domingo, dezembro 22, 2013

BOAS FESTAS

A todos os que por aqui passarem desejo umas festas felicíssimas. Claro que não será para muitos. A dor, a infelicidade e o ruir de muitas esperanças não permitirá a muitos poderem encarar com alegria este período.
Resta acreditar que existirá uma réstia de esperança algures para cada um de nós. Que possamos ser felizes apesar de tudo.

sexta-feira, dezembro 20, 2013

HISTÓRIAS DE ENCANTAR...

CINDERELA
 BRANCA DE NEVE
 CAPUCHINHO VERMELHO
 A BELA ADORMECIDA
 JASMINE (in ALADINO)
 A BELA E O MONSTRO
 BARBIE NO 50º ANIVERSÁRIO
 TWEETY AOS 60 ANOS
 SUPERHOMEM
 THOR
 
MULHER MARAVILHA
 BATMAN E ROBIN
 HOMEM ARANHA

terça-feira, dezembro 17, 2013

O ÚLTIMO ABRAÇO QUE ME DÁS

Nesta quadra de Natal e quando tantas coisas que eu não gostaria que acontecessem se deram, recebi da minha filha um email com um recorte da revista "Visão". A leitura deste permitiu que vários sentimentos fluíssem em mim. Só refiro 2 deles. O Amor que senti pela minha filha por me ter enviado este recorte, e o que senti por ver um dos maiores escritores portugueses tocados pelas coisas simples que nos tornam humanos. Merece a pena.

O ÚLTIMO ABRAÇO QUE ME DÁS
in "Visão"

por António Lobo Antunes
16:42 Quinta, 12 de Dezembro de 2013

 
Para Luís Costa

O lugar onde, até hoje, senti mais orgulho em ser pessoa foi o Serviço de Oncologia do Hospital de Santa Maria, onde a elegância dos doentes os transforma em reis. Numa das últimas vezes que lá fui encontrei um homem que conheço há muitos anos. Estava tão magro que demorei a perceber quem era. Disse-me

- Abrace-me porque é o último abraço que me dá durante o abraço

- Tenho muita pena de não acabar a tese de doutoramento

e, ao afastarmo-nos, sorriu. Nunca vi um sorriso com tanta dor entre parêntesis, nunca imaginei que fosse tão bonito.

Com o meu corpo contra o dele veio-me à cabeça, instantâneo, o fragmento de um poema do meu amigo Alexandre O'Neill, que diz que apenas entre os homens, e por eles, vale a pena viver. E descobri-me cheio de respeito e amor. Um rapaz, de cerca de vinte anos, que fazia quimioterapia ao pé de mim, numa determinação tranquila:

- Estou aqui para lutar

e, por estranho que pareça, havia alegria em cada gesto seu. Achei nele o medo também, mais do que o medo, o terror e, ao mesmo tempo que o terror, a coragem e a esperança.

A extraordinária delicadeza e atenção dos médicos, dos enfermeiros, comoveu-me. Tropecei no desespero, no malestar físico, na presença da morte, na surpresa da dor, na horrível solidão da proximidade do fim, que se me afigura de uma injustiça intolerável. Não fomos feitos para isto, fomos feitos para a vida. O cabelo cresce-me de novo, acho-me, fisicamente, como antes, estou a acabar o livro e o meu pensamento desvia-se constantemente para a voz de um homem no meu ouvido

- Acabar a tese de doutoramento, acabar a tese de doutoramento, acabar a tese de doutoramento

porque não aceito a aceitação, porque não aceito a crueldade, porque não aceito que destruam companheiros. A rapariga com a peruca no braço da cadeira. O senhor que não olhava para ninguém, olhava para o vazio. Ali, na sala de quimioterapia, jamais escutei um gemido, jamais vi uma lágrima. Somente feições sérias, de uma seriedade que não topei em mais parte alguma, rostos com o mundo inteiro em cada prega, traços esculpidos a fogo na pele. Vi morrer gente quando era médico, vi morrer gente na guerra, e continuo sem compreender. Isso eu sei que não compreenderei. Que me espanta. Que me faz zangar. Abrace-me porque é o último abraço que me dá: é uma frase que se entenda, esta? Morreu há muito pouco tempo. Foda-se. Perdoem esta palavra mas é a única que me sai. Foda-se. Quando eu era pequeno ninguém morria. Porque carga de água se morre agora, pelo simples facto de eu ter crescido? Morra um homem fique fama, declaravam os contrabandistas da raia. Se tivermos sorte alguém se lembrará de nós com saudade. De mim ficarão os livros. E depois? Tolstoi, no seu diário: sou o melhor; e depois? E depois nada porque a fama é nada.

O que é muito mais do que nada são estas criaturas feridas, a recordação profundamente lancinante de uma peruca de mulher num braço de cadeira. Se eu estivesse ali sozinho, sem ninguém a ver-me, acariciava uma daquelas madeixas horas sem fim. No termo das sessões de quimioterapia as pessoas vão-se embora. Ao desaparecerem na porta penso: o que farão agora? E apetece-me ir com eles, impedir que lhes façam mal:

- Abrace-me porque talvez não seja o último abraço que me dá.

Ao M. foi. E pode afigurar-se estranho mas ainda o trago na pele. Durante quanto tempo vou ficar com ele tatuado? O lugar onde, até hoje, senti mais orgulho em ser pessoa foi o Serviço de Oncologia do Hospital de Santa Maria onde a dignidade dos escravos da doença os transforma em gigantes, onde só existem, nas palavras do Luís, Heróis.

Onde só existem Heróis. Não estou doente agora. Não sei se voltarei a estar. Se voltar a estar, embora não chegue aos calcanhares de herói algum, espero comportar-me como um homem. Oxalá o consiga. Como escreveu Torga o destino destina mas o resto é comigo. E é. Muito boa tarde a todos e as melhoras: é assim que se despedem no Serviço de Oncologia. Muito boa tarde a todos e até já, mesmo que seja o último abraço que damos.

segunda-feira, dezembro 16, 2013

UMA HISTÓRIA...


O avô conta ao seu neto João as grandes mudanças que aconteceram na sociedade, desde a sua juventude até agora:

« Sabes, João, quando eu era pequeno, a minha mãe dava-me dez escudos = (+/-) 5 cêntimos de hoje.
Com isso, mandava-me à mercearia da esquina.
Então, eu voltava com um pacote de manteiga, dois litros de leite, um saco de batatas, um queijo, um pacote de açúcar, um pão e uma dúzia de ovos.
O neto João retorquiu:

- Mas ... avô, nesse teu tempo não havia câmaras de vigilância ?!... »

sábado, dezembro 14, 2013

OUÇAM...

...e esqueçam a porcaria dos governantes que temos e das leis com que nos espoliam todos os dias. A nós, aos nossos filhos e outros descendentes.
Que o Demo os acolha em sua glória e o Stevan Segal execute o trabalho como é sua obrigação.

http://www.youtube.com/watch_popup?v=cgJRlu3ws3w

quarta-feira, dezembro 11, 2013

PAI NATAL: - MEU QUERIDO AMIGO

Venho por este meio apresentar-lhe as minhas saudações natalícias. Votos de que esteja bem de saúde bem como as suas simpáticas renas. Bem preciso que elas estejam em forma, para poderem chegar ao meu país e à minha terra.

Quero dizer-lhe em primeiro lugar que julgo que desde o Natal anterior me portei bem. Não me inscrevi em nenhum partido político, logo não fiz promessas que não poderei cumprir. Para além de ter votado na minha mulher e no meu alter-ego Henrique Bertino, não votei em mais ninguém. Também não faço parte de nenhuma seita religiosa e não ando a tirar fotografias de mim mesmo quando pratico algum acto mais bondoso. A minha mão esquerda não sabe rigorosamente do que a minha mão direita faz.
É claro que tenho tido algumas atitudes que poderão ser encaradas por alguns como um tanto verrinosas. Mas trata-se de questões de valores que defendo e aos quais não posso fugir. Mas se o Pai Natal não for muito exigente penso que me pode relevar esses pecadilhos já que foram cometidos em defesa do bem comum.
Posto isto, quero aqui deixar os meus pedidos para o meu sapatão deste ano de 2014:

Pedido – Por favor manda embora o Governo do meu país e protege os velhos, as crianças, os jovens e os doentes, que tão maltratados têm sido. Que se alguém tirar que sair do meu país, sejam estes governantes doentiamente maldosos e incompetentes e os seus comparsas do dinheiro de quem são fiéis servos. Libertai Portugal meu querido Pai Natal, de quem o está a destruir.

Pedido – Libertai a minha terra (Peniche) dos oportunismos fúteis e pueris que a conduzem para a sua autodestruição. Que quem governa possa governar e que quem perdeu deixe governar quem ganhou. Que aquela gentinha da Assembleia Municipal ganhe juízo e sejam verticalmente honestos, não querendo na secretaria ganhar o que o os eleitores não lhe deram. Que na Câmara Municipal não se tente destruir a possibilidade de o executivo desenvolver o trabalho que deve, sem entraves, de forma a provar o que é capaz ou não de fazer. Sejam vigilantes mas não travões.

Pedido – Que se retirem os cartazes que ainda restam em alguns locais, com as “fronhas” dos candidatos autárquicos. Já chega de propaganda espúria.

Pedido – Que se retirem os cartazes em que se prometiam obras em Bairros Sociais em momentos ante eleitorais e que não se realizaram nunca. Que se prometa só o que se pode cumprir. E reafirmo aqui que antes a recuperação do Bairro do Calvário que 500 carnavais de Inverno ou de verão.

Pedidos - Que se limpem as dunas das areias removidas da limpeza do fosso das muralhas. Já chega de incúria.

Pedido – Que se tome uma atitude definitiva sobre a Biblioteca Municipal. Para quando e para quê? Um povo que lê é um povo com uma sabedoria imensa. E isso é contraproducente para os políticos. ABAIXO AS RUINAS DA BIBLIOTECA. Morra. Pum!

Pedido – Que se tome uma decisão sobre o edifício António Bento. Ou vai ou não vai. E se não vai não finjam.

 Pai Natal:
Pedi demais? Havia de ver o que tenho em carteira. Mas como não o quero impedir de satisfazer outros pedidos de amigos e conhecidos seus, tão merecedores de atenção quanto eu, fico-me por aqui por estas coisas mais evidentes.
Obrigado pelo que conseguir. Fico-lhe grato.    

  

 

 

terça-feira, dezembro 10, 2013

domingo, dezembro 08, 2013

UMA AULA DE EDUCAÇÃO SEXUAL

Anita, de sete anos, regressa a casa vinda da escola. 
Tinha tido a primeira aula de educação sexual.   
A mãe, muito interessada pergunta:
 -Como é que correu? 
Quase morri de vergonha! - respondeu a pequena Anita.
- Porquê? - perguntou a mãe.   
Anita respondeu: 
O Zezinho, o menino com o cabelo ruivo, disse que foi a cegonha que o trouxe. 
- O Marco, da livraria, disse que veio de Paris.
 - A Cristina, a vizinha do lado, disse que foi comprada num orfanato e o Tó disse que foi comprado no hospital.
 - O Paulinho disse que nasceu de uma proveta  
- O André disse que nasceu de uma barriga de aluguer.   
A mãe de Anita respondeu quase sorrindo: 
-Mas isso não é motivo para te sentires envergonhada... 
- Não, já sei, mas não me atrevi a dizer-lhes que como nós somos pobres, tiveste que ser tu e o pai a fazer-me...!!!

sábado, dezembro 07, 2013

BURRA MAS HONRADA

Uma garota, ia sair pela primeira vez com um homem. A mãe dela apreensiva, deu algumas instruções:  
  • Olha minha filha, ele te convidou pra sair, você vai;
  • Ele vai te levar pra jantar, você vai;
  • Ele vai te convidar pra conhecer o apartamento dele, você vai;
  • Ele vai te oferecer uma bebida, você aceita;
  • Ele vai te convidar pra ir pro quarto, você vai;
  • Ele vai te convidar pra tirar a roupa, você tira;
  • Ele vai te pedir pra deitar na cama, você deita...
Mas, na hora em que ele for subir em cima de você pra desonrar a sua família, você não deixa, viu minha filha? 
Tudo avisado, a garota saiu. 

Quando chegou, foi contar pra a mãe o ocorrido:
  
  • Tudo o que a Senhora falou era verdade, mãe!Ele fez tudinho! Só que na hora que ele foi subir em cima de mim pra desonrar minha família...
  • Você saiu da cama, né, filha? Perguntou a mãe, apreensiva.
  • Melhor!!!!! Eu subi em cima dele e desonrei a família dele!  

quinta-feira, dezembro 05, 2013

Morreu Nelson Mandela
Que o seu exemplo frutifique no futuro como exemplo de Paz, Liberdade e Democracia.

quarta-feira, dezembro 04, 2013

de... 4 CASAMENTOS E UM FUNERAL

Funeral Blues
w.h. auden

Pare os relógios, cale o telefone
Evite o latido do cão com um osso
Emudeça o piano e que o tambor surdo anuncie
a vinda do caixão, seguido pelo cortejo.
Que os aviões voem em círculos, gemendo
e que escrevam no céu o anúncio: ele morreu.
Ponham laços pretos nos pescoços brancos das pombas de rua
e que guardas de trânsito usem finas luvas de breu.
Ele era meu Norte, meu Sul, meu Leste e Oeste
Meus dias úteis, meus finais-de-semana,
meu meio-dia, meia-noite, minha fala e meu canto.
Eu pensava que o amor era eterno; estava errado
As estrelas não são mais necessárias; apague-as uma por uma
Guarde a lua, desmonte o sol
Despeje o mar e livre-se da floresta
pois nada mais poderá ser bom como antes era.

terça-feira, dezembro 03, 2013

EUROPA: - UM FIM TRÁGICO

Quando trabalhei na Guiné-Bissau como cooperante nos anos 70 do século passado, conheci um outro cooperante lá o Zé Manel dos Santos que foi a primeira pessoa a chamar-me a atenção para a decadência da Europa, um continente que perdia os seus valores, a sua criatividade, a Beleza da explosão da Arte nos corações dos seus artistas. Aproxima-se o Tempo da decadência da Europa, dizia o Zé Manel, e do florescimento de outros continentes como fontes civilizacionais.

Hoje, 40 anos passados, isso tornou-se por demais evidente e são muitos que  referem essa evidência hoje clara, à qual se mantiveram alheios durante dezenas de anos.
Bem se tentou uma União Europeia que aproveitasse o que de melhor havia da Alma da Europa, mas cedo os incompetentes e os trauliteiros da política se aproveitaram dos sonhos e os tornaram em pesadelos. Quando um qualquer durão barroso se torna presidente da UE é porque atingimos mesmo o limite da degradação do ideal europeísta. Monnet, Shuman e Adenauer sonharam criar as bases de um envolvimento social dos cidadãos europeus que impedisse a hostilidade e o domínio de alguns estados sobre outros estados mais frágeis. Tudo em debalde. Hoje assistimos à mais dolorosa das vilanias que é o domínio económico de alguns países mais poderosos sobre outros mais carenciados, conduzindo milhares de cidadãos europeus, na Grécia, Espanha, Itália, Portugal e Irlanda a situações de pobreza extrema, que passam a depender de atitudes assistenciais suprimido que foi ou está em vias de o ser o Estado Social.

Alguns políticos portugueses viram com algum tempo o que estava a acontecer. Infelizmente o facilitismo e a ignorância permitiu que o pior acontecesse. E hoje um grupo de mafiosos, corruptos e servidores da hegemonia dos poderosos tomou conta de governos e centros de poder, entregando os destinos de uma europa podre aos donos da economia mundial.

Nota: Portugal manteve, em 2013, o 33.º lugar no Índice de Perceção da Corrupção da organização Transparência Internacional, mas perdeu pontuação numa lista que este ano inclui mais um país do que em 2012.

segunda-feira, dezembro 02, 2013

AVALIAÇÃO DE PROFESSORES

Já manifestei o meu desacordo substantivo com a actual equipa do Ministério da Educação. São “broncos” e burros”. São “incompetentes” e “voláteis”. Destruíram tudo quanto de positivo se tem vindo a criar ao longo de muitos anos e em substituição desses valores têm vindo a edificar uma escola para ricos e a deixar cair a escola dos pobres onde podem ensaiar novas experiências assistenciais. Recusam tudo quanto cientistas competentes têm vindo a desenvolver em defesa de modelos educativos democráticos (caso da autonomia das escolas) e garroteiam todo e qualquer espaço de criatividade que ao espaço escolar compete.
Tudo isto já afirmei aqui.
Mas isso não me torna mais susceptível a aceitar que no que concerne a avaliação de professores esbarre no poderoso muro corporativo doa agentes docentes.

Tudo serve para recusar qualquer forma de avaliação seja ela qual for. Na televisão ouvem-se os mais tenebrosos argumentos a defender essa recusa, próprios de quem é tão incompetente e ignorante como aqueles que determinam modelos de avaliação de professores esquecidos desde o tempo da idade média. Aqui há dias uma docente afirmava que se recusava a fazer prova de capacidade para leccionar, porque tinha feito uma licenciatura e um mestrado e essa seria a maior prova de que poderia leccionar. Nada mais completamente falso. A professora em questão até poderia ter um doutoramento, mas isso jamais faria dela uma professora se lhe faltarem qualidades pedagógico-didácticas para tal. O que não faltam aí são professores com licenciaturas e mestrados sem que isso represente qualquer valor acrescentado para as escolas ou para os alunos. Saber não é sinónimo de que se saiba transmitir conhecimentos. Isso também se aprende e nem todos são capazes de o fazer, tenham embora as licenciaturas que quiserem. Quanto aos mestrados, estamos conversados sobre o que os mestrados que fazem se aplicam de perto ou de longe ao percurso escolar do docente.

No dia em que os professores aceitarem ser avaliados de forma credível eu mudarei de opinião sobre a credibilidade que me merecem. Até lá merecem-me tanta quanto o Ministério da Educação.

 

quinta-feira, novembro 28, 2013

HUMILHADOS & OFENDIDOS

Depois de 2 semanas prenhes de manifestações de repúdio e ódio o Governo responde ao Povo Português da melhor forma que o sabe fazer: - Despedindo de uma assentada 620 trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana de Castelo. O odiento e odiado Aguiar-Branco, filho de família ilustre com nome com hífen e tudo, acaba de se ver livre de mais umas centenas de “gajos da ferrugem e de mãos sujas” que lhe perturbam o sono. Por estas e por outras é que ele acha que a Constituição é um alvo a derrubar.

Eu sugeriria estes senhores do governo fizessem como o governo húngaro. Extinguissem a “porcaria” da constituição e governassem a seu bel-prazer com a bênção do seu presidente.

Perpassam por mim mil desejos e um milhão de vontades. Na recta final da minha vida vejo regressar-me a um tempo a que eu pensava ser de todo impossível voltar. Só que neste momento o inimigo é mais insidioso. Mais invisível. Mais inteligente. A coberto de uma pretensa “democracia” eleitoral atingem os seus objectivos e depois não há como pará-los. Os muito ricos multiplicam-se. Tal como os pobres. Um país sem educação, sem cultura, com crianças mal alimentadas e velhos sem acesso à saúde, é um país sem passado nem futuro. Servirá o presente de uns quantos, mas estará condenado à ignomínia.

  

terça-feira, novembro 26, 2013

ÉTICA OU FALTA DELA

O irrevogável portas deu-se ao desplante de criticar pelas palavras que proferiu o Dr. Mário Soares.

Existem pessoas que pelo que deram de si ultrapassam o limite das conveniências e tornam-se credores de capacidades de expressão que não são permitidas ao comum dos mortais.
Quando Picasso pintou a Guernica isso foi um acto de violência para combater a violência. Quando Miguel Ângelo fez a Pietá, deu-nos um legado que nos violenta para podermos compreender como o execrável comportamento humano pode transformar um filho num farrapo humano nos braços de sua mãe.
Quando Brecht escreve a sua poesia e o seu teatro está a usar a violência da linguagem, para combater a violência das palavras. E que dizer de Wagner ou de Tchaikvsky? E do papel que José Afonso representou em Portugal com as suas canções?
“Trago palavras como bofetadas…” Assim é a violência do pensamento utilizada pelo Dr. Mário Soares contra a violência que condena à fome e à miséria todo um povo. Contra a miserável acção que o portas e o coelho exercem contra velhos e crianças.

Acresce que o portas não tem nem ética nem moral para criticar rigorosamente ninguém. As suas atitudes de prima-donna custaram há uns meses milhares de milhões de euros ao povo português em prjuizos na bolsa e na divida pública. Para já não falar da compra de submarinos, que aí são contas de outro rosário. Portanto sobre o que o portas vai dizendo estamos conversados.

segunda-feira, novembro 25, 2013

A LEGITIMIDADE DO GOVERNO

Discute-se muito se o actual governo tem ou não legitimidade para continuar a exercer o poder executivo do país. Para mim que sou burro, o actual governo é ilegítimo e fraudulento. Se subsistem dúvidas sobre esta minha afirmação, recupere-se a entrevista de Fernando Moreira de Sá à revista “Visão”  e perceba-se como o actual governo chegou ao poder sobre a batuta de Miguel Relvas. Ou se ainda restarem dúvidas recuperem-se as afirmações do sr. Coelho e seus pares durante a campanha eleitoral para as legislativas em que conseguiram a maioria.

O sr. coelho e os jótinhas que com ele conquistaram o poder fizeram-no de forma enganosa e torpe, logo a sua legitimidade fica invalidada pelo incumprimento das regras de um estado de direito. Não é este pois um governo legitimo e os seus membros deveriam responder perante a lei pelas mentiras enganosas com que iludiram os que neles votaram.
Mesmo durante o exercício da governação ao colocarem-se por diversas vezes à margem da lei aprovando leis inconstitucionais, perdem a legitimidade o que num estado de direito os levaria ao banco dos réus.

O actual governo é pois ilegítimo. Para mim que sou burro. Que dirão dele as pessoas inteligentes?

Para além de tudo isto resta recordar que também Adolf Hitler chegou ao poder na nossa querida Alemanha através de eleições. Lá chegado subverteu o jogo democrático de que se utilizou para destruir povos e nações. Transformou a democracia de que se serviu, numa ditadura para oprimir todos os que se lhe opuseram. E resta dizer que na fase inicial do seu exercício como chanceler muitas nações se acobardaram pela #legitimidade” que o elegeu. Resta-me desejar que no meu país não venhamos a arrependermo-nos pela liberdade que conferimos a quem destrói pessoas, lares e famílias, em nome da legitimidade que os elegeu.

sábado, novembro 23, 2013

O NOSSO MUNDO...

...pelo qual merece a pena lutar e acima de tudo, tentar legar aos nossos descendentes   

       http://www.youtube.com/watch_popup?v=2HiUMlOz4UQ&vq=large

sexta-feira, novembro 22, 2013

SECOS & MOLHADOS

A manifestação ontem das forças de segurança, deixou-nos a todos 2 alertas:
O 1º é de que a crise de desespero em que todos vivemos não poupa ninguém sem excepção. O que é horrível. O cinismo e a inverdade com que nos governam tornam possíveis todos os excessos e mal vai quem por apego ao poder não vislumbrar esses sinais e não arrepiar caminho.
O 2º é que as forças de segurança perderam neste desespero a autoridade moral para se imporem em futuras manifestações junto ao Parlamento. Ninguém pode ultrapassar os limites definidos e se ultrapassar, corre o risco de abrir a caixa de pandora que ninguém mais vai voltar a conseguir fechar.

Haja deus. O desastre que quem nos governa anda a semear.

quinta-feira, novembro 21, 2013

ENCONTRO DAS ESQUERDAS

Por iniciativa de Mário Soares reúne hoje em encontro na Aula magna uma conferência com a designação genérica de “Em defesa da Constituição, da Democracia e do Estado social”.

Aderiram desta vez a esta iniciativa, personalidades como: Manuel Alegre, Rui Tavares, Carlos Silva, Rúben de Carvalho, D. Januário Torgal Ferreira, António Capucho, Pacheco pereira, Alberto Martins, Rui Moreira, Carvalho da Silva, General Pinto Ramalho, Freitas do Amaral, Almeida Santos e tantos outros de todos os quadrantes políticos, sociais, artísticos e muitos, muitos anónimos.

Chegou a hora de cada um dos que se preocuparam desde sempre com uma leitura democrática de vivência em Portugal, darem a cara e erguerem o seu protesto pelo actual estado de coisas e levantarem as suas armas pela defesa da sua Pátria. Não podemos aceitar que Portugal se tenha tornado moeda de troca pelas altas instâncias financeiras, e com o apoio deste Governo bizarro e incompetente, e do actual presidente da República,  contra o povo de Portugal.

Que as memórias dos filhos amados deste país, sirvam de força para combatermos o horror que se faz sentir nos nossos lares. Ergamos as armas de que dispomos. Sejamos Portugal.

quarta-feira, novembro 20, 2013

JOÃO CÉSAR DAS NEVES

Este artista que se diz professor universitário (na Universidade Católica Portuguesa), português, católico e cronista de jornais, acordou para a defesa do actual governo de Portugal, desancando nos idiotas, preguiçosos e lamechas nacionais que o habitam.

Declara para que conste, que gastámos dinheiro em futilidades, que o Tribunal Constitucional é um desastre político. Acusa os que se associam de se comportarem corporativamente e vai ao limite de afirmar que a maior parte dos pensionistas que se lastimam andam a fingir que são pobres.
Este católico e pouco cristão adepto do “quanto-pior-melhor-para-os-outros”, que recebe ordenado e outras prebendas, imagina-se a fazer caridade aos pobrezinhos necessários para o país poder crescer economicamente.

Reaparecem movimentos nazis que se autojustificam no abandono a que foram votados por culpa dos outros. Sempre os outros. Os professores, ao pais, os educadores. Resta para se autojustificarem fazer eclodir o egoísmo e afirmações do tipo, os “outros” não prestam. São pessoas abomináveis como o tal homem das neves que nos fazem sentir ódio. Quando um “gajo” protegido acha que todos estamos errados, inicia-se aqui o processo dos fornos crematórios. E não há quem dê um tiro nos “------“ dum tipo destes?  

segunda-feira, novembro 18, 2013

CRATO: - VAI-TE…

Quanto pode a estupidez humana, quando se torna mais importante salvar a própria pele em vez de a por ao serviço da causa pública?
O actual ministro da educação à muito que o deixou de ser. Enrodilhado na cadeia de tramas que criou para poder estar a bem com o poder político vigente e com o poder financeiro que salvaguarda, é um autentico trafulha a fazer saír iniciativas que esvaziem o ministério de educação (e as escolas) do seu objecto principal, o de serem elas motor da inovação e da criatividade. Conseguiu esvaziar as escolas de prazer e de competências, para as tornar pasto de indigência mental absoluta.

É notável a entrevista que ex-Ministro Marçal Grilo deu ao “i” do passado dia 15 de Novembro. Julgo que faria bem a todos os que se interessam pelo processo educativo ler. Aqui se percebe claramente o que pretende este mentecapto crato pretende destruir. Tornar as escolas pasto para os glutões do dinheiro e criar mão de obra barata para as empresas dos senhores do capital, aí está o que este abutre está a tentar conseguir.

Espero sinceramente que ele tenha de todo os dias contados, se entretanto alguém mais desesperado não lhe der um tiro entre as orelhas.
Esta prova de exame que agora pretende implementar é a gota de água no oceano de cretinices que tem desenvolvido. Não lembrava ao diabo arranjar uma fórmula tão mal engendrada para correr com mais 30 000 professores do acesso às escolas.

Que vergonha de país este…  

sábado, novembro 16, 2013

COM TODO O MEU CARINHO...

Vejam e ouçam e, no que vos deixo sintam a minha amizade na vossa luta diária para sobreviver neste Estado Governado por incompetentes e aldrabões
http://youtu.be/ohgZ601pvBk

sexta-feira, novembro 15, 2013

PARA MEMÓRIA FUTURA

Abandonou Portugal à sua sorte e foi pavonear-se contra o seu próprio país por entre os grandes das Finanças deste Mundo.
Conduziu uma parte deste planeta à degradação, ao roubo, à miséria e à morte.
Agora prepara-se para regressar a Portugal.
É bom que os Portugueses não esqueçam quem ele é.



quinta-feira, novembro 14, 2013

PERPLEXIDADES

Há coisas que se passam neste país que me parecem do outro mundo, se é que existe outro mundo.

O PR apressou-se a oferecer os bons ofícios de Portugal para ajudar o governo Moçambicano na resolução do problema dos raptos que se têm multiplicado sobretudo na região de Maputo. Entretanto nos últimos anos têm proliferado na Venezuela, os assassinatos, sequestros e quejandos, sem que o nosso PR tenha feito qualquer oferta ao senhor Chavez ou ao seu herdeiro. Será que esta oferta a Moçambique toca as raias de um neocolonialismo bacoco? Será que o PR onde sente que está mole, carrega? Será que estas ofertas só se dão em situações em que países da Lusofonia demonstram alguma fragilidade? Este PR quanto a mim está a tentar roubar o lugar ao sr. Machete, mas está difícil batê-lo em inconveniências.

O sr. Poiares Maduro perdeu a cabeça. A RTP depois de ter sido para extinguir, agora vai para remodelação e vai arrancar com novos canais. A TDT também estará na mira da RTP na óptica do Maduro. Os canais privados estão desesperados e querem rebentar com a RTP. O Poiares está metido numa camisa de 11 varas. Até que a Tróika o salve. Realmente o Relvas era bem mais português e saloio. Este lá porque vem das estranjas, acha que é artista e avança por caminhos que conduzirão inevitavelmente ao recuo. Mas irá fazê-lo de forma artística. Como professor universitário de meninos betinhos e não como adquirente de cursos avulsos. Haja deus.

Alguns membros do Governo dizem agora que a história do salário mínimo nacional é uma grande falácia. Não pode ser discutida porque a Tróika não deixa. Para o Governo o que a Tróika diz é Bíblia. Discuta-se antes a Constituição (que já existia antes da Tróika e antes do FMI assinar o contrato de apoio a Portugal). Vilipendie-se a capacidade de análise dos Juizes do Tribunal Constitucional. Peça-se apoio ao conhecido responsável por Crimes contra a Humanidade no Iraque. Tudo menos pôr em causa a sacrossanta Tróika. Onde está a capacidade de se fazer ouvir no seu grito do Ipiranga do Governo Português.   

terça-feira, novembro 12, 2013

7º ANIVERSÁRIO

Perfazem hoje 7 anos que iniciei esta actividade na blogosfera. Já por diversas vezes estive tentado a dar-lhe fim. Mas o facto de ter atingido um universo de leitores que me apraz registar, como também o poder deixar para os tempos que se seguirem algumas leituras (minhas) sobre o que é viver e sentir numa terrinha como Peniche, vai deixando que eu independentemente de quem me lê, ou de quem concorda os discorda de mim, dizia eu, vai possibilitando que por cá vá continuando.
O facto de atingir por mês cerca de 2500 leitores é um indicador que não é hora ainda de desaparecer do espaço internáutico.
Brasil
31824
Estados Unidos
5772
Canadá
4312
Alemanha
2664
Rússia
2324
França
1421
Reino Unido
1144
Irlanda
1099
Holanda
843

São estes alguns dos países que abrem este blog. Os que têm um número de leitores mais significativo. Deixa-me perplexo saber que existem pessoas do Afeganistão que me visitam. Isso enche-me de ternura e de alegria. Permite-me pensar que existem situações em que pessoas que nunca imaginei existirem podem ter lido o que por aqui se vai pensando e escrevendo.
Tenho procurado ser fiel ao ideário bloguista. Ser aberto a quem quiser participar e jamais replicar mesmo quando possam deturpar o que escrevo e digo.
Gostaria francamente que mais pessoas participassem discutindo os princípios e valores que aqui vou discutindo. Que os leitores interagissem entre si. Mas reconheço que essa é a parte mais difícil de conseguir.
Reafirmo a minha vontade de não ser isento. De tomar públicas atitudes que permitam ao leitor saber onde me situo.
Judaico-cristão por formação, procuro criar as pontes que me permitam ser aberto a outras correntes de opinião. Mas jamais me inibirei de tomar posição sempre que julgar oportuno.

Espero manter este espaço aberto por mais algum tempo. Enquanto não for assaltado pela doce preguiça ou por qualquer forma de incapacidade intelectual.
Até lá, creiam que vos estimo a todos.

segunda-feira, novembro 11, 2013

A ESCOLA SECUNDÁRIA DE PENICHE E O RANKING

Desde que foi iniciada a publicação da classificação das escolas a nível nacional, tenho acompanhado com tristeza e angústia os resultados da Escola Secundária de Peniche. Está sempre situada ou a meio da tabela ou abaixo desse patamar. Mas mais incomodativo ainda é verificar que nas localidades e escolas que nos são afins os resultados das suas escolas secundárias, não sendo brilhantes (excepção à Raúl Proença) são no entanto francamente mais positivos. Vejamos o que acontece este ano em 614 escolas secundárias avaliadas:
  40ª – Escola Secundária de Raúl Proença (Caldas da Rainha)
122ª  - Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro (Caldas da Rainha)
134ª – Externato de Penafirme (Torres Vedras)
166ª – Escola Secundária Madeira Torres (Torres Vedras)
199ª – Escola Secundária Henriques Nogueira (Torres Vedras)
250ª – Escola Secundária da Lourinhã
298ª – Escola Secundária de Peniche

Gostava de pensar que estes resultados da Escola Secundária de Peniche fariam soar os sinais de alarme aos principais envolvidos. Desde logo a Associação de Pais e Encarregados de Educação. Depois os professores daquela escola. Depois o Conselho Local de Educação se é que ainda existe.

Eu sei que existem múltiplas razões para explicar o inexplicável. Mas seria importante que em projecto de acção para este ano lectivo, se tentassem descortinar os principais obstáculos a uma melhoria substantiva dos resultados dos alunos nos exames nacionais e se cuidassem de os remover. Gostaria que a escola secundária de Peniche que a par das óptimas condições físicas que tem, cuidasse de ter uma actividade pedagógica mobilizadora dos seus alunos e que enriquecesse o património intelectual desta terra. Estou a pedir demais? Não me parece. Estou a pedir o mínimo que se pode pedir a quem consome centenas de milhares de euros do erário público por ano.

quinta-feira, novembro 07, 2013

SOMOS UM POVO QUE NÃO RENOVA OS SEUS PIORES

Escrevam Portas em vez de Dantas. Os Coelho. Ou crato. Maria Luíz. E quase todos os outros. Não digo quem para mim é excepção para se esgatanharem todos.
Em vez de Ceia dos Cardeais leiam Guião da Reforma do estado. Em vez de... leiam reforma curricular. Em vez de e de leiam défice e austeridade.
Morra o Governo! Pim!
Morra o Governo! Pum!
Morra o Governo e levem com ele o PR. PIM!
http://www.triplov.com/almada_negreiros/anti_dantas.htm

quarta-feira, novembro 06, 2013


VARANDA DE PILATOS

Debruçado sobre mim aqui estou
nesta Varanda de Pilatos de mim mesmo
olhando as minhas ondas de espuma
quebrando-se nos meus rochedos a pique.

Eu mar
eu feito de azul de sonho
e cinzento de viver.

E os barcos que em mim vogam
já não encontram porto de abrigo
        navios fantasma à deriva
        nas sete partidas do mundo
até que o tempo os devore
e o esquecimento os apague.

segunda-feira, novembro 04, 2013

PARAR PARA ME VER

Já chegado a este ponto toca-me a fragilidade das coisas boas que a minha vida ainda me poderá reservar. Ouço os Arcade Fire em Reflektor e penso nos inúmeros amigos e conhecidos que com 50, 60, 60 e poucos anos, vão sucessivamente desaparecendo.
E pensei também que numa agência funerária aqui próxima de minha casa, é notícia o fim de vida de homens e mulheres do nosso concelho com 80 e muitos anos, ou 90 e tal anos.

Foi então que me ocorreu que aos 50 ou aos 60 se morre. Aos 80 e aos 90 as pessoas apagam-se.

Esta diferença marca aquilo que é justo esperar, daquilo que é inglório acontecer. E nesta diferença reside a brutalidade da notícia ou a fatalidade anunciada e aguardada com serenidade.
Marcam-me pensamentos destes nesta manhã de 2º feira e aqui estou a expor-me de forma franca e sinistra com coisas a que me deveria poupar e a vós. Mas que fazer depois das notícias da manhã? Depois de saber que vou receber o subsídio de férias no Natal reduzido em 50%, porque o que este governo dá com a mão esquerda, rouba com a mão direita. Depois de ter visto no dia 3 de Novembro as criancinhas nas ruas da minha terra a pedir o pão-por-Deus. Aguardo pacientemente que o Natal mude para o Carnaval e que a passagem de ano se celebre na Páscoa. Aguardo para ver quem aluga a Escola 2.3 de Atouguia da Baleia e quem é que quer comprar uma escola aqui na cidade. Aguardo firmemente que retomem a lei dos cães e dos gatos nos apartamentos. E vou esperar sentado que a palavra irrevogável signifique de novo “o que nunca mais acontecerá”.

Até me apagar definitivamente. Já que detestaria morrer.

quinta-feira, outubro 31, 2013

O IRREVOGÁVEL PORTAS

O rei dos aldrabões apareceu ontem nas TVs com uma pretensa reforma do estado. Mais uma vez o finório aparece de "sucapa" com promessas que não quer nem pode cumprir. Mais uma vez se trata de propaganda política para fingir que sim mas também. Para quem fazia acusações avulsas no "Independente" e depois na oposição aprendeu bem e depressa com os mestres do disfarce. Não quer levar a cabo a reforma do estado em primeiro lugar porque seria por aí que há 2 anos e meio deveriam ter começado. Depois porque para a levar a cabo precisa de uma revisão da constituição e aí entra naturalmente no mínimo o PS. Ora a hostilidade e todo o isolamento a que este último partido tem sido vetado impossibilitam de facto qualquer reforma do estado nos termos em que é proposta.
Não quer e não pode executar o que anda a prometer conjuntamente com o inefável coelho.
O que me dói é que somos reféns desta gente. Quem mais se apieda dos cães e dos gatos que ficam sem dono do que dos milhares e milhares de idosos, deficientes, crianças e desempregados que se arrastam pelos caminhos da fome e da miséria.
O guião do senhor irrevogável nem para limpar o que nós sabemos serve. Serve aliás para uma coisa, para enterrar definitivamente um governo que chama a este amontoado de frases feitas um esquema para reformar o estado. Serve para dizer que esta gentinha não serve para nada.
É assim este PSD e este CDS com que se aliou o PS local para tornar a vida impossível aos vencedores das últimas autárquicas. Que gente nojenta.

quarta-feira, outubro 30, 2013

OS METE NOJO…

Foi assim desde sempre. Quando as coisas correm mal empurra-se com a barriga para a frente porque a culpa é sempre dos outros.

Foi assim nos momentos de crise em Portugal desde há séculos. Na crise de 1383/a385 é vê-los a culpar as hostes lusas de tudo quanto de mal existia. Preferível seria Castela a segurar o nosso barco. No período dos Filipes eram muitos os nobres portugueses que davam cobertura ao reinado de Espanha. Os “Miguel de Vasconcelos” não eram tão poucos assim. E mesmo na Igreja e na plebe existiam os que apoiavam o reinado dos reis espanhóis. Na luta entre liberais e absolutistas também houve um extremar de posições com uma parte da europa e a Igreja Católica a apoiar um dos contendores (D. Miguel). Com o avento da República vieram as divisões mais uma vez ao de cima com uma parte dos portugueses (os despojados com o advento do republicanismo) a colocarem-se contra a nação portuguesa como um todo. Vem o Estado Novo e o “sacristão” que se tornou 1º Ministro (um tal Salazar) aproveitando-se da miséria que grassava no país e na mentalidade de pacóvios deste povo sempre pronto a alinhar ao lado de quem está no poder, criou uma plêiade de informadores e agentes políticos que minavam , vendiam e torturavam outros seus conterrâneos para servir SUA EXCELÊNCIA O SENHOR DINHEIRO.

De novo vemos estes hipócritas a bramarem contra a Constituição e a quererem que juízes esqueçam o que a lei lhes diz para proteger. Pululam entre jornais e Televisões bramando contra o que deve ser o primeiro dos princípios que um homem de honra deve seguir: Defender o que jurou defender e fazer cumprir. Estes afectos ao PSD e ao CDS, neoliberais e servis escravos dos monopólios estrangeiros, querem que o TC esqueça a Lei em nome dos seus desígnios. E têm como seu “chefe” de missão o PR que fez um juramento que ignora sempre que pode.

A Constituição pode ser alterada. Façam-no e depois cumpram o que ficar escrito. Enquanto isso é esta a nossa Magna Carta que ninguém poderá pôr em causa. No dia em que os Juízes a esquecerem o que lhes será pedido para esquecerem a seguir?

Para cimentar este caldinho nojento, vem agora o senhor do pingo doce reinstalar a censura de salazar e dos seus porcos fiéis pribindo livros de pessoas que não lhe agradam. Uma empresa estrangeira dá-se ao luxo de dizer os livros que os portugueses podem ler. È lamentável e revoltante. E ainda há portugueses que compram nos supermercados deste tal Jerónimo Martins de Oliveira Salazar… Esta merda cheira mesmo mal.

O PSD decidiu punir cerca de 400 militantes seus que apoiaram listas autárquicas que não as do seu partido (dos jornais). Está certo! Têm de ser expulsos. Com as dificuldades de dar assessorias a tanta gente é uma forma de criar 400 e tal novas possibilidades de emprego para os que ficarem.

Só as moscas é que mudam…

segunda-feira, outubro 28, 2013

MALHAS QUE O IMPÉRIO TECE…

Quando me contaram do resultado das eleições para a Mesa da Assembleia Municipal de Peniche desatei a rir à gargalhada. Recordei aquilo a que assisti a primeira vez que participei naquele órgão autárquico. O PSD foi a força política mais votada. A poucos votos e em 2º lugar ficou o PS. Em terceiro lugar e a uma grande distância ficou o PCP. Em 4º e último lugar ficou o CDS. Então existia uma coligação de vontades e de facto entre o PSD e o PCP. Como resultado dos acordos preparados o PSD tal como lhe competia (por ter ganho) ocupou a Presidência da Assembleia Municipal e, espanto dos espantos o PCP ocupou a Vice-Presidência e o CDS com um único eleito ocupou o lugar de Secretário da Mesa. Repito, tudo isto com o beneplácito do PCP, a troco de uns dinheiros para o seu vereador a meio tempo e da sua adesão ao que fosse fundamental para o PSD local e os seus “utilizadores”.
Recordei agora uma série de adágios populares que se aplicam à actual situação. “Como semeares, irás colher”. “Quem boa cama fizer, nela se deitará”. “Quem mata com ferro, com ferro morrerá”. “Olho por olho, dente por dente”. E tantos mais aplicáveis. O PCP está agora a engolir o fel que despejou ao longo dos anos.

Auguram-se dias tenebrosos para o Concelho de Peniche. Sem maioria na Câmara e na Assembleia Municipal prevejo um futuro negro para o PCP no município de Peniche. Não tenho dúvidas que a grande maioria das suas iniciativas serão boicotadas pela coligação latente entre o PSD e o PS. Resta acrescentar que a situação terrível que se prevê para Peniche, com o combate de comadres que se avizinha, é da única responsabilidade do PCP. Não tivessem os seus responsáveis no executivo anterior tido um comportamento de afastamento das pessoas que lhes cumpria defender e hoje poderiam continuar no seu lugar de conforto. A área social foi completamente ignorada. Os trabalhos vários que deveriam dar um maior conforto ao concelho, foram esquecidos. Tudo foi ignorado a troco de umas fugazes aparições televisivas que já ninguém recorda.

Mas não ficaria completamente em paz com a minha consciência se não dedicasse algumas linhas aos representantes do PSD e do PS na Assembleia Municipal. Tenho para mim que só “gentinha” sem carácter político e cívico se pode sentir bem por tendo perdido as eleições se comportar como se as tivesse ganho. Não sei o que pensará a pessoa que presidir à AM e aos seus acólitos da Mesa, no exercício das suas funções, mas decerto se for inteligente saberá que o seu lugar é a prazo e só foi conseguido mercê de um artifício barato e inútil. Deste PS que em Peniche para aí saltita não espero nada. Mas no PSD local existia uma ou outra pessoa a quem atribuía valores humanos e de comportamento cívico à prova de bala. Enganei-me. Grande e frustrante foi a minha desilusão.

Sinto-me feliz por ter votado em branco.