sexta-feira, dezembro 31, 2010

terça-feira, dezembro 28, 2010

FACTOS QUE MARCARAM PENICHE EM 2010

- A MORTE DE MONSENHOR BASTOS
Católicos, não-católicos, agnósticos e ateus, todos foram marcados pelo Padre e pelo Homem. Um exemplo de Amor aos outros. Uma Fé inabalável. Nunca atraiçoou aqueles em que acreditava mesmo quando não o mereciam. Alguns dos seus familiares tiveram dificuldade em perceber isso em vida e ainda depois da sua morte têm dificuldade em perceber a doação que ele fez da sua vida a Peniche.
Se eu fosse católico, se eu acreditasse na santificação das pessoas e em milagres, ainda hoje estaria a pedir-lhe que intercedesse por mim junto do seu Deus.

- RIP CURL PRO
A etapa do campeonato do Mundo de surf. Colocou Peniche no Mapa do Planeta Global. Lendo as actas da Câmara Municipal de Peniche, parece perceber-se que o executivo ainda apoia a medo esta iniciativa e que a oposição ainda não compreendeu que esta realização já é mais importante que a sua mesquinha individualidade. Peniche deixou nestes dias de ser uma terra de província e pacóvia, para se tornar o centro das atenções a nível mundial das provas desportivas náuticas.

- A LIMPEZA DO FOSSO DAS MURALHAS
Aspiração de gerações de nascidos em Peniche. Conferir à Cidade uma dignidade perdida entre dejectos e maus cheiros. Retomar a antiga ideia de um fosso de água envolvendo a maior cintura de muralhas da Península. Limpar, revitalizar, iluminar uma cintura de água com que a Natureza nos brindou e que gerações de maus tratos permitiram que se tornasse uma grande fossa putrefacta.Finalmente a Luz ao fim do túnel para Peniche com a sua limpeza e recuperação.

segunda-feira, dezembro 27, 2010

NO INTERVALO ENTRE AS FESTAS...
Num bar do Far West, entrou um índio, que se dirigiu ao empregado.
- Mim, querer whisky forte..!
O empregado tirou de uma prateleira a 1ª garrafa e deu-lhe um copo whisky.
No dia a seguir volta o índio.
- Mim, querer um copo whisky mais forte ainda.
O empregado vai à mesma prateleira dirigiu-se à 2ª garrafa e serviu-o. Voltou no outro dia o índio e pediu:
- Mim querer um whisky o mais forte de todos, mim querer (apontou p/ultima garrafa) o whisky mais forte!
O empregado não lhe queria dar daquela garrafa que era ácido sulfúrico, mas o índio ameaçador, disse que queria e este deu-lhe, assustado.
No dia a seguir mal vê o índio a entrar à porta, foi-se embora para dentro e chamou o dono para o atender e contou-lhe o sucedido. O índio pediu, muito bem disposto, um copo do mesmo whisky que tinha bebido antes. O patrão do bar perguntou...
- Mas... não teve problemas nenhuns com o whisky de ontem?
- Não... gostar muito, o único problema… foi que cada vez que dar bufa.. fazer uma buraquinha na cueca...

quarta-feira, dezembro 22, 2010

FESTAS FELIZES!!!
Nos próximos dias irei dar a mim próprio e a vós, um merecido descanso.
Entretanto desejo a todas as minhas amigas e amigos tudo quanto de melhor para si próprios desejam.
E porque gosto de todos e são vocês todos (mesmo os que não concordam comigo) que me dão forças para continuar, deixo-vos um video com votos de que estas festas comecem e terminem em alegria e companheirismo.
Não deixem que um momento de euforia possa ser o fim do convívio entre todos nós.

http://www.youtube.com/watch?v=Z2mf8DtWWd8

segunda-feira, dezembro 20, 2010

FERREL A VILA. JÁ!
O Concelho de Peniche é o 2º mais pequeno do Distrito de Leiria. Mais pequeno mesmo só o Concelho de Castanheira de Pêra no norte do Distrito.
Com a sua dimensão territorial tem no entanto a “grandiosidade” de ser composto administrativamente por 6 Freguesias, 3 urbanas e 3 rurais e ainda por 1 Cidade (sede de Concelho), 2 Vilas e uma multiplicidade de aldeias e lugares.
Quer dizer que somos um Concelho rico de honras administrativas.
D. Diniz é responsável pela elevação da Atouguia da Baleia a Vila. O PSD é responsável pela elevação da sede de Concelho a Cidade. O PCP é responsável pela elevação da Serra d’ El-Rei a Vila.
Inevitavelmente faltava ao PS a sua medalha de mérito. Surge agora com a proposta de fazer elevar Ferrel à categoria de Vila.
A manter-se o equilíbrio das forças partidárias dentro de 8 anos o BE irá propor a elevação da Consolação à categoria de Vila e o Concelho de Peniche entrará definitivamente no Guiness com a maior concentração de Vilas e Cidades em tão pequeno território. Somos os mestres da mistificação.
Acreditam estes “politicozinhos” pacóvios e provincianos que este tipo de acções promoverá a sua ligação com os eleitores. Talvez até tenham razão no imediato. Os poucos que votam para a Assembleia da República (já são só 50% dos eleitores inscritos) até podem ser permeáveis a estas preocupações serôdias. Mas o tempo irá conferir-lhes o grau de importância que verdadeiramente deverão assumir.
Num tempo de crise económica verdadeiramente avassaladora, penso como é inacreditável que algum Deputado que tão caro custa ao país, se preocupe com a elevação de Ferrel a Vila. Ferrel é Ferrel e nunca deixará de o ser e é por isso que gostamos daquela terra e daquelas gentes. O resto Vila, cidade ou Aldeia é acessório e não acrescenta nada às suas capacidades de desenvolvimento.
Tenho dificuldades em aceitar estas preocupações como prioritárias e por este caminho adivinho o mesmo caminho ao PS nacional, que o que levou o PS no Concelho de Peniche nas últimas autárquicas.
PS: Esqueci-me de elevar a Bufarda a Vila. Vamos constituir um grupo de cidadãos independentes que proponha a honraria.

domingo, dezembro 19, 2010

Alentejano no seu melhor...
Um muçulmano durante o período do Ramadão senta-se junto a um alentejano no voo Lisboa - Funchal.
Quando o avião descola começam a servir as bebidas aos passageiros.O alentejano pede um tinto de Borba.
A hospedeira pergunta ao muçulmano se quer beber alguma coisa.Responde o muçulmano com ar ofendido:
"-Prefiro ser raptado e violado selvaticamente por uma dezena de putas da Babilónia antes que uma gota de álcool toque os meus lábios."
O alentejano engasgando-se, devolve o copo de tinto à hospedeira e diz:
"-Eu também, eu também. Não sabia que se podia escolher!!"

quinta-feira, dezembro 16, 2010

ACONTECE
Acontece que cerca de 9000 programas a dividir por 365 dias dá sensivelmente 24,5 anos.
Acontece que 24 anos de um programa cultural numa televisão pública em Portugal é obra.
Acontece que o seu autor se tornou uma figura central da difusão cultural neste nosso indigente país, independentemente do que se investiu nesse capítulo.
Acontece que o Partido político que se perfila para substituir o PS no Governo da Nação não “curte” estas coisas da Cultura.Acontece que depois de Sousa Lara ter vetado Saramago com o apoio de Aníbal Cavaco Silva, o “Acontece” foi banido da TV Tuga por Morais Sarmento por ordem do “seu” primeiro-ministro Durão Barroso.
Acontece que foi o mesmo Morais Sarmento a despedir Marcelo Rebelo de Sousa da TVI.
Acontece que num caso e no outro não se fez a chinfrineira que agora se fez com a paixão do sapo Cocas.
Acontece que Carlos Pinto Coelho saiu de fininho da RTP, como acontece com quem tem dignidade e não vive do esforço de terceiros.
Acontece que Carlos Pinto Coelho, alma-mater do Programa Acontece de feliz memória, sai agora da vida com a mesma elegância com que sempre viveu.
Acontece que era bom se todos aprendêssemos alguma coisa com ele. Uns, mais que outros.
ACONTECE…

quarta-feira, dezembro 15, 2010

POEMA DE AMOR
(de Sophia de Mello Breyner Andresen para o seu marido Francisco de Sousa Tavares/Tareco)

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei
Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso…
Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento

segunda-feira, dezembro 13, 2010

FREIRA É NOME DE RUA
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 1“Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus. 2Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens.Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. 3Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, 4de modo que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
(Mateus 6,1-6.16-18)

Vem esta citação bíblica a propósito de um diferendo que opôs um grupo de cidadãos ao executivo municipal a propósito da atribuição de um nome de rua que não foi do agrado dos ditos moradores. Mas melhor que este bloguista a acta da Câmara Municipal de Peniche de 02/11/2010:
"Na sequência das diversas manifestações dos moradores da Rua das Irmãs Vicentinas, em Peniche, o Senhor Presidente perguntou aos restantes membros da Câmara se queriam pronunciar-se sobre o assunto, tendo-se registado as seguintes intervenções:
O Senhor Vice-Presidente disse que se deve evitar alterar o nome de artérias com muitos residentes, pelos problemas que acarreta, como foi o caso. Lembrou que foi efectuado um inquérito aos residentes e que das 44 respostas obtidas 43 são a favor da designação de Estrada dos Remédios. Que o inquérito foi realizado para se poder aferir a opinião do maior número de residentes possível.
O Senhor Vereador Francisco Salvador disse que deveria de ser estudada a possibilidade de se manter os dois nomes. Lembrou que este não é caso único, e que parte da Estrada Marginal Norte também foi alterada para Avenida Mariano Calado.
O Senhor Vereador Carlos Amaral lembrou que este é já o terceiro troço da Estrada dos Remédios a ter o nome alterado. Que alguns moradores, entretanto, já utilizam a designação de Rua das Irmãs Vicentinas e que vão ter que alterar, outra vez, a sua morada. Que se abriu um precedente ao realizar-se o inquérito. Defendeu que, se possível, a artéria fosse designada como “Rua das Irmãs Vicentinas antiga Estrada dos Remédios”.
O Senhor Vereador Luís Ganhão disse que uma possível má deliberação não deverá levar a uma outra má deliberação. Que a opção a tomar deverá ser a que mais facilitar a vida dos residentes. Que a retornar-se à designação Estrada dos Remédios deverá ser encontrada outra solução para homenagear a Congregação das Irmãs de São Vicente de Paulo.
O Senhor Presidente disse que, em 2004, votou favoravelmente a alteração porque partiu do pressuposto de que a proposta teria sido devidamente trabalhada e tinha em conta o reconhecimento ao trabalho das Irmãs Vicentinas. Apresentou a seguinte proposta à Câmara, esclarecendo que esta nova proposta nada tem contra quem apresentou a proposta de alteração da designação de Estrada dos Remédios para Rua das Irmãs Vicentinas ou contra os pressupostos apresentados na altura:
«Tendo em consideração que a atribuição do nome de Rua das Irmãs Vicentinas à, até então, designada Estrada dos Remédios foi feita sem a necessária consulta às respectivas Juntas de Freguesias, conforme estipula o artigo 5.º do Regulamento Municipal de Toponímia e Numeração de Polícia;
Tendo em consideração que esta artéria tem residentes desde há muitos anos, que, com esta alteração, serão obrigados a alterarem a sua morada junto das diversas entidades públicas ou privadas;
Tendo em conta que os moradores desta artéria se manifestaram de diversas formas para que seja mantido o nome de Estrada dos Remédios;
Tendo em conta o reconhecimento que Peniche deverá ter para com a Congregação das Irmãs de São Vicente de Paulo (Irmãs Vicentinas);
Proponho:
Que a referida artéria passe a designar-se, novamente, Estrada dos Remédios.
Que nas respectivas placas toponímicas se faça referencia de que também teve o nome de Rua das Irmãs Vicentinas.
Que se encontre uma forma digna de reconhecimento à Congregação das Irmãs de São Vicente de Paula pelo trabalho desenvolvido na Área Social em Peniche.»
- Submetida a votação, foi a proposta apresentada aprovada, por maioria, com seis votos a favor e a abstenção do senhor Vereador Carlos Amaral."


Colocados os dados da questão em cima da mesa, não sei porque insistir em glorificar o trabalho das religiosas. Foi esse o caminho que escolheram. É assim que pensam atingir as delícias da eternidade. Enquanto eu farei umas paragens de alguns milhares de anos no purgatório, em etapas sucessivas antes de ser despejado no Inferno, estas noivas de Cristo sem nenhuma estação intermédia entrarão no Céu entoando Hinos.
Outra recompensa será possível. O Nobel da Paz pela meritória acção social desenvolvida em Peniche.
Esta coisa da atribuição de nomes de ruas a pessoas tem muito que se lhe diga. E sobretudo quando se trata de pessoas enfeudadas a alguns grupos de carácter político ou religioso. Mas os políticos no seu afã de criarem simpatias e de se popularizarem metem-se em tretas levadas do diabo. Salvo seja.

quinta-feira, dezembro 09, 2010

ELEIÇÕES PARA PR 2011:
-O meu voto é em BRANCO!

Vou arrumar hoje, aqui e agora, a minha decisão sobre presidenciais.
Fernando Nobre. Se um candidato me mereceria algum respeito por uma vida engajada ao serviço dos que mais precisam de apoio e de quem seja solidário com eles, eu escolheria este. No entanto, e à medida que vai caminhando neste seu novo desafio, vai perdendo em espontaneidade e ganhando em manhosice. A sua busca ao voto leva-o a abençoar pela ignorância as posições do Presidente do Governo Regional dos Açores no que diz respeito à matreira atitude de beneficiar uns quantos em prejuízo dos outros. Fernando Nobre é a aplicação justa do velho adágio popular “quem te mandou sapateiro, tocar rabecão?”.Defensor Moura o quê? O prédio Coutinho como? quem? quando? onde? Eu sei que ser candidato à presidência da república é um acto de vontade individual. Mas um deputado cinzentão do PS de quem a generalidade dos portugueses nunca ouviu falar, apresentar-se às urnas contra um candidato do PS, cheira-me a esturro. E porque não gosto de comida estragada, não obrigado. Manuel Alegre é o tal que nas últimas eleições foi candidato contra o seu amigo Mário Soares, à revelia do Partido em que milita. É o tal que reformado da política vive à sombra de uma voz que marcou pela sua beleza já lá vão mais de 36 anos. A partir daí apoiou todas as medidas com que o PS se foi definindo. Agora aparece com um cravo ao peito e uma rosa nos lábios a fazer trejeitos de figura virgem dos vícios a que a sociedade portuguesa se vergou. Ele é de esquerda mas não abdica dos votos à direita que embelezaram o seu património pessoal. Poeta insigne deve ir cantar loas para outro lado. Cavaco Silva. Que dizer do presidente candidato? Que foi uma pena ter saído de Boliqueime. Hoje seria um óptimo Presidente de Junta de Freguesia. Quem não se esquece dele é aquele moço que anda de cadeira de rodas por ter sido atingido a tiro na ponte 25 de Abril. Quem não o esquece como primeiro-ministro terá as suas dúvidas. Eu não tenho. Não gostar dele faz parte dos meus cromossomas. Para além de que considero o senhor Aníbal um exemplo acabado do que a política tem de mais hipócrita. (Vejam a relação dele com o bocas do Jardim da Madeira). CS não obrigado.Fernando Lopes. Que dizer do candidato que só existe porque tem de existir? Onde votariam os comunistas se não tivessem candidato próprio. Nunca nada lhes serviu senão eles próprios. Alguns chamam a isso coerência. Eu chamo casmurrice. Se alguém olhar com atenção para este candidato do PCP vê o ar de frete que o homem anda a fazer. Nunca vi um sorriso na cara desta criatura. E que diabo eu sei que isto está péssimo. Mas dêem-me algum alento. Ajudem-me a acreditar que se eu intervier as coisas podem melhorar. Nem o camarada Álvaro tinha o ar carrancudo deste candidato. E eu para estar mal disposto não preciso de lhe olhar para a cara. Chegam-me as dificuldades que tenho.
Por tudo isto, O MEU VOTO É EM BRANCO. Borrifo-me para os candidatos presidenciais e tudo aquilo que eles representam. Voto porque tenho esse direito e não abdico dele. VOTO EM BRANCO para lhes dizer que esta não é a Democracia em que acredito e desejo para o meu país.

quarta-feira, dezembro 08, 2010

terça-feira, dezembro 07, 2010

O PODER DA IMPRENSA
Nos últimos meses quem lê jornais, ou ouve e vê as TVs e as rádios nacionais, assistiu a um conjunto de afirmações quase terroristas contra o Bastonário da Ordem dos Advogados. Toda a gente que estivesse interessada em denegrir a pessoa de Marinho Pinto, tinha o seu trono assegurado na imprensa escrita e falada.
E sempre que quem queria zurzir no Bastonário era um dos que o antecederam no cargo, então aí até vinham arautos tocar trombetas para ajudar à festa.
Entretanto realizou-se a 26 de Novembro pp o acto eleitoral em que concorreram a Bastonário 3 candidatos.
Antes de falar nos resultados é bom recordar os resultados com que venceram os anteriores Bastonários nas diferentes eleições desde 1995:
1995 – Castro Caldas com 4902 votos
1999 – Pires de Lima com 4597 votos
2002 – José Miguel Júdice com 5488 votos
2004 – Rogério Alves com 5849 votos
2008 – Marinho Pinto com 7265 votos
2010 – Marinho Pinto com 9532 votos
Sim. Leram bem. Marinho Pinto que foi atacado que mais parecia réu que Bastonário; Marinho pinto que foi maltratado no Jornal da Noite da TVI pela celebre Manuela Moura Guedes; Marinho Pinto que teve de responder a ataques de anteriores Bastonários como Pires de Lima e José M. Júdice; Marinho Pinto que enfrentou no dia da eleição uma manifestação de estudantes de Direito à porta da Ordem que o atacavam, com o apoio das TVs generalistas; esse mesmo Marinho Pinto ganhou a sua reeleição com 9532 votos, número nunca anteriormente atingido.
A primeira vez que foi eleito ficou a cerca de mais de 3000 que o que se lhe seguiu.
Desta vez o segundo mais votado ficou a 3500 de Marinho Pinto.
É caso para desconfiar da bondade dos meios de comunicação social quando se dedicam a exercer uma política de terra queimada contra alguém ou alguma causa.

segunda-feira, dezembro 06, 2010

FIM
Mário de Sá-Carneiro
Quando eu morrer batam em latas,
Rompam aos saltos e aos pinotes,
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas!

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza…
A um morto nada se recusa,
E eu quero por força ir de burro!

domingo, dezembro 05, 2010

sábado, dezembro 04, 2010

SERÁ GENÉTICO?
Três mulheres entram na maternidade, sendo uma delas cigana.
Nasce o filho da 1ª, o médico dá-lhe uma palmada no rabito e o bebé desata chorar.
Com a 2ª mulher, a situação é igual.
Quando nasce o ciganito, em vez de 1, a criança apanha 5 palmadas.
No dia seguinte, a cigana indignada pergunta ao médico:
- Sr Doutor, porque é que o Sr. aos outros bebés só deu 1 palmada e o meu levou 5?!!!
- Minha senhora, se ele não me largasse o relógio ainda apanhava mais!!!

sexta-feira, dezembro 03, 2010

UM DEZEMBRO PERTURBADOR
O frio instalou-se e anda toda a gente a tremer o queixo. Pouco comum para Peniche. O Benfica está pior que um mete nojo. Talvez, repito talvez, tenhamos a possibilidade de participar na Liga Europa onde os nossos principais adversários foram primeiros nos respectivos grupos, o que nos envergonha ainda mais. Eles vão lá porque são os primeiros. Nós talvez porque somos dos últimos.
Visto, revisto, votado e assinado vem aí o início de um conjunto de anos de restrições e sem dinheiro para mandar cantar o cego. O Governo aguarda a eleição do Presidente da República para cair de podre. Os juros das casas vão subir. Os sonhos negros sobre o Hospital continuam a assombrar alguns Penichenses no Canadá, que não conseguem encontrar eco das suas preocupações deste lado do Atlântico.O Natal não me parece grande coisa para comemorar e o Papa, convertido ao preservativo, vai preparar-se para a grande decisão da sua vida. Casar ou não. Não é ele que já nem consegue dar o sim.
A humanidade enfrente uma visão apocalíptica do Inferno no seu dia a dia, tornando realidade o 3º segredo de Fátima quando se iniciam as comemorações dos 100 anos das aparições.
Com tudo isto no sítio do Convento conseguimos ter um arraial permanente que veio para ficar diariamente, substituindo assim a antiga Feira Mensal que anda perdida em busca de um novo porto de abrigo.
Estão confusos? Também eu. Este Dezembro de 2010 dá cabo de mim.

quarta-feira, dezembro 01, 2010

1º de dezembro
Vai lá um tempo em que nesta data se comemorava a independência de Portugal do jugo espanhol. Os Filipes de Espanha desapareceram da nossa história como se nunca tivessem existido. Mais tarde o PCUS haveria de levar ao limite o desaparecimento de figuras caídas em desgraça até ao limite.
Recordo os tempos da Mocidade Portuguesa em que as meninas e os meninos se fardavam e desfilavam em manifestações patrioteiras de desagravo pela Independência perdida e reconquistada 60 anos depois.
Agora já percebemos quye a nossa independência está à muito perdida para governos e capitais anónimos e nem sabemos bem a quem pertencemos. Os nossos filhos procuram em Espanha, França, Inglaterra, Alemanha e EEUU, mercados de trabalho onde possam desenvolver as suas capacidades.
Matar o Conde de Andeiro já não resolverá nada. Outros representantes dos capitais internacionais o substituirão. E que Diabo. O Durão Barroso nem da janela merece ser atirado. Ele só é mais um clown.
Por isso no 1º de Dezembro deixo-vos uma animação natalícia com votos que vos faça ao menos sorrir.
http://www.youtube.com/watch?v=IAckfn8yiAQ

segunda-feira, novembro 29, 2010

PARA OS ARAUTOS DA DESGRAÇA
Para aqueles que passam a vida a denegrir o seu País (Portugal).
Para aqueles que confundem País e Governo, e que na ânsia de estoirar com o segundo estabelecem a regra da terra queimada e do quanto pior melhor.
Para aqueles que perdem horas de trabalho do seu dia tão precioso. roubadas à entidade que lhes paga para enviarem emails sobre o actual 1º Ministro de Portugal, como se ele tivesse alguma importância e a seguir a um mau não viesse sempre outro pior.
Para aqueles que desde as 1ªs eleições pós 25 de Abril se cansam em slogans de reafirmação do "Governo prá rua".
Para todos esses trancrevo um texto que lhes dedico com os meus votos sinceros de um Feliz Natal de 2010 e um Ano Novo de 2011 tão bom quanto for possível. Não digo mais nada, porque está lá tudo.

"EU CONHEÇO UM PAÍS..."*
*Nicolau Santos, Director - adjunto do Jornal Expresso, In Revista"Exportar"

Eu conheço um país que tem uma das mais baixas taxas de mortalidade mundialde recém-nascidos, melhor que a média da UE.

Eu conheço um país onde tem sede uma empresa que é líder mundial de tecnologiade transformadores.

Eu conheço um país que é líder mundial na produção de feltros para chapéus.

Eu conheço um país que tem uma empresa que inventa jogos para telemóveis eos vende no exterior para dezenas de mercados.

Eu conheço um país que tem uma empresa que concebeu um sistema pelo qual você pode escolher, no seu telemóvel, a sala de cinema onde quer ir, ofilme que quer ver e a cadeira onde se quer sentar.

Eu conheço um país que tem uma empresa que inventou um sistemabiométrico de pagamento nas bombas de gasolina.

Eu conheço um país que tem uma empresa que inventou uma bilha de gás muitoleve que já ganhou prémios internacionais.

Eu conheço um país que tem um dos melhores sistemas de Multibanco a nívelmundial, permitindo operações inexistentes na Alemanha, Inglaterra ouEstados Unidos.

Eu conheço um país que revolucionou o sistema financeiro e tem três Bancos nos cinco primeiros da Europa.

Eu conheço um país que está muito avançado na investigação e produção de energia através das ondas do mar e do vento.

Eu conheço um país que tem uma empresa que analisa o ADN de plantas e animais e envia os resultados para toda a EU.

Eu conheço um país que desenvolveu sistemas de gestão inovadores de clientes e de stocks, dirigidos às PMES.

Eu conheço um país que tem diversas empresas a trabalhar para a NASA e a Agência Espacial Europeia.

Eu conheço um país que desenvolveu um sistema muito cómodo de passar nas portagens das auto-estradas.

Eu conheço um país que inventou e produz um medicamento anti-epiléptico para o mercado mundial.

Eu conheço um país que é líder mundial na produção de rolhas de cortiça.

Eu conheço um país que produz um vinho que em duas provas ibéricas superou vários dos melhores vinhos espanhóis.

Eu conheço um país que inventou e desenvolveu o melhor sistema mundial de pagamento de pré-pagos para telemóveis.

Eu conheço um país que construiu um conjunto de projectos hoteleiros de excelente qualidade pelo Mundo.

O leitor, possivelmente, não reconheceu neste país aquele em que vive...

*PORTUGAL*
Mas é verdade.Tudo o que leu acima foi feito por empresas fundadas por~portugueses, desenvolvidas por portugueses, dirigidas por portugueses, com sede em Portugal, que funcionam com técnicos e trabalhadores portugueses.

Chamam-se, por ordem, Efacec, Fepsa, Ydreams, Mobycomp, GALP, SIBS, BPI,BCP, Totta, BES, CGD, Stab Vida, Altitude Software, Out Systems, WeDo,Quinta do Monte d'Oiro, Brisa Space Services, Bial, ActivespaceTechnologies, Deimos Engenharia, Lusospace, Skysoft, Portugal TelecomInovação, Grupos Vila Galé, Amorim, Pestana, Porto Bay e BES Turismo.

Há ainda grandes empresas multinacionais instalada no País, mas dirigidas por portugueses, com técnicos portugueses, de reconhecido sucesso junto das casas mãe, como a Siemens Portugal, Bosch, Vulcano, Alcatel, BP Portugal ea Mc Donalds (que desenvolveu e aperfeiçoou em Portugal um sistema que permite quantificar as refeições e tipo que são vendidas em cada e todos os estabelecimentos da cadeia em todo o mundo ) .

É este o País de sucesso em que também vivemos, estatisticamente sempre na cauda da Europa, com péssimos índices na educação, e gravíssimos problemas no ambiente e na saúde... do que se atrasou em relação à média UE...etc. Mas só falamos do País que está mal, daquele que não acompanhou o progresso.

domingo, novembro 28, 2010

CÃO VELHO, LEOPARDO JOVEM E MACACO BISBILHOTEIRO
Uma velha senhora foi para um safari em África e levou seu velho rafeiro com ela.Um dia, caçando borboletas, o velho cão, de repente, deu-se conta que estava perdido.Vagueando a esmo, procurando o caminho de volta, o velho cão percebe que um jovem leopardo o viu e caminha em sua direcção, com a firme intenção de conseguir um bom e farto almoço.O velho cão pensa depressa (pois os velhos pensam depressa):
- Oh, oh! Estou mesmo enrascado!
Olhou à volta e vê ossos espalhados no chão muito próximo de si. Em vez de se apavorar, o velho cão ajeita-se junto do osso mais próximo e começa a roê-lo, virando as costas ao predador, fingindo que não o tinha visto...Quando o leopardo estava a ponto de dar o salto para o abocanhar, o velho cão exclama bem alto:
- Este leopardo estava delicioso!!! Será que há outros por aí??Ouvindo isso, o jovem leopardo, com um terrível arrepio na espinha, suspende o seu ataque já quase começado e esgueira-se na direcção das árvores e pensa:- Caramba!!! Essa foi por pouco!!! O velho rafeiro quase me apanhava...!Um macaco, numa árvore ali perto, viu a cena toda e logo imaginou como fazer bom uso do que vira. Em troca de protecção para si, informaria o predador que o cão não havia comido leopardo algum...E assim foi, rápido, em direcção ao leopardo. Mas o velho cão vê-o a correr na direcção do predador em grande velocidade e pensa:
- Aí há marosca...O macaco logo alcança o felino, cochicha-lhe o acontecido e
O velho cão pensa depressa (pois os velhos pensam depressa):
- Oh, oh! Estou mesmo enrascado!
Olhou à volta e vê ossos espalhados no chão muito próximo de si. Em vez de se apavorar, o velho cão ajeita-se junto do osso mais próximo e começa a roê-lo, virando as costas ao predador, fingindo que não o tinha visto...Quando o leopardo estava a ponto de dar o salto para o abocanhar, o velho cão exclama bem alto:
- Este leopardo estava delicioso!!! Será que há outros por aí??Ouvindo isso, o jovem leopardo, com um terrível arrepio na espinha, suspende o seu ataque já quase começado e esgueira-se na direcção das árvores e pensa:
- Caramba!!! Essa foi por pouco!!! O velho rafeiro quase me apanhava...!
Um macaco, numa árvore ali perto, viu a cena toda e logo imaginou como fazer bom uso do que vira. Em troca de protecção para si, informaria o predador que o cão não havia comido leopardo algum...E assim foi, rápido, em direcção ao leopardo. Mas o velho cão vê-o a correr na direcção do predador em grande velocidade e pensa:
- Aí há marosca...
O macaco logo alcança o felino, cochicha-lhe o acontecido e faz um acordo com o leopardo.O jovem leopardo fica furioso por ter sido enganado e diz:
- Ó macaco, sobe para as minhas costas para veres o que vai acontecer àquele cão abusador...Agora, o velho cão vê um leopardo furioso, vindo em sua direcção, com um macaco nas costas e pensa rápido novamente:
- E agora, o que é que eu faço?Mas em vez de correr (pois sabia que as suas pernas cansadas não o levariam longe...) senta-se mais uma vez de costas para os agressores, fazendo de conta que não os via... Quando estavam suficientemente perto para ouvi-lo, o velho cão diz:
- Mas onde é que anda aquele macaco? Estou a morrer de fome...!!! Disse que me traria outro leopardo e até agora nada...

Moral da história: Não te metas com Cão Velho... Idade e habilidade sobrepõem-se à juventude e à intriga. A sabedoria só vem com a idade e a experiência.

sábado, novembro 27, 2010

sexta-feira, novembro 26, 2010

NOTÍCIAS DA NET
Num email dizem-me que 2010 anos depois Jesus acaba de voltar a ser crucificado em Israel.
Noutro enviam-me uma mulher num concurso a tentar adivinar um peso superior a 4,5 kgs e durante meia hora nunca diz um número superior a 4 kgs.
Noutro ainda enviam-me fotos e Mr. Obama numa de situações onde se pode constactar a sua simplicidade e estabelecem-se paralelos com as pessoas importantes cá da terra.
Vários outros esclarecem-me sobre a melhor forma de eu gastar dinheiro em plasmas, telemóveis e GPSs.
Estranhamente não tenho recebido as habituais reclamações sobre "a desarticulação do Hospital de Peniche".
2010 está a mesmo no ocaso e não há forma já de o corrigir. E para não nos desabituarmos preparam uma dose mais apurada de miséria para 2011. Os Deuses devem estar loucos.

quinta-feira, novembro 25, 2010

JOAQUIM GOMES
Comunista. Indefectível de Álvaro Cunhal. Meu vizinho durante uns anos (esteve preso em Peniche de onde fugiu). Amigo do meu sogro. Um cidadão preso e presa da sua fé em ideais de que nunca abdicou.
Um amigo de Peniche. Vi-o e falei com ele inúmeras vezes em algumas das suas muitas visitas a Peniche, onde regressou sempre sem traumas, para transmitir às gerações mais novas o que foi a sua experiência e um tempo que é desejável que esteja afastado para sempre.
Morreu no passado sábado dia 20 de Novembro com 93 anos. Julgo que Peniche lhe deve uma homenagem. Nem que seja uma lápide na que foi a cela onde esteve detido.
Não por ter sido um lutador anti-fascista (muitos outros o foram). Mas por ter sido capaz de fechar dentro de si as dores de uma prisão ignóbil e regressar sempre a Peniche com amizade, para pedagogicamente nos transmitir as suas vivências. Para que não se esqueça.
Conheço pessoas que estiveram aqui presas e seus familiares que fizeram jura de aqui nunca mais regressar. Pelas memórias que não conseguem apagar. Não ele. Homem simples de palavras simples e sentimentos lineares, a sua luta era pela felicidade dos outros mais do que pela sua própria. Morreu um homem bom.
Cairá num saco roto a minha proposta de uma homenagem ao amigo de Peniche. Chegando a altura do 25 de Abril vão fazer uma festa estafada e sem sentido. Esquecendo que a história se escreve todos os dias para lá das greves e dos gritos nas manifestações.
Eu por mim já fui lançar um cravo vermelho no fosso da Fortaleza para assim o honrar.

terça-feira, novembro 23, 2010

memórias do futuro (narrativa de uma família)
Falo com inúmeras pessoas que trabalharam comigo nas diversas escolas por onde passei e só ouço dizer: - vou reformar-me (ou reformei-me).
Não posso acreditar que alguém tenha ganho com esta fuga em frente. Nem os próprios, nem as escolas, nem o Sistema Educativo. Quando decorrer o tempo suficiente para uma análise fria e desapaixonada do primeiro decénio do século XXI em Portugal, poderemos então avaliar até que ponto foi ou não meritória esta ampla saga que vamos atravessando.
Penso que as culpas pelo que de mau estará a decorrer irão ser repartidas. Nenhum País o é sem o povo que o define. Vem tudo isto a propósito de um livro que acabo de ler sofregamente. O título do livro é o título deste blog. O autor é Daniel Sampaio. Trata de uma vida vivida. É o encontro de alguém com a sua juventude, com a sua maioridade e com o seu declínio.
É aquilo que sabem os que já viveram muito e espera os que ainda vão a percorrer a vida. Por falar do que sabemos ou adivinhamos é que vale a pena. É um encontro entre o ser e não ser coisa nenhuma. Quando se fala de livros que merecem a pena ser lidos e levar connosco para onde formos, este é um deles.

sexta-feira, novembro 19, 2010

O PORTO DE ÁGUAS PROFUNDAS
Já li e ouvi afirmações de Vitória sobre o abandono da ideia do porto de águas profundas em detrimento da Praia dos Supertubos. Não houve, tanto quanto sei uma razão de causa e efeito.
O Porto de Águas Profundas nasceu da ideia na altura de reequacionar a localização dos Portos em Portugal, como forma de competir com outros destinos europeus para recepção de mercadorias que atravessassem o Atlântico. Recordo-me desta ser uma bandeira do industrial
Henrique Neto no advento dos Governos socialistas de António Gueterres.
A ideia caiu, tal como o próprio, por razões mais políticas do que de estratégia de desenvolvimento. Na altura pagaram-se por muitos milhares de euros estudos e mais estudos para o Plano de Desenvolvimento Estratégico de Peniche e do Oeste. Desses estudos como de tantas outras iniciativas, não restou senão uma memória efémera e talvez em parte o IP6, a Escola Superior de Tecnologias do Mar e em alguma medida o arranjo do fosso das muralhas.
Também na altura, surgiram localmente alguns slogans sem consequências, com o objectivo de salvar as ondas e as praias dos apetites gulosos dos estrategas de um desenvolvimento então designado por selvagem.
Não houve propriamente um movimento cívico de defesa das praias e das ondas. Existiram isso sim algumas “cenas” de desafio ao poder local e governamental. Designar como Vitória do Surf sobre os contentores, a não-existência do Porto de Águas Profundas não passa de uma figura de retórica interessante, mas que não passa disso mesmo.
Calma pessoal! Com isto não estou a dizer que ganhou ou perdeu a melhor das causas. É mais uma das situações que nunca saberemos. Neste momento há que defender os Supertubos como fonte de crescimento para os desportos náuticos e de estratégia de desenvolvimento turístico. O resto é o mesmo que acreditar em resultados de excelência só porque somos cool.
A ideia do PAP assentava num Pólo de desenvolvimento para Peniche-Cidade que assentava em nós como um destino Atlântico. O que iremos ser, é mais o resultado do que não fomos capazes de ser.
Os estudos sobraram e outros serão feitos e vendidos à medida daquilo que desejarmos que reproduzam. Ficam o Turismo e os Desportos Náuticos investimento em que não utilizámos um cêntimo, porque nos foi legado pela mãe natureza.

quinta-feira, novembro 18, 2010

NÃO HÁ GAIVOTAS NO CÉU
Afinal não existirem gaivotas não é tão traumático assim.
O céu é mais azul. As paredes dos prédios ganham em cor. Os carros não parecem camuflados prontos para uma luta de guerrilha. Não sentimos as “cagadelas” a caírem ao nosso lado como petardos.
Estranha-se e depois entranha-se uma qualidade no meio ambiente que em Peniche há muito perdemos. Ainda se as gaivotas surfassem…
Existe pelo menos uma geração de Penicheiros que já não se recorda da sua terra sem os telhados carregados de gaivotas e ninhos, sem os ataques às mulheres que vêm do mercado. Essa praga invadiu o nosso quotidiano de forma absurda. Por mim fiquei feliz por o Arquipélago das Berlengas ter passado ao lado na aceitação dos portugueses que se sentem atraídos pelos recantos mais belos do nosso país.
A Reserva ainda não me fez sentir a “bondade” da sua intervenção nas ilhas. Sinto-a mais como um meio de gerar “coutadas feudais”, com este ou outro nome. Mas se calhar sou suspeito em relação a esta matéria, porque vejo os ambientalistas das Berlengas mais como fanáticos da Al Qaeda, do que como gente empenhada na preservação sustentável das ilhas.
As Gaivotas já existiam na ilha antes da Reserva e nunca incomodaram ninguém na península. Tinha até um certo romantismo o acompanhamento dos barcos de pesca pelas simpáticas aves. Como eram giros os ratos e as lagartixas. E havia um equilíbrio natural. Pescadores, fauna e flora auto-regulavam-se. Agora todos os anos gastam-se milhares de euros para apanhar ovos dos telhados em campanhas há muito perdidas para regular o nascimento daqueles predadores. O trabalho da ASAE compreendo. Ninguém é dono de nada por melhores que sejam as suas intenções. Em França os Sarkozy expulsaram os ciganos. Como se faz para fazer desaparecer as gaivotas e os seus progenitores reservistas? Pode ser que apareça uma dieta mediterrânea desenvolvida à base de gaivota e de ambientalistas. Com a crise que está instalada e a fome (que dizem) lhe anda associada, pode ser que a caça (sem defeso) aos infames passarocos e seus amigos resolva o nosso problema.
PS: Posso parecer demasiado cruel. Perguntem-me quanto me custa por ano o arranjo e limpeza de telhados e a pintura do carro.

quarta-feira, novembro 17, 2010

terça-feira, novembro 16, 2010

FINALMENTE A EXPLICAÇÃO!

"Uma mulher pergunta a um mestre chinês:
- Mestre, por que um homem que faz sexo com várias mulheres é chamado
de campeão e uma mulher que faz sexo com vários homens é chamada de
prostituta?

E o mestre responde:
- Filha...Veja bem, uma chave que abre várias fechaduras é uma
chave-mestra. Já uma fechadura que abre com qualquer chave, não serve
para nada."

segunda-feira, novembro 15, 2010

INTERRUPÇÕES
Por razões múltiplas e diversas este Blog irá sofrer interrupções várias até ao final do corrente mês. Um grande pedido de desculpas aos que me acompanham neste percurso que já se prolonga por vários anos.
Regressaremos com a vontade de sempre.
Para não nos afastarmos completamente, serão publicadas notas de humor e de espanto que espero vos amenizem os dias.

sábado, novembro 13, 2010

A VELHINHA, O BALDE, A TINTA, OS FRANGOS E UM GANSO
Um fazendeiro resolveu ir a pé da cidade, de volta para sua fazenda.
No caminho, comprou um balde e um galão de tinta,dois frangos e um
ganso vivo. Quando saiu, parou e ficou matutanto sobre como levar as
compras para casa.

Enquanto coçava a cabeça, apareceu uma velhinha que lhe disse estar
perdida e lhe perguntou:

- Pode me explicar como chegar até a Estrada das Andorinhas, 1603?

- Bem, minha fazenda fica próxima a esse local. Eu a levaria
até lá, mas ainda não resolvi como carregar tudo isto.

A velhinha sugeriu:
- Coloque o galão de tinta dentro do balde, carregue o balde em uma
das mãos, um frango sob cada braço e o ganso na outra mão.

- Muito obrigado, - disse o homem - é uma boa idéia.

A seguir, partiram os dois para o destino.
No caminho, ele disse:
- Vamos cortar caminho e pegar este atalho, pois economizaremos muito tempo.

A velhinha o olhou cautelosamente e disse:
- Eu sou uma viúva solitária e não tenho marido para me defender. Como
saberei se quando estivermos no atalho você não avançará em cima de
mim e levantará minha saia para fazer amor comigo?

- Impossível, estou carregando um balde, um galão de tinta, dois
frangos e um ganso vivos. Como eu poderia fazer isso com tanta coisa
nas mãos, sendo que se soltar as aves elas fugirão?

- Muito simples: coloque o ganso no chão, ponha o balde invertido
sobre ele, coloque o galão sobre o balde e eu seguro os frangos...

terça-feira, novembro 09, 2010

DE 0 A 20
Alguns municípios portugueses que assinaram com o Ministério da Educação a transferência de competências deste para as autarquias, vêm agora denunciar esse contrato alegando que não recebem verbas suficientes para poderem ser responsáveis pelo Ensino Básico.
Desde sempre que fui céptico em relação a esses protocolos. Não acredito na capacidade técnica e pedagógica das autarquias para se responsabilizarem pelo acto educativo. As Câmaras Municipais são na sua generalidade fóruns de interesses político-corporativos que vão mudando de sentido com a alternância de quem exerce o poder. E, salvo raras e honrosas excepções a Educação nunca é uma das prioridades do poder político. Se por ela e com ela poder atingir o poder, tanto melhor. Mas uma vez conquistado perde a importância e retoma o seu lugar subalterno. Crianças e jovens até aos 18 anos não votam.
Espero por bem que ao Municípios portugueses denunciem de todo esses contratos.

O Complexo Escolar dos Arcos em Óbidos foi reconhecido pela OCDE como um dos melhores edifícios escolares do mundo. E Óbidos é aqui tão perto. O Presidente da Câmara Municipal de Óbidos (Telmo Faria) é professor. Tem a percepção e a sensibilidade.
Óbidos tem aquilo que falta à maioria das Autarquias: Percepção, sensibilidade, oportunidade e capital humano. Sem ideias e sem coragem não se chega a lado nenhum.
O que é imediato acaba por ser finito. Não perceber isto é condenar o futuro.
Muito gostaria que políticos locais, Pais e Encarregados de Educação, Professores e outros responsáveis fizessem uma visita ao Complexo Educativo dos Arcos. Talvez que com humildade e vontade de ver, aprendessem alguma coisa.

segunda-feira, novembro 08, 2010

VAMOS CONVERSAR SOBRE A MORTE
No último número da Visão é publicada uma entrevista que deveria ser de leitura obrigatória no Ensino Secundário. O assunto é o último livro de António Lobo Antunes, “Sôbolos Rios Que Vão”, na circunstância o entrevistado, e o entrevistador é Ricardo Araújo pereira (esse mesmo).
Sendo o assunto um livro, o tema da entrevista é a Morte (temática do livro) apesar de ninguém morrer nos livros de ALA. Fiquei a saber que existe outra pessoa que gosta tão pouca da “vaca da morte” como eu.
Fiquei a saber também que o que fez irromper o escritor terão sido as Selecções do Reader’s Digest do período da 2ª grande Guerra, o Almanaque da Bertrand, o Pato Donald e as "Aventuras do Mandrake". Presumo que o Flash Gordon não terá sido citado só por puro esquecimento. Sinto-me feliz por ter tido os mesmos gostos na leitura que um dos grandes da nossa prosa.
A morte, a leitura e o cancro aproximam-me de ALA.
A senhora de quem não gosto comecei a contactar com ela desde muito novo. A minha avó (Guilhermina Baterremos) era a cangalheira de Peniche. Num tempo em que se compravam os caixões em esqueleto e que eram alindados pela minha avó com seda e florzinhas que os tornavam mais artísticos e menos tétricos. Ainda hoje tenho em casa quadros feitos com os Cristos que sobejaram dos caixões. É uma espécie de vingança que tenho contra ela. Ajudei Cristo mais a sua Cruz a não serem enterrados e desaparecerem na voragem da oxidação.
No que ao cancro diz respeito (os dois) tratámos mal o fdp e ele parece que separou de nós como o Demo das cruzes da minha avó. Não me dá prazer falar desse mete nojo. É um mal execrável que apanha as pessoas distraídas e tenta corroê-las por dentro como se fosse alguém da sua intimidade. Eu pelo meu lado e ao que percebo o ALA também, não queremos nada com esse nojento e com os serviços que presta à Parca.
Do que não queremos fica o que pedimos emprestado. As aventuras que nos levaram muito pequenos nos braços do sonho, as rápidas das Selecções e os livros condensados que me permitiram ter um vislumbre sobre o que mais tarde haveria de conhecer. Também para mim estas coisas têm a ver com a herança de meu avô, homem que acreditava que era na Fraternidade e na Liberdade que tudo quanto é bom pode acontecer. Sobre os rios que vão sinto-me bem pelo caminho que percorri. Desde os tempos em que jogava às escondidas com o meu irmão no armazém dos caixões, às horas que roubei ao estudo lendo o Mundo de Aventuras, ou ao que usei com paixão para dar um murro nos cornos do sacana do cancro que ousou chatear-me.
Afinal, parece que não falei assim tanto da Morte. Ou terei falado?

domingo, novembro 07, 2010

UMA QUESTÃO DE CHEIRO
Dois jovens alentejanos passeavam pelo campo quando a Maria parou e perguntou ao Manel:
- Como é que o cavalo sabe que a égua "o quer"?
Ao que o Manel responde:
- Pelo cheiro.
A Maria continua a andar e pouco mais à frente pára e pergunta:
- Manel, como é que o cão sabe que a cadela 'o quer'?
O Manel respondeu:
- Pelo cheiro, Maria.
Mais à frente a Maria torna a perguntar:
- Manel, como é que o touro sabe que a vaca 'o quer'?
O Manel responde (ainda pacientemente):
-Oh Maria, já te disse que é pelo cheiro!!!!!!!
Depois de uma curta pausa, a Maria pergunta:
- E tu, ó Manel, és maricas ou tás engripado?

sábado, novembro 06, 2010

PARA QUEM PRECISA DE PAZ NESTES TEMPOS DIFÍCEIS