sábado, fevereiro 28, 2009

QUEM DESDENHA…
Um indivíduo estava a morrer de sede no deserto. As forças faltavam e estava resignado à sua sorte quando viu um vulto ao longe.Com esperança redobrada, arrastou-se e gritou:
“- "Água! Por favor, água!".
“- Água não tenho -respondeu o outro. -Mas vendo gravatas. Não quer uma gravatita?
“-Gravatas? Eu estou aqui a morrer de sede e você quer vender-me uma gravata? Desapareça antes que eu o mate com as minhas últimas forças.”
“- Bom. Se não quer uma gravata, vou-me embora.” E foi.
"-Vejam lá, a minha última esperança e queria fazer negócio comigo. Vou morrer". Pensou o sujeito.
Mas nesse momento, distinguiu outra sombra no horizonte e novamente animado, foi arrastando-se cada vez mais até conseguir distinguir uma casa com um letreiro a dizer:
"Cervejaria - Marisqueira - Snack-Bar"
"-Incrível! Que sorte! Vou já pedir uma caneca!". Alegrou-se o sujeito, dirigindo-se para a entrada.
“-Alto!!!” - gritou o porteiro
“- Proibido entrar sem gravata!!!”

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

NOTÍCIAS RELEVANTES PARA PENICHE
(da Lusa)
"As trabalhadoras da indústria conserveira Sardinal, de Peniche, desconvocaram esta tarde a greve que tinham marcado até 06 de Março, esperando ver resolvidas as reivindicações através de uma reunião com a administração da fábrica. “Ficou decidido que amanhã voltamos ao trabalho, esperamos que entretanto a administração resolva as coisas. Queremos o levantamento dos 70 processos disciplinares e que nos pague uma semana em atraso desde há dois anos”, afirmou à Lusa a delegada sindical, Licínia Almeida. Das mais de uma centena de trabalhadoras da fábrica de conservas, metade concentraram-se esta manhã à porta da empresa em protesto contra os processos disciplinares que, segundo as funcionárias, têm em vista o despedimento. Contactada pela Lusa, a jurista da empresa, Paula Fernandes, que fala em nome da administração, afirmou que “os processos disciplinares estão concluídos e não serão anulados a não ser pela via judicial”. Segundo a administração foram instaurados 38 processos dos quais resultaram 29 despedimentos (os restantes permanecem na fábrica). os processos foram instaurados, segundo a administração, devido ao elevado número de faltas injustificadas das trabalhadoras. “Estamos dispostos a reunir com os sindicatos mas a empresa não vai anular qualquer processo”, frisou a responsável. Relativamente à semana de trabalho que as trabalhadoras reclamam, Paula Fernandes, alegou que “é um problema de 2007 que só agora aparece para resolver e segundo a lei está prescrito”.

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

p’ra tudo se acabar na quarta-feira…
Assim foi. Assim é. Restam as fotos que relatam os dias em que tanta gente se empenhou até ao esgotamento físico.
Em casa e na rua fui vendo passar os dias fantasiados de quimeras e de sonhos. Desses dias trago um registo que envio daqui para amigos d’Àquem e d’ Além Mar. Sabendo como sei que as suas referências também aqui estão nestes dias.
Devo dizer que o arranjo dos carros alegóricos, a qualidade dos figurinos usados, a música e as coreografias usadas, têm vindo a melhorar significativamente. Também os grupos e figuras alegóricas free lancer melhoraram substantivamente em relação a anos anteriores. A Associação quase que fez recordar outros tempos.
Registos de Casa Registos de Rua

terça-feira, fevereiro 24, 2009

DE UMA VEZ POR TODAS...
Finalmente algo de grande interesse e importância capital.Regras que os homens adoravam que as mulheres soubessem:
1. Se acham que são gordas, provavelmente é verdade. Não nos perguntem.
2. Aprendam a trabalhar com as tampas das sanitas. Se está levantada, ponham-na para baixo.
3. Nunca cortem o cabelo.
4. As vezes, não estamos a pensar em vocês. Aprendam a lidar com isso.
5. Livrem-se do gato.
6. Domingo = Futebol.
7. Qualquer coisa que usem está bem, mesmo.
8. Mulheres que usam Wonder bras e grandes decotes perdem o direito a protestar com os homens que lhes olham para as mamas.
9. Vocês têm sapatos a mais.
10. Choro é considerado chantagem.
11. Digam o que querem. Subtilezas não funcionam.
12. Assinalem os aniversários num calendário.
13. Sim, mijar de pé é mais difícil que o fazer sentadinha. É natural que falhemos às vezes.
14. SIM e NÃO são respostas perfeitamente aceitáveis.
15. Uma dor de cabeça que dura 17 meses é um problema. Vão ao médico.
16. Não finjam. Preferimos sermos ineficazes que enganados.
17. O que foi dito há mais de seis meses não é válido como argumento.
18. Se alguma frase pode ter dois sentidos e um deles vos chateia, é porque nós lhe queríamos dar o outro.
19. Deixem-nos olhar. Se não olharmos para outras mulheres, como é que sabemos que vocês são bonitas?
20. Não esfreguem a lâmpada se não querem que o génio apareça.
21. Podem pedir-nos para fazer algo OU dizer como querem que seja feito. Nunca ambas.
22. Cristóvão Colombo não precisou de orientação, nós também não.
23. Tem roupas que cheguem.
24. O sexo é a forma mais eficaz de dizer "amo-te".

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

SUGESTÃO DE TRAJE DE CARNAVAL PARA GORDOS

domingo, fevereiro 22, 2009

DESCOBRIR AS DIFERENÇAS
Diferenças entre o rico e o pobre:

Rico com uniforme: Coronel
Pobre com uniforme: Carregador de malas

Rico com pistola: Precavido
Pobre com pistola: Assaltante

Rico com unhas pintadas: Play Boy
Pobre com unhas pintadas: Gay

Rico com maleta: Executivo
Pobre com maleta: Traficante

Rico com chofer: Milionário
Pobre com chofer: Preso

Rico com sandálias: Turista
Pobre com sandálias: Pedinte

Rico que come muito: Se alimenta bem
Pobre que come muito: Morto de fome

Rico jogando bilhar: Elegante
Pobre jogando bilhar: Viciado

Rico lendo jornal: Intelectual
Pobre lendo jornal: Procurando emprego

Rico se coçando: Alergia
Pobre se cocando: Sarnento

Rico correndo: esportista
Pobre correndo: Ladrão de carteira

Rico vestido de branco: Doutor
Pobre vestido de branco: Vendedor de gelados

Rico de asas: Anjo
Pobre de asas: Morcego

Rico numa casa de putas: Buscando prazer
Pobre numa casa de putas: Buscando a mulher

sábado, fevereiro 21, 2009

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

QUE CARNAVAL
…é este que nos chega? Que razões para a folia? Milhões de desempregados em todo o Mundo. Algumas empresas aproveitam esta situação dramática para fazer um ajuste de contas com a luta de classes. Não sei se fazer greves não é prestar um serviço às empresas e ao governo.
Toda a gente acha que o Estado se devia ocupar da pessoa singular que é. Os trabalhadores voltam-se uns contra os outros e ameaçam-se. É ver o caso da Fenprof a ameaçar Conselhos Executivos com processos judiciais a propósito das avaliações.
Isto enquanto em centenas de fábricas e empresas o despedimento toca a todos, bons e maus trabalhadores.
Nos EUA começam a surgir Cartoons sugerindo a comparação de Obama com um chimpanzé raivoso que deverá ser abatido.
Enfim! É o Carnaval no seu melhor.

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

MAIS BOAS PRÁTICAS
Já não estranhamos quando ouvimos dizer mal. Reparem que eu não falo em criticar. A crítica envolve uma análise, uma síntese e um parecer sobre os valores que foram atingidos e aqueles que ficaram por alcançar.
Estou a recordar-me da forma acintosa e espúria como é tratada a actual gestão autárquica, num cartaz que foi colocado junto ao mercado. A análise comparativa com gestões anteriores em anteriores mandatos não é feita e é atribuída a culpa dos males do mundo, aos simplórios que vão levando a água ao moinho na Câmara Municipal de Peniche.
Esta é a forma trauliteira de comentar a actividade dos outros. Sejam ele quais forem. O que me espanta é ver caminhar estas pessoas em direcção à comunhão e depois comportarem-se não como cristãos, mas como malfeitores.
Mas voltando ao que aqui me trouxe…
Nos últimos tempos tenho sido um frequentador do espaço em que funciona a Loja do Cidadão. A forma eficiente e atenciosa com que somos tratados não tem nada a ver com a imagem caricaturada de antigamente, em que o funcionário público fazia os tristes dos cidadãos, caminharem de Herodes para Pilatos, sem verem o fim do Calvário dos papéis em que se viam afundados.
Mas também os funcionários da CMP que atendem o público naquele espaço, vão dando mostras de uma eficiência e capacidade de todo inusitada. Acredito que em Peniche as coisas estão a melhorar. E acredito que vale a pena sermos exigentes. Nós temos pessoal de qualidade. Basta dignificá-los e dar-lhes responsabilidades.
Para a Loja do Cidadão em especial vai aqui o meu reconhecimento público pela qualidade do seu serviço.

terça-feira, fevereiro 17, 2009

SEM COMENTÁRIOS…
Peniche, Leiria, 16 Fev (Lusa)- A PSP de Peniche está a investigar um caso de burla de 800 euros de que foi vítima um septuagenário, instado a demonstrar ser “pessoa fiável” para entregar uma doação em dinheiro a uma instituição de caridade.
O idoso foi inicialmente abordado por um homem, de cerca de 60 anos, que lhe disse que “tinha o pai doente acamado com cancro e que este queria fazer uma doação a uma instituição”, relatou à Lusa fonte da PSP.
Para tal, disse ao septuagenário que precisava de duas testemunhas para assistir à doação, tendo retirado do bolso a quantia de dinheiro, em “diversos maços de notas fictícias”, que pretendia entregar à instituição.
Mais do que ser testemunha, a vítima terá sido depois instada a ser a “fiel depositária” do dinheiro e ser ela a entregar directamente o donativo.
Nessa altura, “fez com que o indivíduo fosse levantar ao banco 800 euros como garantia de ser uma pessoa fiável e ficasse com o donativo a dar à instituição”.
Para levar o idoso a cair no conto do vigário, um outro homem, de cerca de 60 anos, apareceu, fazendo-se passar por testemunha e com igual valor monetário para entregar como garantia de ser pessoa idónea, no momento em que o lesado regressava com os 800 euros do banco.
De acordo com a PSP, depois de colocar todo o dinheiro no mesmo saco de notas falsas, os dois alegados burlões pediram ao septuagenário para ir aos correios comprar uma folha azul timbrada para preencherem e entregarem na instituição juntamente com o dinheiro.
Ao regressar ao local, os suspeitos tinham fugido com o dinheiro e o homem de 72 anos, apercebendo-se que tinha sido vítima de uma burla, acabou por apresentar queixa na PSP, que está agora a investigar o caso.
FYC Lusa/Fim

domingo, fevereiro 15, 2009

SURFAo contrário do que é meu hábito, vou falar de coisas sérias ao domingo, sem buscar o humor para tal.
Refiro-me à criação de um Centro de Alto Rendimento para o Surf criado em Peniche, com o apoio inexcedível do actual executivo camarário. Vem tarde é verdade. Mas chegou finalmente o reconhecimento do Poder local para este Desporto que envolve todo um conceito dificilmente abordável noutros desportos.
Eu próprio que passei pela Câmara nunca fiz nada para que isto acontecesse. As prioridades foram sempre outras. Programáticas durante na pré-campanha e na campanha eleitoral, unipessoais depois de ganhas as eleições.E o Surf também foi uma actividade desportiva que nunca foi prioridade. Finalmente veio um executivo que reconheceu não só a sua importância, como criou algumas condições para que ele se possa desenvolver. Isto não significa que tenha de ser um desporto contra outro. Que para favorecer uma modalidade se tenha de abandonar outra.
Em Peniche o Mar e o futebol são referências patrimoniais. Pois que dêem as mãos e caminhem em prol do engrandecimento de Peniche.

sábado, fevereiro 14, 2009

QUEM ASSIM NASCE, É PARA SEMPRE!
Jesus que andava muito preocupado com o elevado consumo de drogas na Terra, convoca uma junta de emergência os seus discípulos.Depois de muito pensarem, chegam à conclusão que o melhor para enfrentarem o problema, é eles próprios provarem a droga e depois tomarem as medidas pertinentes.Decidiram que uma comissão de discípulos baixaria à Terra para conseguirem as diferentes drogas.Dá-se início à operação secreta e dois dias depois começam a chegar os primeiros discípulos. Jesus espera à porta :
Truz Truz
- Quem é?
- Sou Paulo.
Jesus abre a porta.
- Que trazes?
- Trago Haxixe de Marrocos.
- Entra meu filho.
Truz Truz
- Quem é?
- Sou Marcos.
Jesus abre a porta.
- Que trazes, Marcos?
- Trago Marijuana da Colômbia.
- Entra meu filho.
Truz Truz
- Quem é?
- Sou Mateus.
Jesus abre a porta.
- Que trazes, Mateus?
- Trago Cocaína da Bolívia.
- Entra meu filho.
Truz Truz
- Quem é?
- Sou João.
Jesus abre a porta.
- Que trazes?
- Trago Crack de Nova York.
- Entra meu filho.
Truz Truz
- Quem é?
- Sou Lucas.
Jesus abre a porta.
- Que trazes, Lucas?
- Trago Speed de Amsterdão.
- Entra meu filho.
Truz Truz
- Quem é?
- Sou Judas.
Jesus abre a porta.
- Que trazes, Judas?
- FBI, TODOS ENCOSTADOS À PAREDE!!!!

sexta-feira, fevereiro 13, 2009



6ª Feira 13A mesma notícia. Três Jornais (?) em Peniche. Três títulos, separando-os a vontade de se ser mais ou menos lido.
1º Jornal – “HOSPITAL DE PENICHE – Integra novo Centro Hospitalar”
2º Jornal – “Ministério da Saúde fecha administração do Hospital de Peniche”
3º Jornal – “Hospital de Peniche vai ser extinto”

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

OS CORSOSRSOS De quatro em quatro anos anima-se o “Portugal dos Pequeninos”. Acordam as “Juventudes” características. Escolhem-se títulos pomposos para os jornais partidários sejam eles mais ou menos “Populares”.
Contam-se espingardas. São apetitosos os restos de comidinha mais ou menos putrefacta, a que almejam os que não podem aspirar a outras guloseimas no todo nacional.
As “Marias” e os “Maneis” locais põem-se em bicos de pés para serem “topados” pelos construtores de listas. Crescem os ciúmes ao mesmo ritmo que as vaidades pessoais. Aspira-se a cargos e a empregos.
Os corsos políticos são as autárquicas no seu melhor.

quarta-feira, fevereiro 11, 2009

POESIA
Sei que este não é um tema que colha muito junto das pessoas. E agora que o mundo parece desabar sobre as nossas cabeças, sem dinheiro para pagar as prestações do carro, da casa, da mobília, do PC, menos importa ouvir, ler e falar de poesia.
Durante muitos anos em livrarias e alfarrabistas persegui o “Poesia Toda” de Herberto Hélder.
Caracterizadora dos tempos que vivemos é a minha ida à Bertrand no Chiado. No balcão atendeu-me uma menina a quem perguntei pelo livro. Disse-me que não se recordava de ter ouvido falar. Pedi-lhe então para ver no computador se tinha algum livro de Herberto Helder. Quando a vi escrever o nome do autor, ia caindo para o lado e disse-lhe antes de morrer: - Menina! Escreve-se com H. Respondeu-me que estava distraída e que sabia muito bem que Helder se escrevia com H. Eu antes de fugir porta a fora ainda lhe disse: - Menina! Herberto também.
Isto para dizer o quê? Que o autor se tornou um ilustre desconhecido pela raridade/dificuldade com que se encontram os seus livros. E no entanto, ao lado de Camões e Pessoa, Herberto Helder é a terceira pessoa da Santíssima Trindade da Poesia Portuguesa.
À minha frente estão “A Faca Não Corta o Fogo”, “Ou o Poema Contínuo” e “Doze Nós Numa Corda”. Sou um felizardo.
PS: Helder no nome próprio de Herberto Helder, escreve-se sem acento no e. Não estou distraído.

terça-feira, fevereiro 10, 2009

EU SOU DO TEMPO…
…Em que os Conselhos Directivos eram constituídos por pessoas que não auferindo por isso vencimento, era a dedicação à causa das Escolas o que fundamentalmente os levava ao cargo. Recebiam de facto uma compensação monetária que era inferior àquela que receberiam se tivessem 2 horas extraordinárias.
…Em que durante anos não se podiam tirar 30 dias de férias. O melhor que se conseguia era 15 dias.
…Em que os escolhidos para Presidentes dos Conselhos Directivos eram aqueles que de entre pares e iguais melhor poderiam representar os seus colegas junto do Ministério da Educação.
…Em que muitas vezes era difícil conseguir quem estivesse disponível para abdicar da vida fácil de professor e trocá-la pela carga de trabalhos que era ser gestor de uma escola.
…Em que para se chegar ao cargo era necessário não ter nenhuma sanção no seu curriculum pelo exercício das suas funções de professor.

Tudo mudou. Agora parece que se tornou um luxo e apetitoso ser Presidente do Conselho Executivo. E o vencimento que se recebe pelo exercício do cargo, tornou-os reféns dos professores das escolas. Não me espanta o que vou ouvindo. Os professores são useiros e vezeiros em utilizar em seu favor, aqueles que deles dependem.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

TRAGÉDIA
Nos últimos dias temos vindo a assistir ao desenvolvimentos de fogos terríveis na Austrália que têm ceifado bens pessoais e vidas de forma devastadora.
No Verão/Outono passados também os EUA foram vítimas desse tipo de catástrofe sobretudo na zona da Califórnia.
Um e outro países são poderosos economicamente e possuem meios dos mais avançados e sofisticados que se conhecem, para o combate a este tipo de devastações. E não há como conseguir travar esta desgraça.
Cá neste país de caracácá, quando um incêndio acontece os meios de comunicação social e os políticos, tratam este assunto como se fosse uma "obra maléfica" do partido que está no governo e não como uma catástrofe nacional que a todos afecta e a todos empobrece. Será que merecemos ser o país "ranhoso" que somos?

domingo, fevereiro 08, 2009

sábado, fevereiro 07, 2009

PENSAMENTOS DO DIA
O sexo é como uma estação de serviço:
às vezes recebe-se um serviço completo;
outras vezes tem que se pedir para se ser atendido e há vezes em que temos que nos contentar com o self-service!

Um homem é como um soalho flutuante:
Se for bem montado pode ser pisado durante mais de 30 anos.

As calorias são pequenos animais que moram nos roupeiros e que durante a noite apertam a roupa das pessoas.

Os problemas do nosso país são essencialmente agrícolas:
excesso de nabos; falta de tomates e muito grelo abandonado.

O trabalho fascina-me tanto que às vezes, fico parada a olhar para ele.

O Casamento é um relacionamento a dois, no qual uma das pessoas está sempre certa e a outra é o marido.

A mulher está sempre ao lado do homem, para o que der e vier; já o homem, está sempre ao lado da mulher que vier e der.

Se fores:
chata as tuas amigas, perdoam;
agressiva as tuas amigas, perdoam;
egoísta as tuas amigas, perdoam;
Agora experimenta ser magra e linda! Tás fod*da!

O amor é como a gripe, apanha-se na rua, resolve-se na cama!

A falta de sexo provoca amnésia e outras merdas que agora não me lembro...

Portugal é um país geométrico:
é rectangular e tem problemas bicudos discutidos em mesas redondas, por bestas quadradas!

A diferença entre Portugal e a República Checa é que esta tem o governo em Praga e Portugal tem a praga no governo.

Não procures o príncipe encantado.
Procura, antes, o lobo mau: ouve-te melhor; vê-te melhor e ainda te come.

Toda a gente se queixa de assédio sexual no local de trabalho. Ou isto começa a ser verdade ou então despeço-me!!!

A mulher do amigo é como a bota da tropa; também marcha!

O cérebro é um órgão maravilhoso. Começa a trabalhar logo que acordamos e só pára quando chegamos ao serviço.

O teu computador é como uma carroça: tem sempre um burro à frente!!!

As hierarquias são como as prateleiras, quanto mais altas mais inúteis.

Os trabalhadores mais incapazes são sitematicamente promovidos para o lugar onde possam causar menos danos: a chefia.

Qual a diferença entre uma dissolução e uma solução?
Uma dissolução seria meter um político num tanque de ácido para que se dissolva. Uma solução seria metê-los a todos.

Chocolate não engorda, quem engorda é você.

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

O POETA CHOROU…
Manuel Alegre vem dizer-nos o óbvio. Que as pessoas têm medo do poder instalado. Medo de criticarem o Poder, com receio de perderem privilégios. Ou os seus familiares serem preteridos. Ou os familiares dos familiares não se instalarem sobre o chapéu-de-chuva de quem está no topo.
O Poeta tem andado distraído. Isso não é de agora, nem é característica em exclusivo do PS. É característica do Poder. É assim que ele se perpetua. Ou que julga poder perpetuar-se. Aqui em Peniche assisti a isto e ao inverso. A ameaças ao Poder de que votariam contra ele (em sede de Assembleia Municipal) se não lhes dessem empregos, ou se não empregassem os familiares.
E o Poder quando é fraco cede. E depois age da mesma forma ou com maior violência e ganância.
Não sei por onde o Poeta andou todos estes anos que só há pouco tempo descobriu estas nojeiras que o arrepiam. Há pelo menos 34 anos que o povo português sabe que é assim. Por isso abstém-se e não vota. Por isso borrifa-se para aquilo que os políticos profissionais (tal e qual como o poeta) dizem.
Não merece a pena chorar. A gente já não acredita em lágrimas que surjam por este tipo de razões.

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

NOTÍCIAS DE "PENICHE", SEJA LÁ ISSO O QUE FOR
Há uns dias deixei algumas anotações da designação "Peniche". Fui encontrar anteontem, uma notícia de um futebolista de nome Peniche, num jogo de futebol contra o celebrado Pelé. É essa notícia que transcrevo na íntegra.

NOTICIA do EXonline
http://www.excelsior.com.mx/
03 de Fevereiro de 2009
Una noche imborrable
JC Vargas

Los goles que anoche le metió el Necaxa al portero Laercio, reputado como el mejor del momento en el futbol brasileño, probablemente el titular del equipo nacional para el próximo campeonato del mundo, fueron imparables. Este, por ejemplo, fue el segundo clavado a los diez minutos de iniciado el partido por Peniche, que aparace a la izq. en el momento en que acababa de rematar con la frente un tiro de castigo dibujado por Evaristo. (Este fue el pie de foto original publicado en Excélsior hace 48 años).
Foto: Archivo Excélsior

Ocurrió hace 48 años. Cuando el Necaxa venció al Santos de Pelé, en aquellos eternos 90 minutos
¿Cuántas ocasiones se habrá contado esta historia? Han pasado 48 largos años y el Necaxa de aquel 1961 sigue derrotando al Santos de Pelé. Sucede cada día 2 de febrero, cuando los muchachos de cabellos blancos se reúnen para repetir aquel partido que se jugó en el estadio de CU.
“¡Necaxa le ganó al Santos de Pelé!”, contaron un día después los diarios mexicanos, aquellos que previo al partido apostaban por cuántos goles les metería el cuadro brasileño, el mejor del mundo, a aquellos 11 necaxistas vestidos de rojo y blanco.
El Santos venía a un pentagonal, con 20 juegos invicto y con la maravilla negra llamada Edson Arantes do Nacimento, jovencito que años atrás acababa de sorprender al mundo en Suecia 58. La imagen del adolescente de 17 años que llora en la cima.
El Santos de Pelé llegó aquel 1961 con 10 mortales: Laercio, Dalmo, Mauro, Ze Carlos, Zito, Calvet, Dorval, Mengalvio, Coutinho y Pepe.
La alineación siempre comienza por el portero. Ahí está Jorge Morelos. En la reunión de necaxistas y en la memoria de aquel partido. Hombre de 77 años y dedos chuecos de tantos balonazos, cuando el esférico era de cuero y no existían los guantes protectores.
Se dan cita en La Casona del Giaco, donde el ritual se repite. Jorge Morelos, Héctor González, Pedro Dellacha, Pedro Romero, el Fumanchú Reynoso, Reynaldo Giacomini, Alberto Baeza, Alberto Evaristo, Dante Juárez, Memo Chatito Ortiz y Agustín Peniche.
De aquel memorable cuadro sólo tres llegaron a la cita anual: Jorge Morelos, el Fu Reynoso y el argentino Reynaldo Giacomini. Dicen los amigos que Dante Juárez es el único que ya partió al otro mundo, tocando el balón y cantando sus tangos. Evaristo y Dellacha viven en Argentina. ¿Los demás? A veces llegan y otros se desaparecen por temporadas.
Los meseros se mueven de un lado a otro, mientras las charlas se funden encima de las mesas y el balón imaginario aparece en la vieja cancha de Ciudad Universitaria. Sí, como cada año.
“No habían pasado ni dos minutos cuando el Morocho Juárez puso el 1-0”, dice expresivo el Fu Reynoso, quien por momentos se olvida de aquellas muletas que lo siguen por todas partes.
Y al minuto 11, Peniche con la testa, los tenía en el hoyo. Lo platican Morelos y Giacomini.
¿Cómo es que un cuadro mexicano, que ni siquiera era el campeón de aquellos tiempos (lo eran las Chivas), estaba humillando a la sensación brasileña? Apareció entonces la voz de Pelé, todo orquesta en la cancha, con apenas 20 años. Pepe respondió con un fuerte disparo y Coutinho con la testa. El primer tiempo terminó 2-2. Giacomini, el argentino, llegó de refuerzo para el Necaxa en aquel año. Jugador en Brasil y Argentina, haría escala en el Morelia, antes de ponerse la playera rojiblanca. No abandonaría sus colores ni se iría jamás de México. Habla poco, muestra la hinchazón permanente de la rodilla derecha. En la diestra trae una imagen de chamaco, aquel rubio de cara bonita, cabellos bien peinados y pierna educada. Trapos de rojo y blanco.
En la mesa del Giaco aparece la chistorra, el vino, las empanadas y el chimichurri. Las porras y el segundo tiempo.
Tantas veces se ha contado este partido que a veces sus propios protagonistas cambian el orden de los goles, pero no el resultado final. Algunos dicen que apenas comenzó la parte complementaria, el Santos remontó el marcador. Pero fue el Chato Ortiz el que puso al Necaxa 3-2.
Entonces aparece el Fu Reynoso, aquél que de chamaquillo sólo se llamaba Tomás y se mudó con sus padres de León, Guanajuato, a la colonia Guerrero. Aquel 2 de febrero de 1961 le tocó pararse en la cancha frente a Pelé. “Hacía maravillas con el balón. Incluso sin él. No era tan alto, pero su figura imponía.”
A Tomás le pusieron el Fumanchú cuando jugaba en el Necaxa y una ocasión “escondí el balón entre las piernas y el rival se perdió. Entonces no faltó quien dijera que lo hice como el mago de aquellos tiempos”.
Y entre mago y maravilla negra, aquella noche dominó el mexicano. “No dejé que hiciera daño, aunque el que estuvo tremendo fue Pepe. Yo le gritaba de todo, pero no se intimidaba.”
Fue cuando llegó el empate a tres goles. Atención, Pepe se escapa, Pepe dispara y … ¡penal!, el Fu Reynoso se lanza con la cabeza y alcanza a meter la mano. “Le quise hacer como el Pelusa, sólo que el árbitro alcanzó a ver la mano”. El mismo Pepe cobraría la falta desde el manchón de los 11 pasos.
En la comida están necaxistas de otros tiempos: Alfonso Pescado Portugal, José Cano, Aguilar, Fernando Salgado, David La Máquina Zamora, Alberto Gómez, Carlos Pichojos Pérez y Roberto El Cañabrava Martínez. Todos hablan del juego que no les tocó y de aquel momento cuando Pelé salió lesionado de la cancha. Eran otros tiempos, no existían los cambios y el Santos se quedó con un hombre menos. Muchas versiones. Que lo lesionó Dellacha, que fue Morelos...
Toca el turno al portero. El de los dedos chuecos de tanto romperse, el que no usaba guantes ni apodo. Jorge Morelos. Las lesiones siempre lo siguieron. Tres veces fue llamado para defender la portería de la Selección Nacional y las tres ocasiones se quedó con las ganas por sufrir lesiones antes de la hora de la verdad. “Una vez me rompieron la nariz, otra una mano y otra más la pierna. El día aquel, frente a Santos, fue un choque entre tres. Un tiro por la izquierda, yo salto por el balón y detrás de mí brinca Pelé. También saltó Dellacha. Recibí un golpe en la cabeza y cerca estuve del desmayo, pero no solté el balón. Pelé se luxó el hombro y tuvo que abandonar. Dellacha salió ileso”.
Dante Juárez, el que ya está en el otro mundo, marcó el gol de la victoria necaxista. Fue al 79’. Y los gritos se asoman entre aquellos veteranos, quienes sueltan porras como cada año. Nadie recuerda si Pelé intercambió camiseta o dónde quedaron aquellos viejos uniformes. Ataja el portero: “No imaginábamos que ese triunfo sería recordado después de tantos años. ¿Qué le pasó al Necaxa? Un día lo transformaron en Atlético Español y todo cambió”.
Y sin embargo, aquel Santos de Pelé seguirá perdiendo ante el Necaxa, cada día 2 de febrero. Aunque algunos momentos se pierdan de la memoria.
Ocurrió hace 48 años. Cuando el Necaxa venció al Santos de Pelé, en aquellos eternos 90 minutos
¿Cuántas ocasiones se habrá contado esta historia? Han pasado 48 largos años y el Necaxa de aquel 1961 sigue derrotando al Santos de Pelé. Sucede cada día 2 de febrero, cuando los muchachos de cabellos blancos se reúnen para repetir aquel partido que se jugó en el estadio de CU.
“¡Necaxa le ganó al Santos de Pelé!”, contaron un día después los diarios mexicanos, aquellos que previo al partido apostaban por cuántos goles les metería el cuadro brasileño, el mejor del mundo, a aquellos 11 necaxistas vestidos de rojo y blanco.
El Santos venía a un pentagonal, con 20 juegos invicto y con la maravilla negra llamada Edson Arantes do Nacimento, jovencito que años atrás acababa de sorprender al mundo en Suecia 58. La imagen del adolescente de 17 años que llora en la cima.
El Santos de Pelé llegó aquel 1961 con 10 mortales: Laercio, Dalmo, Mauro, Ze Carlos, Zito, Calvet, Dorval, Mengalvio, Coutinho y Pepe.
La alineación siempre comienza por el portero. Ahí está Jorge Morelos. En la reunión de necaxistas y en la memoria de aquel partido. Hombre de 77 años y dedos chuecos de tantos balonazos, cuando el esférico era de cuero y no existían los guantes protectores.
Se dan cita en La Casona del Giaco, donde el ritual se repite. Jorge Morelos, Héctor González, Pedro Dellacha, Pedro Romero, el Fumanchú Reynoso, Reynaldo Giacomini, Alberto Baeza, Alberto Evaristo, Dante Juárez, Memo Chatito Ortiz y Agustín Peniche.
De aquel memorable cuadro sólo tres llegaron a la cita anual: Jorge Morelos, el Fu Reynoso y el argentino Reynaldo Giacomini. Dicen los amigos que Dante Juárez es el único que ya partió al otro mundo, tocando el balón y cantando sus tangos. Evaristo y Dellacha viven en Argentina. ¿Los demás? A veces llegan y otros se desaparecen por temporadas.
Los meseros se mueven de un lado a otro, mientras las charlas se funden encima de las mesas y el balón imaginario aparece en la vieja cancha de Ciudad Universitaria. Sí, como cada año.
“No habían pasado ni dos minutos cuando el Morocho Juárez puso el 1-0”, dice expresivo el Fu Reynoso, quien por momentos se olvida de aquellas muletas

terça-feira, fevereiro 03, 2009

E SE JULGARES QUE ESTÁS A SONHAR E AFINAL ESTÁS ACORDADO?
Foi assim que me senti hoje ao ver o título de 1ª Página do “Diário de Notícias”: “Professores reformados recusam proposta para voltar às escolas”.
Em primeiro lugar a mim do Ministério da Educação ninguém me consultou. Em segundo lugar não dei procuração nenhuma para quem quer que seja responder em meu nome perante uma qualquer proposta para voltar a trabalhar numa escola. A notícia portanto só poderia ser um pesadelo.
Comprei o jornal e fui ler.
Afinal parece que existe fumo e fogo. O ME tem uma proposta para apresentar ao Conselho de Escolas, a fim de viabilizar a colocação de professores reformados em regime de voluntariado em escolas visando objectivos muito bem explícitos:
- Formação de professores e pessoal não docente
- Estudo acompanhado de alunos com dificuldades de aprendizagem
- Acompanhamento do percurso escolar dos alunos
- Apoio a visitas de estudo
- Dinamização de clubes
- Relações Públicas da Escola na dinamização do conhecimento de actividades pedagógicas relevantes para o desempenho dos Docentes em exercício
Os reformados voluntários trabalharão nas escolas pelo menos 3 horas semanais, e apresentarão relatórios da actividade desenvolvida.
O ideólogo da proposta é o Secretário de Estado Valter Lemos, que se esqueceu só de uma regra e uma tarefa a desenvolver pelos reformados no mesmo espírito de missão.
A escolha dos candidatos deverá ocorrer após a apresentação pelos candidatos da sua vinculação a uma qualquer entidade de carácter religioso e que têm ainda como tarefa a de “limpar o rabinho” aos que no exercício da sua actividade escolar disso venham a necessitar.
Isto só pode ser uma brincadeira de mau gosto. Eu afirmo aqui solenemente que acredito na honestidade do snr. primeiro ministro, pelo que não é necessário inventarem nada para me lixarem o juízo.
Se os empresários se lembram desta, para que é necessário arranjar empregos? Ponham os reformados a trabalhar gratuitamente.

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

O DRAMA DE JEAN BAROIS
Nunca como hoje este livro de Roger Martin du Gard me surge tão actual (para mim). Espero poder resistir ao ocaso da vida. Não estou a falar de me recusar a envelhecer. Isso é uma inevitabilidade. Mas ao desejo que tenho de ir mantendo as minhas capacidades intelectuais minimamente em estado operacional.
De facto eu tenho em relação à Morte um desaguisado muito grande. É que não me apetece nada enfrentá-la. Porque sei que muito dificilmente sairei vencedor nessa luta. E eu, só de pensar que vou morrer (desaparecer) já tenho saudades de mim. Mal ou bem, gosto do que vejo, ouço, leio. Mesmo quando me passo da “corneta” fico depois todo satisfeito porque refilei, resmunguei e incomodei.
Nada me perturba mais do que a ideia de que me poderei tornar num vegetal. Olho à minha volta e a maior parte da minha família mais próxima desapareceu. Estou a ficar só. O meu pai continua a estar presente todos os dias. O meu irmão vai-me visitando regularmente. Mais regularmente do que quando estava vivo.
E eu vou desejando manter a lucidez imprescindível para poder estar aqui todos os dias. Sem abdicar ou negar os princípios e valores em que fui educado e que me ajudaram a ser a pessoa que sou.

domingo, fevereiro 01, 2009

A INTELIGÊNCIA GANHA À BRUTALIDADE