quarta-feira, novembro 30, 2011

PROVÉRBIO
“quem aos vinte não é e aos trinta não tem, aos quarenta já não é ninguém.”

Num texto que me foi dirigido, recebi o provérbio acima. É de facto espantoso como a voz popular, baseada em conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, consegue de tal forma explicar tanta coisa. Se conseguíssemos transmitir aos nossos filhos e netos, aos nossos alunos tal sabedoria, provavelmente teríamos um povo mais empenhado e mais interventivo. Olho e ouço os indignados e sinto a falta de consistência do seu discurso.
Não que não exista honestidade e desespero nuns quantos deles. Mas ouço os mais assanhados e aquele discurso cheira-me sabe-me a encomenda.
O país está um desastre. A nossa actual classe política é feita de “meninos” que se formaram nas franjas dos Partidos Políticos e que almejam a ser futuros andróides decalcados do que de pior a sociedade portuguesa deu à luz. Mas os que se indignam, fazem-no porque também querem um lugarzinho à mesa do Orçamento. Gerámos fantoches inconsistentes. E agora olhamos para as nossas mãos e vemos que estão vazias.
Não ensinámos o mérito do saber fazer. Levámos os nossos jovens a acreditar que o leite é produzido por uma máquina que se encontra no armazém do super onde fazemos as compras quando vamos ao Centro Comercial.
Não soubemos transmitir que a Liberdade tem um preço que é preciso pagar para se poder desenvolver. E ficámos à espera que tudo caia do céu. Ficámos à espera que o mar arda, para comer peixe grelhado!... E não nos preocupámos em ensinar a acender um fogareiro a carvão.
Ensinámos a estender a mão em vez de a utilizar para construir o futuro. E agora sentimo-nos órfãos e sem-abrigo.

terça-feira, novembro 29, 2011

SIC/EXPRESSO/EXAME

No decorrer do jornal da manhã da SIC é habitual a entrevista às pessoas que abordam na EXAME e no EXPRESSO as notícias de economia. Presumo que se trata de licenciados “frustrados” em economia que se dedicaram à carreira jornalística. Ou então trata-se de jornalistas que se dedicam à economia, porque a linguagem dos números lhes é mais acessível que juntar letras para exprimir ideias.
Assim foi hoje com um tal sr. Pedro, que às tantas sobre o OE de 2012 e as alterações introduzidas nos cortes, dizia mais ou menos isto: “- A suavização dos cortes na cultura é irrelevante por não se tratarem de bens de 1ª necessidade.”
De facto entendo que os economistas ou os para-economistas assim pensem. Para eles e para os políticos a cultura é assunto menor. E quanto menos culto for um povo mais facilidade existe em dominá-lo e manobrá-lo. A apatia em que se vive em Portugal face à desbunda em que há longos anos vivemos, é significativa do grau de atraso intelectual em que vivemos. As pessoas não compram livros porque não gostam de ler. As pessoas não compram discos porque não gostam de música. Afinal sempre é mais divertido chamar fdp ao árbitro ou saber os segredos nos reality shows.

sábado, novembro 26, 2011

CONTRA TUDO E CONTRA TODOS...
ASSIM SE DESENVOLVE UM PAÍS
















quinta-feira, novembro 24, 2011

O MINISTRO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS DE SADAM HUSSEIN NO GOVERNO PORTUGUÊS
Todos se recordam da figura caricata do senhor referido supra, a dizer nos noticiários que o Iraque estavam a ganhar a Guerra aos EEUU, quando já se viam as bombas a cair em Bagdad e os tanques a percorrerem as ruas daquela cidade.
Assim é um tal Frasquilho, que hoje dizia para as televisões que o Governo Português estava a ir no bom caminho para vencer a crise, ao mesmo tempo que era anunciado que mais uma agência financeira descia a notação portuguesa colocando a economia portuguesa na ZONA DE LIXO.
Mais palavras para quê?

quarta-feira, novembro 23, 2011

INVERSÃO DE VALORES
A minha última “escrevinhação” aqui deixada, utilizava acontecimentos do Futebol e colocava-os a par com os acontecimentos recentes da política. No período que atravessamos e que os média tendem a valorizar nos seus aspectos mais negros ressaltam acontecimentos que a todos nos obrigam a repensar as nossas atitudes e empenhamentos.
Quando ouço o actual Presidente da República a apelar ao melhor em cada um de nós para vencer od desafios que enfrentamos, eu interrogo-me sobre o que ele quererá dizer com isto. Não é verdade que crise, dinheiro e corrupção estão intimamente ligadas? O PR está a apelar aos portugueses honestos e trabalhadores que são sempre a fonte dos desmandos dos políticos, ou aos pares e iguais a quem ele próprio fez ascender na escala hierárquica do poder, dando-lhes a capacidade e os meios, e as formas, e os instrumentos, para poderem criar BPNs que nos roubam subsídios que amealhámos?
O PR e o 1º Ministro falam para mim, ou falam para os Duarte Lima, os Armando Vara, os Oliveira Costa e os, e mais os? Interrogo-me sobre quantos dos actuais membros do Governo e dos actuais deputados, que votam a favor dos desmandos que empobreces os portugueses, para eles e os seus amigos e mandantes poderem enriquecer, quantos deles dizia eu, estarão dentro de 10 anos nos calabouços da PJ a aguardarem para ser julgados?
Aflige-me pensar que só tarde demais saberemos até que ponto estamos a ser espoliados e humilhados. E quando soubermos esta raiva que agora nos endurece as capacidades de revolta já estará diluída na poeira dos dias.
Por isso o futebol já colhe mais que a política. Por isso estranho que Ricardo Carvalho seja julgado e castigado e os participantes dos telefonemas de corruptores e corruptíveis fique sem qualquer crítica. Os políticos, os criminosos passam impunes, e um jogador de futebol que ofendeu um treinador de espírito virginal, tenha de ser afastado de entre os melhores, que é um lugar que merece por direito próprio.

segunda-feira, novembro 21, 2011

DECLARAÇÃO
Eu, fulano de tal, recuso-me a participar nesta fantochada em que os políticos de merda deste país me meteram.
Afirmado isto, espero bem que o desgraçado do 1º Ministro corte relações comigo e que nem sequer me queira ver o cheiro. Sendo assim estou dispensado de contribuir com o meu dinheiro para o regabofe que vai aí.
Eu não votei no sacana do 1º Ministro, nem em nenhum dos outros que concorreram. Também não votei nos palhaços que em eleições anteriores quiseram encher os bolsos à custa dos parvos que votam.
Como todos eles devem estar zangados comigo, eu devo estar dispensado de ir a jogo. Não quero contribuir para nada e eles nada devem querer de mim. Porque é que eu hei-de ser solidário com um país que em 40 anos de trabalho me levou em descontos rios de dinheiro e agora me rouba descaradamente?
Faço como o Ricardo de Carvalho. Abandono o estágio e espero que quem manda, faça como o Paulo Bento e não queira nada de mim. Se isto é por atitudes mais ou menos bem educadas que vamos ou não à selecção, então depois de tudo o que disse aqui é bom que não façam conta comigo. Ou então vou pensar que o Futebol é mais sério que o Governo de um país. E se é. Escolho o Valentim Loureiro para Ministro das Finanças. O Mesquita Machado para Ministro das Obras Públicas. O Jorge de Jesus para Ministro da Educação. O Pinto da Costa para Ministro da Economia. O Manuel José para Ministro dos Estrangeiros. E como é óbvio o Paulo Bento para 1º Ministro.

domingo, novembro 20, 2011

sexta-feira, novembro 18, 2011

A PARTILHA DO PODER
Não é difícil de perceber porque é que estamos sempre de tanga neste país, ou porque é que caminhamos para lá. Sempre que se verifica o exercício da alternância democrática, o que ontem eram avanços, hoje são recuos. As reformas institucionais dos que eram governantes, passam a ser travões reaccionários ao desenvolvimento.
Vem um novo Governo e há que mudar o mais possível tudo o que poder ser feito, para mostrar serviço e que sabemos mais da poda do que os seres obtusos que nos antecederam. E o que se passa a nível dum Governo de uma nação, também acontece no Poder Autárquico ou nas chefias que se sucedem hierarquicamente.
Recordo aqui com algum humor, que quando saí do Conselho Directivo da Escola em que me encontrava na Lourinhã, os colegas que sucederam no desempenho do cargo, procuraram coisas menos bem feitas para eles darem o seu cunho pessoal, e como também não queriam perder muito tempo com isso, mandaram serrar uma porta a meio, para que quando alguém batesse, em vez de entrar pudesse ser identificado.
Anedotas à parte, o actual Governo decidiu acabar com a RTP tal como a conhecemos e contra a opinião de todos os entendidos na matéria, entregou o estudo do seu desmantelamento a um grupo de “idiotas” que parira um modelo novo que descontentou a toda a gente. E mesmo dentro do grupo, os poucos que percebiam alguma coisa da poda, decidiram demitir-se de funções para que os seus nomes não aparecessem ligados ao aborto que foi parido.
Entretanto reestrutura-se a todos os níveis sem se saber porque e como fazer. A Polícia Maritima anda de Herodes para Pilatos de mão em mão como as “pombinhas da Catrina”. Dizem-nos que vem aí uma nova reforma curricular que vai em definitivo tornar o nosso ensino mais eficiente. Isto dito por quem acha que prémios pecuniários só os dos seus colegas Oliveira Costa, Duarte Lima, Dias Loureiro e Isaltino Morais são meritórios. Os que os “putos” ganham por serem bons alunos fazem deles mercenários.
A da Justiça ganhou os Juízes porque entregou numa bandeja a cabeça do Bastonário. A da Agricultura, e, e. e, fala fala fala e não diz nada. E os peixes porque ninguém fala deles ficam contentes porque assim sobrevivem à hecatombe de mais uma mudança governamental.
E quanto dinheiro custam todas estas alterações sem nexo, que hão-de por sua vez ser alteradas quando um novo governo tomar posse? E como vamos nós sobreviver a este turbilhão de loucuras.
PS: Vejam a Quadratura do Círculo às 5ªs Feiras às 23:00 na SIC Notícias.

quinta-feira, novembro 17, 2011

NATAL 2011

Este Natal estamos de Tanga (ou este Natal é uma Tanga)
É oficial, este ano não há presépio:
A vaca está louca e não se segura nas patas;
Os Reis Magos não podem vir porque os camelos estão no governo;
A Nossa Senhora e o São José foram meter os papéis para o rendimento mínimo;
A ASAE fechou o estábulo por falta de condições e,
O Tribunal de Menores ordenou a entrega do Menino ao pai biológico...
... Sobrou o burro que passou a dormir ao relento.

quarta-feira, novembro 16, 2011

IMPEDIMENTOS E/OU INCOMPATIBILIDADES
O Congresso dos Advogados aprovou uma proposta visando a declaração de incompatibilidade e/ou impedimento do exercício da profissão de advogado com a função de Deputado. Peca por tardio e por incompleto este reconhecimento.
Por tardio porque há muito que era visível a teia de interesses que se cruzavam nos homens de Direito que abraçavam carreiras políticas ao mais alto nível. Ao Zé Povinho, Chico Esperto e desembaraçado é por demais evidente que se precisa de resolver qualquer contencioso na Justiça, ou desbloquear acções rápidas para desembrulhar pacotes burocráticos nos ministérios ou nas câmaras, nada melhor que o empenho do sr. Deputado que também é seu (?) advogado.
Por incompleto porque se refere exclusivamente às funções de Deputado na Assembleia da República, mas omite as executivas nas Câmaras Municipais ou as de Deputado Municipal. E mesmo no actual quadro legislativo, estas últimas não são tão inocentes quanto isso. Recordemos que é à Assembleia Municipal que cumpre aprovar os Planos Directores que libertam ou constrangem terrenos para urbanizações milionárias.
Em tempos reportámos esta matéria aqui neste Blog. Ficamos contentes porque mais pessoas pensam como nós. Advogados com clientes que não sabemos quem são a aprovarem empreendimentos nas reuniões das Câmaras Municipais, é assunto que não inspira muita confiança.
E por aqui me fico antes que eu seja considerado personna non grata.

terça-feira, novembro 15, 2011

ACREDITEM SE QUISEREM

Está a ser penoso escrever. Sobre o país em desastre? Sobre Peniche? E quando digo Peniche, estou a falar do Concelho. Quem puder estragar gasolina e percorrer as freguesias rurais, sente que já não está num local seu conhecido. Consolação, S. Bernardino, Casais do Baleal já não existem com identidade própria. A terra das Lavadeiras já não existe. Onde é que eu vou por os ramos de cravos em pagamento de promessas?
Somos um povo que partiu em busca do futuro e que nessa caminhada deixou a sua identidade. No campeonato da “toleima” vivemos entre o surf e a maior (?) onda do mundo. Vem aí o 1º Natal em que me recordo não haver alegria para celebrar. Para os que querem acreditar que Jesus nasceu, ainda pode haver alguma euforia. Para as milhares de crianças que acreditavam que o seu Pai era Natal, inicia-se aqui a descoberta da grande trapalhice. O pai está desempregado, a mãe está desempregada e Natal é para quem pode, não para quem quer.
Digam-me lá sobre o que vou escrever.

domingo, novembro 13, 2011

sábado, novembro 12, 2011

ÚLTIMA HORA
Porque somos amigos do empresário nacional detentor dos direitos de navegação para mais uma maritimo-turistica nos mares de Peniche e Berlengas, tivemos acesso às fotos do protótipo da embarcação que no próximo Verão, iremos ver a sulcar os mares de Peniche. Trata-se de um projecto a ser executado na Islândia segundo os mais seguros e modernos meios tecnológicos hoje disponíveis para a Indústria Naval. No mercado nórdico ao que nos afirmam já estão lotados os primeiros 6 meses de navegação.