditar. E luta. E pacifica ódios e raivas. E torna-se consensual. Aquilo que em Portugal foi a razão do seu afastamento, tornou-se um bem maior à escala global.

E é ver políticos e politólogos, jornalistas e comentadores. Jornais e Televisões, todos à uma a incensar o Zé das Couves que não servia para Portugal. E como corolário disto tudo já toda a gente tem os remédios para os males deste mundo. É ler o que escrevem, ouvir o que dizem. Todos têm recados para o que Guterres deve fazer. Os que o ostracizaram agora ensinam-no e educam-no.

Cuspiram no seu prato e agora estendem-lhe os vómitos da sua incapacidade. Mantenham-se discretos. Podem fazer o favor de se afastar para dar lugar a quem sabe que a vida só traz felicidade quando acreditamos.   

sábado, outubro 08, 2016

SORRIA...PELA SUA SAÚDE
o embaraço da escolha
 uma loira fez stop
 não se pode ser cão de donas burras
 brincadeiras do caraças
 queixinhas...

quinta-feira, outubro 06, 2016


SER UM PORTUGUÊS FELIZ

O dia 5 de Outubro de 2016 trouxe aos portugueses algumas razões para se sentirem felizes.

Desde logo pela reposição do Dia 5 de Outubro como um dos dias de Portugal e que em péssima e tenebrosa hora PSD e CDS tentaram varrer da nossa memória colectiva. Não estou à espera de grandes festejos e que as gerações mais novas sintam a mesma emoção que eu sinto. Mas a existência da celebração deste dia permitirá que alguns se interroguem sobre o seu significado e isso, já será suficiente para os filhos dos nossos filhos olharem com admiração para a história da Pátria Portuguesa.

Para mim o 5 de Outubro tem uma particular importância. É o Dia de anos do meu pai. Que desta vez foi comemorado com “arroz de pato” e com bolo de laranja. O meu pai está aqui todos os dias presente. Afinal foi neste espaço que ele nasceu e que enquanto eu tiver condições para isso aqui será celebrado.

Por último. Que melhor notícia para comemorar este dia do que aquela que foi divulgada na tarde deste dia, com a nomeação de António Guterres para o cargo de Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Para nós Portugal, que ao longo dos últimos anos temos sido tão maltratados por muitos dos que se dizem países nossos aliados e amigos é uma notícia que nos faz crescer de orgulho. Somos donos dos nossos próprios méritos que não são hipotecados nem pela alta finança, nem pelos senhores da economia hostil para com os deserdados.

António Guterres é um homem de valores. De causas. De ideais. Dos que infelizmente já não vão abundando nos dias de hoje. É um humanista. Um homem da Utopia. Um homem da Paz e do Amor.

Desejo-lhe as maiores felicidades para o exercício do seu cargo. Esperam isso também dele os famintos, os feridos das guerras. Os que sofrem pela ganância dos senhores do mundo. Os desalojados.   

terça-feira, outubro 04, 2016

sábado, outubro 01, 2016

POUCO CUIDADO COM A ROUPA (OU TALVEZ NÃO...)