quarta-feira, março 30, 2011

O NOBEL DA ARQUITECTURA (O que é que isso tem a ver com Peniche?)
O júri do Prémio Pritzker, considerado o Nobel da Arquitectura, premiou este ano o Arquitecto Eduardo Souto Moura pelo conjunto da sua obra. "Durante as últimas três décadas, Eduardo Souto Moura produziu um corpo de trabalho que é do nosso tempo mas que também tem ecos da arquitetura tradicional. Os seus edifícios apresentam uma capacidade única de conciliar características opostas, como o poder e a modéstia, a coragem e a subtileza". É uma das afirmações contidas no comunicado onde é referenciada a atribuição deste prémio. Para os menos atentos Souto Moura é o autor do Estádio Municipal de Braga, que já constitui um ex-libris daquela cidade.
Também é da sua autoria “A Casa das Histórias” dedicada a Paula Rego e o Monumento ao episódio da “Ponte das Barcas” sito na Ribeira do Porto e de que damos uma imagem colhida do JN.
É esta foto que me fez recordar alguma coisa. Fez-se um flash em mim. Recordei-me do grupo escultórico que se encontra no Campo da República em Peniche, que já começa a aparecer vandalizado.
Sem título, e sem qualquer indicação do autor ou autores, ali está à mercê das análises pouco abonatórias de uns quantos parolos, que de vez em quando decidem abrir a caixa onde se deveriam encontrar os neurónios para deixar escorrer a escória que lá albergam.Acredito que se algum trabalho de Souto Moura fosse feito em Peniche, mereceria exactamente os mesmos impropérios.


Não estamos disponíveis para abrirmos os olhos ao que de inovador vai surgindo. Bom ou mau são tentativas de criar novas fórmulas de interpretação da realidade para que teremos de estar despertos. Ou então tudo vai acontecer sem que alguma vez estejamos preparados.
No fim olhamos para nós e vamos dizer que não demos por nada. Estaremos no fim da cadeia do desenvolvimento do pensamento e da criatividade.

terça-feira, março 29, 2011

A GRANDE DISSOLUÇÃO

Espero com grande ansiedade o dia em que o Grande Timoneiro vai dissolver a Tribuna dos incompetentes e marcar eleições que escolherão outros tribunos mais capazes para as ciclópicas tarefas que os esperam.
É assim: - uma pequena parte da população escolhe a quem lá quer dar assento. Mas como o banquete só chega para uns quantos, a certa altura os que nem chegam às migalhas revoltam-se, “cagam” naquilo que os poucos portugueses que se incomodaram a escolher decidiram, e nas costas de quem podia escolher correm a pontapé com os escolhidos.
Confundidos? Não se preocupem. Não tem importância nenhuma. Vai sempre dar ao mesmo.
O Grande Timoneiro quando há ano e meio deu posse aos miseráveis, não sugeriu uma maioria alargada para governar. Agora que os indigentes foram para a rua já “sugere” (?) essa regra. Dir-me-ão que essa é a forma de condicionar as escolhas. Será. Mas é a Bem da Nação.
Até para estender a mão e nos comportarmos como indigentes temos restrições. Maldita Europa!
Eu cá quero ser pobrezinho e não perder a minha dignidade. E se a tiver que perder que seja em grande. Por isso sugiro passarmos a protectorado da Grande Nação Alemã. Ficamos como a sua reserva para o Surf e para o Sol. Poupamos em eleições e em Parlamentos pueris. Obrigam-nos a trabalhar? Paciência. Sempre será melhor que aturar os nossos políticos a fingirem que se preocupam connosco. O Português passa a dialecto? O Alemão passa a língua materna? Antes uma boa madrasta que uma estúpida e má mãe.
Não preciso de votar. Preciso é de ser respeitado mesmo que seja mendigo. E se for mendigo que estenda a mão à moedinha com que vou comprar a minha carcaça. Recuso-me a trabalhar para o peditório dos que se estão borrifando para mim.

segunda-feira, março 28, 2011

SEJA FEITA A VOSSA VONTADE

A aliança sadomasoquista entre a direita e a esquerda parlamentar portuguesa, acaba de comprometer toda e qualquer futura acção governativa para um melhor desempenho dos professores nas escolas, ao suspender toda e qualquer avaliação dos professores.
Estes e os seus anacrónicos sindicatos rejubilaram. Julgam os políticos de meia-tijela que ocupam espaços sentados na Assembleia da República que com isso ganham votos e eleições, fazendo com que o Partido do Poder perca uns e outras. Trata-se de uma vitória de Pirro se é que a cambada de deputados eleitos e que agora vão ser despedidos sabem o que isso é.
Os sindicatos e os professores estão como querem. Sem qualquer avaliação, dizendo à boca-cheia que a desejam. Serão avaliados administrativamente, e só pelo facto de terem estado empregados numa escola terão entre Bom e Muito Bom. E será assim que o nosso ensino irá percorrer os próximos tempos. Estes estúpidos deputados que agora fizeram isto, não sabem e nem sonham que a instalação de um sistema de avaliação com alguma coerência levará no mínimo 3 anos a montar e depois ficará sujeito às manifestações de rua e às greves consequentes até vir a ser aprovado em definitivo.
Queixam-se os professores (e os sindicatos) que este sistema de avaliação agora revogado não é formativo. Perguntemos aos profs se avaliam os alunos de forma formativa e aferida, os se a avaliação com que exercem a sua acção nas aulas não é de uma maneira geral, exclusivamente sumativa. E se isto tem nuances no ensino básico, não tenho qualquer dúvida que é o único sistema utilizado no Secundário. Isto é, não me faças a mim o que eu faço aos outros.
Acredito que o sistema agora revogado por quem teria o dever de cuidar da competência e da qualidade de ensino, tivesse defeitos. Que deveriam ser corrigidos. A obrigação era propor essas alterações e caso o Governo não as quisesse introduzir então fossem aprovadas como propostas de Lei. Enquanto isso não estivesse feito, manter-se-ia o sistema agora revogado e não se permitiria um vazio na Lei que só poderá conduzir ao laxismo e à incompetência.
Entrámos no regabofe completo. Por estas e por outras é que eu não encontro alternativas para o Governo do nosso País. E vou continuar a VOTAR EM BRANCO, que é a única forma que tenho de demonstrar desprezo pela classe política que nos governa.

sábado, março 26, 2011

EXISTEM SINAIS DE BELEZA POR AÍ, QUE ATENUAM OS EFEITOS DA CRISE

sexta-feira, março 25, 2011

RENDAS DE BILROS: - O FIM ANUNCIADO

Em boa hora a CMP está distribuindo pelas escolas básicas vídeos e puzzles sobre as Rendas de Bilros. As nossas crianças transportarão assim com elas a memória de um artesanato característico do nosso Concelho que dentro de alguns anos só será possível ver e compreender em Museus. Dentro de alguns anos, tão difícil como mumificar corpos à maneira egípcia, será executar rendas de bilros tal como hoje as conhecemos.
Sejamos claros. Ninguém hoje está disponível para estar uma semana ou mais sentada numa almofada a trabalhar na sua execução, para depois vender esse trabalho por 50€. Se nós advogamos um salário mínimo nacional de pelo menos 500€, quem é que consegue da forma como são hoje comercializadas as rendas de bilros e com a retracção ao consumo que existe, vender o seu trabalho em rendas de bilros pelo menos por 600€ por mês, de forma a pagar piques, linhas, alfinetes, bilros e cerzideiras e a tirar o ordenado mínimo para si?
Quem são as jovens de hoje que estão disponíveis para estar 8 horas diárias fechadas numa sala a dar ao dedo, limitando assim a sua capacidade de poder ver para além de 4 paredes, alfinetes e bilros?
Faz bem a CMP e o seu Vereador da Cultura em concursos junto das crianças. Faz bem em organizar as mostras de rendas com outros países em que esta forma de artesanato ainda existe. Deveriam aliás ser recolhidos em Vídeo estes momentos. Para memória futura.
Desaparecendo as pessoas com mais de 50 anos assim desaparecerão as picadeiras, as cerzideiras e as rendilheiras.
Ficarão umas quantas que pagas a peso de ouro realizarão algumas aplicações mais simples para utilizar em vestidos de noiva mais sofisticados ou em adereços de alta-costura. Mas então já não sobrarão encomendas. Só artífices mais conceituadas realizarão essas obras de arte.
Dos cursos de Formação de Rendas de Bilros realizados consumindo o dinheiro de todos nós, quantas rendilheiras ficaram? Onde trabalham e para quem? Para si próprias? Para firmas dedicadas a esse comércio?
Bem empregue é o dinheiro que a CMP consome nas suas iniciativas e na manutenção da sua Escola de Rendas de Bilros. O Jardim Público é um óptimo local de exposição do pouco que resta. Pena o Museu de Rendas de Bilros não ocupar um local central da nossa cidade. Onde a par da Escola os visitantes pudessem consultar o espólio magnifico de que Peniche é portador e guardião.
Mal empregue é o dinheiro consumido na manutenção da ficção que constitui a “Peniche Rendibilros”. Balões de soro não lhe dão nem convicção, nem labor nem criatividade suficientes para justificar a existência de um mecenas, como se vivêssemos em tempo de vacas gordas. O dinheiro assim poupado poderá reverter a favor das iniciativas que a Câmara vai desenvolvendo para manter estas memórias.
Já que têm os seus dias contados que ao menos as Rendas de Bilros acabem com dignidade.

quinta-feira, março 24, 2011

E AGORA FERREL?

Caído o Governo que sustentava os pequenos-grandes vícios de uns quantos que não foram escolhidos por ninguém e que se limitam a recolher as sobras dos maiorais, a Assembleia da República será dissolvida.
Com essa dissolução caiem uns quantos projectos de Lei, nomeadamente aqueles que pretendiam satisfazer pequeninas vaidades e medalhas para futuros projectos. Entre outros cai a elevação a Vila de Ferrel.
Quero reafirmar aqui o meu respeito e amizade pessoal para com Ferrel e os seus naturais. Tenho lá grandes amigos e pessoas que ajudaram a cuidar de mim mal eu nasci. Sou um amigo de Ferrel. Isso não me impede no entanto de julgar que a sua elevação a Vila é tão pueril como a elevação da Serra de El-Rei a Vila e a elevação de Peniche a Cidade. Estas iniciativas têm como único objectivo poder ser utilizados na lapela como medalhas pelos seus promotores.
A elevação de Peniche a Cidade é da responsabilidade do PPD/PSD.
A elevação da Serra a Vila foi uma iniciativa do PCP/CDU.
Faltava uma medalha destas ao PS aqui no concelho. Vinha agora com a elevação de Ferrel a Vila.
Peniche com esta iniciativa ficava a ser o Concelho português com maior número de cidades e vilas por quilómetro quadrado. E é de esperar que o CDS e o BE se mantenham na prateleira aqui no concelho. Senão teremos dentro em breve as Vilas da Bufarda e de Geraldes.
O Fernando Pessoa definiu estas coisas magistralmente num pequeno ensaio designado por “O Provincianismo Português” que em Peniche se manifesta em plenitude e de que eu reproduzo aqui o parágrafo inicial, podendo em todo o caso para os interessados ser lido na totalidade consultando o Google.

"Se, por um daqueles artifícios cómodos, pelos quais simplificamos a realidade com o fito de a compreender, quisermos resumir num síndroma o mal superior português, diremos que esse mal consiste no provincianismo."

A crise que atravessamos de valores, económica, política e de pensamento, vai ter as suas implicações nos resultados eleitorais que se irão verificar em Junho. Isto vai por certo ter as suas implicações na coroação de Ferrel como Vila. Vai ter de esperar mais uns tempos pelo menos. E também depende da vontade política que então se manifestar. Interessante para Ferrel seria o PS voltar a ganhar as eleições. Mais interessante mesmo só se o PS voltasse a ganhar com maioria absoluta. Obrigar esta gentalha a engolir o Sócrates de novo em todo o seu esplendor, levar-me-ia a rir até às lágrimas. Mas eu tenho as minhas dúvidas que estes cenários hilariantes se manifestem.
A Ferrel e às suas gentes direi que tenham orgulho na sua terra. Vocês, a vossa cultura e património humano que tendes, valem mais que a elevação a qualquer coisa. Vale mais ser um grande lugar, que uma pequena vila. Para tomardes decisões que vos trouxeram para a história contemporânea de Portugal, vocês nunca precisaram de títulos. Bastou-vos a vossa coragem e determinação. Ferrel é das terras onde podemos ver com olhos de ver uma terra que sabe o que quer. De gente trabalhadora e fiável. Nunca Ferrel esperou por nenhum político para fazer a defesa da sua honra. Sejam dignos do vosso passado e do vosso presente e mandem às ortigas a cretinice de vos quererem fazer Vila. Já tendes os melhores legumes da Europa e das melhores ondas do Mundo. Quem quiser que se ajoelhe. Um Ferreleijo não se verga.

quarta-feira, março 23, 2011

E EM PENICHE, SENHOR?

Aqui estamos numa paz podre onde só chegam os reflexos do que acontece fora deste espaço amuralhado. Estar aqui hoje tem exactamente o mesmo cheiro e sabor que tinha há 20 anos atrás. Não se sente a política fora de um qualquer contexto eleitoral.
Sabe-se que existem dificuldades económicas pela enorme quantidade de espaços comerciais por alugar. Para além disso, as discotecas continuam a funcionar às 6ªs, sábados e vésperas de feriado, os jovens começam a deslocar-se para as praias para aproveitar o sol que tardou em aparecer.
É certo que existem uns quantos prédios novos. Mas salvo raras e honrosas excepções nada que mereça um olhar mais atento.
Vão desaparecendo pessoas que ajudaram a dar identidade a Peniche. A cegueira, a inveja e este sentimento ilhéu de cusquice e maledicência, ocultam aos nossos olhos o que mereceria ser relevado e perseguido como exemplo. Enfim, continuamos iguais a nós próprios. Não há PEC que nos valha.

terça-feira, março 22, 2011

A FORMA E O CONTEÚDO

Na idade média tudo era vénias e “protocóis”. Aprendemos entretanto que boa educação sim, mas vénias e beija-mãos não são indispensáveis. É adequado e importante lutar para se atingirem objectivos conhecidos que são os conteúdos e reconhecidos como fundamentais.
Vem esta conversa da treta a propósito da queda iminente do Governo, a pretexto de que não terá sido institucionalmente correcto na forma como aquela coisa do PEC foi apresentado, embora se reconheça a necessidade de aplicar medidas rigorosas a fim de estancar o desvario económico em que mergulhámos.
Os conceitos em que assentam os pressupostos ideológicos do PCP e do BE não permitiriam nunca outra atitude a estes partidos que não fosse votar contra o que o Governo pretende. Nem aliás estes Partidos se preocupam com a forma como esta “merda” aparece. O que os preocupa é o ataque sistemático aos mais desfavorecidos, deixando de fora os grupos económicos.
O CDS tem de fazer o que faz para o “Paulinho” poder continuar a frequentar as feiras. Embora quando isto tudo terminar, (eleições incluídas) se vá por de cócoras para pertencer a um Governo de coligação onde irá aprovar o que agora recusa.
O PSD é uma carga de trabalhos. Vai provocar a descida aos infernos e vai descer connosco até junto do demo. Estando de acordo com o PS e não permitindo que seja ele a fazer o trabalho sujo, vai dar um novo fôlego aos ditos socialistas que nos (des)governam. O PSD vai tentar entrar por um caminho de calvário de que se tem conseguido livrar até agora.
O PS vai perder as eleições por culpa própria mas vai ganhar um período de acalmia para se refazer das socráticas idiotices, que lhe vai ser fundamental para ser de novo governo daqui a 3/4 anos e sem odioso de ter governado contra os portugueses. O Passos Coelho entrará para a História do PSD lutando lado a lado com Santana Lopes para se saber quem foi o mais “ingénuo” dos dois.
PS e PSD são fruta da mesma cepa, utilizam os mesmos fertilizantes e os mesmos insecticidas e não têm remédio. Ganhe quem ganhar será estúpido quem não perder.
PS: O mais importante para mim é que o PS perca e que consiga fazer uma depuração. O PS não ir para o Governo, repensar-se e repensar no que fez do capital de esperança que a certa altura os portugueses nele depositaram, já será bom. Mas isso só acontecerá se se conseguir libertar dos cinzentões a que se amarrou em função das suas conveniências políticas.

domingo, março 20, 2011

GENTE CONVENCIDA RECEBE A SUA LIÇÃO!

ASNOS
No Curso de Medicina, o professor se dirige ao aluno e pergunta:
- Quantos rins nós temos?
- Quatro! Responde o aluno.
- Quatro? Replica o professor, arrogante, daqueles que sentem prazer em tripudiar sobre os erros dos alunos.
- Tragam um feixe de capim, pois temos um asno na sala. Ordena o professor a seu auxiliar.
- E para mim um cafezinho! Replicou o aluno ao auxiliar do mestre.
O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), o 'Barão de Itararé'. Ao sair da sala, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso mestre:
- O senhor me perguntou quantos rins 'NÓS TEMOS'. 'NÓS' temos quatro: dois meus e dois seus. 'NÓS' é uma expressão usada para o plural. Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim.

A ROUPA FAZ A DIFERENÇA?
Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida, pergunta:
- Vocês sabem onde está o médico do hospital?
Com tranquilidade o médico respondeu:
- Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?
Ríspida, retorquiu:
- Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?
Mantendo-se calmo, contestou:
- Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la?!?!
- Como?!?! O senhor?!?! Com essa roupa?!?!...
- Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta....
- Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que... Vestido assim, o senhor nem parece um médico...
- Veja bem as coisas como são...- disse o médico -... as vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpaticíssimo "boa tarde!"; como se vê, as roupas nem sempre dizem muito...

BOA RESPOSTA
Um mecânico está desmontando a cabeça de uma moto, quando ele vê na  oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele está olhando o mecânico trabalhar. Então o mecânico pára e pergunta:
- 'Ei, doutor, posso fazer-lhe uma pergunta?'
O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até a moto na qual o mecânico está trabalhando. O mecânico se levanta e começa:
- “Doutor, olhe este motor. Eu abro seu coração, tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente, e, quando eu termino, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então, que eu ganho
tão pouco e o senhor ganha tanto, quando nosso trabalho é praticamente o mesmo?”
Então o cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala bem baixinho para o mecânico:
- 'Você já tentou fazer como eu faço, com o motor funcionando?

sábado, março 19, 2011

TUBARÕES ESPERTOS!!!
Com a crise económica instalada e prestes o cenário de novas eleições, o Primeiro-Ministro convocou para uma cimeira nos Açores os líderes dos partidos da oposição visando uma última tentativa para criar estabilidade. O que é certo é que o avião em que seguiam teve um acidente grave caíu ao mar a meio do Atlântico numa zona frequentada por tubarões perigosissimos. Agarraram-se os 5 a um destroço e aguardaram que os viessem salvar.

Enquanto isto dois enormes tubarões brancos observavam os sobreviventes do naufrágio.
- Siga-me, filho. - disse o tubarão pai para o tubarão filho.
E nadaram até aos náufragos.
- Primeiro vamos nadar em volta deles com apenas a ponta das nossas barbatanas aparecendo fora da água.
E assim eles fizeram.
- Muito bem, meu filho! Agora vamos nadar ao redor deles, algumas vezes, com nossas barbatanas todas de fora.
E assim eles fizeram.
- Agora nós podemos comê-los a todos eles.
E assim eles fizeram.
Quando finalmente se saciaram, o filho perguntou:
- Pai, por que nós não os comemos logo de início? Por que ficámos nadando ao redor deles várias vezes?
O sábio e experiente pai tubarão respondeu:
- Porque ficam muito mais saborosos sem merda lá dentro...

sexta-feira, março 18, 2011

O REGABOFE CONTINUA
Crise não crise. Impostos sim impostos não. Ou ficas sem parte da tua pensão ou o país vai à falência. Podes ficar com a pensão toda desde que me entregues o subsídio de férias. O outro quer eleições eu não quero. Eu sou verdadeiro e honrado o outro é que não. Há burros entre nós que dizem o que não devem dizer. O estrangeiro olha para nós de soslaio. O estrangeiro admira a nossa capacidade de recuperarmos. A senhora Merkel isto, o senhor Sarkosy aquilo. A radioactividade não nunca mais cá chega. A Casa Pia não tem fim. A Face Oculta está descoberta, O Juiz não aceita o que lhe mandam fazer. Os senhorios rejubilam. As empresas de transportes conseguem aquilo a que mais ninguém tem direito. Os medicamentos não descem. O peixe está mais caro. Vai faltando dinheiro onde sobra mês. Vamos todos piorar em qualidade de vida mas vamos melhorar em capacidade de sobrevivência. Os professores fogem das escolas, os médicos dos hospitais, os padres das Igrejas, as mulheres do aconchego dos lares, os casais fogem de ser pais, os que se juntam de casar, os que se separam dos tribunais, os devedores da banca, os empregos fogem das pessoas. Socratices para cá, Passisses para lá, Jeromices para dentro, Portices para baixo, Louçanices para cima.
VIVA O FUTEBOL E O TALENTO DOS PORTUGUESES.

quinta-feira, março 17, 2011

O JAPÃO E PENICHE

Não conheço ninguém que não se sinta perturbado com o que aconteceu no Japão nos últimos oito dias. Um terramoto com uma amplitude invulgar, seguido de um tsunami com uma impressionante capacidade de destruição e a isso tudo soma-se uma crise nuclear com as suas centrais à beira da ruptura, tornaram o Japão com a 2ª ou 3ª maior economia mundial, um país à beira do colapso.
O que a 2ª Guerra Mundial não conseguiu está prestes a conseguir um fenómeno natural. Quando vejo o drama que se abate sobre aquela poderosíssima nação, sinto a fragilidade da condição humana e a futilidade da grande maioria das questões em que nos envolvemos. Mas não é aqui que me surgiu a ideia de comparação daquele país asiático com este singular concelho em que vivemos e mais propriamente com esta cidade perdida num rincão de terra junto ao atlântico.
O que me fez juntar o Japão e a Cidade de Peniche, foi esta também estar situada na zona da falha que deu origem ao terramoto de 1755. Liguei este facto a uma notícia que há poucos dias surgiu na imprensa local sobre um trabalho de doutoramento de alguém na área do urbanismo que pensou a requalificação da zona do Visconde. Trabalho esse que mereceu os maiores elogios e uma classificação excelente.
O que me perturba é que requalificação salva aquela gente perante um mero incêndio. Fazem-se tantos ensaios e tantos exercícios perante uma situação dessas e o Visconde seria um laboratório excelente para exercitar os mais experientes e melhores dos nossos bombeiros nacionais.
Quando o Japão que tinha tudo (?) previsto em caso de sismos foi impotente desta vez, o que acontecerá aquele Bairro perante uma situação de desabamento? È algo que não se deve sequer imaginar mas que os responsáveis têm a obrigação de pensar. Quantos de nós já foram ao Visconde num dia de mau tempo e sentiram o mar a rugir debaixo daquelas massas rochosas e a bater como se se tratasse de roncos de terras a abater?
Eu adoro trabalhos de requalificação que consideram prioritária a salvaguarda da vida humana. E ali tudo está em causa.

terça-feira, março 15, 2011

UMA HISTÓRIA SUBLIME
Alvéloas e Andorinhas
No passado domingo quando fui passear o meu cão ao regressar a casa fui surpreendido com os trinados de uma andorinha. Foi a primeira que ouvi este ano. Apesar de um Inverno alargado as avezinhas têm um relógio biológico que não se compadece com a nossa má impressão sobre o tempo. Maravilha-me este eterno retornar aos ninhos em que nasceram para também elas nidificarem.
Ontem, encontrei o Sr. João Garcia e contei-lhe da minha primeira andorinha deste ano. Ele que também mantém (tal como as andorinhas) o seu labor rotineiro entre a casa e a fazenda, contou-me das espécies que anualmente vê chegarem e partirem num método que ano após ano se vai repetindo. Falou-me de espécies que já viu desaparecerem por culpa dos fertilizantes e da construção civil. Falou-me dos grilos que estão a desaparecer e disse-me que para ele que se agarra à terra por amor e prazer começa a ser difícil conviver com uma Natureza que já deixou de ser a que ele conheceu.
E foi então que me contou uma história que o avô lhe contou e que nunca mais esqueceu. E disse-me que as suas aprendizagens sobre as coisas do campo eram assim feitas. Por tradição oral que passava de pais para filhos e de avôs para netos. Assim aprendiam os ciclos da Natureza e a forma como os seres vivos, plantas e animais lidavam com isso. A história é para se perceber que andorinhas e alvéloas têm ciclos diferentes de presença no nosso país. A chegada de umas corresponde à saída de outras. E embora as alvéloas estejam a desaparecer quase por completo aqui no nosso concelho, o Sr. João nunca mais esqueceu esta belíssima história que eu aqui reproduzo pela graça e picaresco que contém. O que não há dúvida é que a história contém uma lição de história natural que lhe ficou para a vida. Nascimento, vida, reprodução e morte das aves nas suas deambulações em busca do calor pelos diferentes continentes.

Cruzaram-se nos ares de Portugal Continental. As andorinhas chegando e as alvéloas partindo.

As andorinhas regressam aos locais de nidificação. As alvéloas partem em bandos depois de já terem nidificado e terem ensinado as crias a voarem.
Dizem as as alvéloas para as andorinhas:
- De onde vêem suas loucas. Que eram tantas e agora são tão poucas?
Ao que as andorinhas respondem:
- Para onde vão suas putas? Que eram tão poucas e agora são muitas?

segunda-feira, março 14, 2011

BASTA!

Quem é que não percebe os sinais? Julgo que se existiu legitimidade para o actual governo ela se perdeu há muito. Perdeu-se assim que tudo o o que foi programa do Governo sufragado nas urnas foi posto de parte e este país passou a ser governado como uma coutada.
Quando Portugal foi candidato a aderir à UE, Soares anunciou “à priori” que teríamos que entrar em caminhos de dificuldades para podermos conquistar esse direito. De facto chamou o FMI e todos nós sabíamos que estávamos a ser chamados a sacrifícios que tinham um fim em vista.

E agora? São sacrifícios para que não fomos convidados e que não sabemos para que servem. Dizem-no que é para baixar o deficit para os 3%. E que quer isso dizer? Que quando atingirmos esse valor teremos uma economia mais próspera? Que os reformados deixam de ser espoliados do valor acrescentado em que consumiram as suas vidas enquanto trabalhadores?
Que os nossos filhos terão a garantia de concorrer a empregos e que poderão tê-los se forem os melhores a prestar provas?
Que o direito à saúde que conquistámos com os nossos descontos será respeitado? Que as crianças e jovens frequentarão escolas onde os professores serão autênticos Mestres, porque terão condições de progressão nas carreiras em função da avaliação a que serão submetidos de forma e separar o trigo do joio?
Estamos agora a perder toda a pouca dignidade de vida que tínhamos, para que num futuro próximo (2/3 anos) a Justiça mereça o nosso respeito? Onde os juízes não se escondam atrás de Sindicatos para se tornarem inoperantes e grosseiros instrumentos de ambições políticas?
Estamos a contribuir para um país em que a aplicação da lei sobre corruptores e corrompidos seja aplicada em tempo útil, tornando gratificante a honra de ter nascido em Portugal?


Não acredito que este Governo esteja a contribuir com dignidade e honra para atingir os objectivos pelos quais todos ansiamos. Então que mostre uma réstia de dignidade e se demita.
E que os Partidos políticos concorrentes ao próximo acto eleitoral digam claramente o que nos vai acontecer nos próximos tempos e para quê. Não nos escondam nada. Não se escondam atrás do “eu não sabia que isto estava assim…” Porque se não sabem como está, calem-se de uma vez por todas.
Sejam dignos e ajudem-nos a tornar-nos em cidadãos dignos. De uma vez por todas.


PS – Não faço referências à manifestação de sábado da “Geração à Rasca” (?)
Por respeito a todos os que nela participaram sem outro sentido que não fosse a sua generosidade e a sua paixão, por aquilo em que sinceramente acreditam e contra o que repudiam.
Não me quero confundir com dirigentes e agentes partidários e sindicais que continuam empenhadamente a lutar para serem os futuros vampiros que hão-de sugar o sangue fresco da manada que nos próximos tempos se puserem a jeito.

domingo, março 13, 2011

LEIS DA ATRAÇÃO (COISAS QUE SE ATRAEM SEM ESFORÇO NENHUM):

Olhos e bunda
Pobre e funk
Mulher e vitrines
Homem e cerveja
Chifre e dupla sertaneja
Carro de bêbado e poste
Tampa de caneta e orelha
Moeda e carteira de pobre
Tornozelo e pedal de bicicleta
Leite fervendo e fogão limpinho
Político e dinheiro público
Dedinho do pé e ponta de móveis
Camisa branca e molho de tomate
Tampa de creme dental e ralo de pia
Café preto e toalha branca na mesa
Segundas-feiras e sono
Terças-feiras e sono
Quartas-feiras e sono
Quintas-feiras e sono
Sextas-feiras e cervejaaaaaaaaaaaaaaaaa
Chuva e carro trancado com a chave dentro
Dor de barriga e final de rolo de papel higiénico
Bebedeira e mulher feia
1- LEIS BÁSICAS DA CIÊNCIA MODERNA:
• Se mexer, pertence à Biologia.
• Se feder, pertence à Química.
• Se não funciona, pertence à Física.
• Se ninguém entende, é Matemática.
• Se não faz sentido, é Economia ou Psicologia.
• Se mexer, feder, não funcionar, ninguém entender e não fizer sentido, é INFORMÁTICA.
2- LEI DA PROCURA INDIRETA:
• O modo mais rápido de encontrar uma coisa é procurar outra.
• Você sempre encontra aquilo que não está procurando.
3- LEI DOS TELEFONEMAS:
• Quando te ligam: se você tem caneta, não tem papel. Se tiver papel, não tem caneta. Se tiver ambos, ninguém liga.
• Quando você liga para números errados de telefone, eles nunca estão ocupados.
• Parágrafo único: Todo corpo mergulhado numa banheira ou debaixo do chuveiro faz tocar o telefone.
4- LEI DAS UNIDADES DE MEDIDA:
• Se estiver escrito 'Tamanho Único', é porque não serve em ninguém, muito menos em você...
5- LEI DA GRAVIDADE:
• Se você consegue manter a cabeça enquanto à sua volta todos estão perdendo, provavelmente você não está entendendo a gravidade da situação.
6- LEI DOS CURSOS, PROVAS E AFINS:
• 80% da prova final será baseada na única aula a que você não compareceu e os outros 20% será baseada no único livro que você não leu.
7- LEI DA QUEDA LIVRE:
• Qualquer esforço para agarrar um objeto em queda provoca mais destruição do que se o deixássemos cair naturalmente.
• A probabilidade de o pão cair com o lado da manteiga virado para baixo é proporcional ao valor do carpete.
8- LEI DAS FILAS E DOS ENGARRAFAMENTOS:
• A fila do lado sempre anda mais rápido.
• Parágrafo único: Não adianta mudar de fila. A outra é sempre mais
rápida.
9- LEI DA RELATIVIDADE DOCUMENTADA:
• Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do manual.
10- LEI DA COLAGEM:
• Existem dois tipos de cola: a que não cola e a que não sai
11- LEI DA VIDA:
• Uma pessoa saudável é aquela que não foi suficientemente examinada.
• Tudo que é bom na vida é ilegal, imoral, engorda ou engravida.
12- LEI DA ATRAÇÃO DE PARTÍCULAS:
• Toda partícula que voa sempre encontra um olho aberto

sábado, março 12, 2011

OS QUE LUTAM
Bertolt Brecht

"Há aqueles que lutam um dia; e por isso são bons;
Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;
Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis."

sexta-feira, março 11, 2011

O DESEMPREGO
BERTOLT BRECHT

Esse Desemprego
Meus senhores, é mesmo um problema
Esse desemprego!
Com satisfação acolhemos
Toda oportunidade
De discutir a questão.
Quando queiram os senhores! A todo momento!
Pois o desemprego é para o povo
Um enfraquecimento.
Para nós é inexplicável
Tanto desemprego.
Algo realmente lamentável
Que só traz desassossego.
Mas não se deve na verdade
Dizer que é inexplicável
Pois pode ser fatal
Dificilmente nos pode trazer
A confiança das massas
Para nós imprescindível.
É preciso que nos deixem valer
Pois seria mais que temível
Permitir ao caos vencer
Num tempo tão pouco esclarecido!
Algo assim não se pode conceber
Com esse desemprego!
Ou qual a sua opinião?
Só nos pode convir
Esta opinião: o problema
Assim como veio, deve sumir.
Mas a questão é: nosso desemprego
Não será solucionado
Enquanto os senhores não
Ficarem desempregados!

quinta-feira, março 10, 2011

SE OS TUBARÕES FOSSEM HOMENS

Bertold Brecht


Se os tubarões fossem homens, eles seriam mais gentis com os peixes pequenos. Se os tubarões fossem homens, eles fariam construir resistentes caixas do mar, para os peixes pequenos com todos os tipos de alimentos dentro, tanto vegetais, quanto animais. Eles cuidariam para que as caixas tivessem água sempre renovada e adoptariam todas as providências sanitárias cabíveis se por exemplo um peixinho ferisse a barbatana, imediatamente ele faria uma atadura a fim de que não morressem antes do tempo. Para que os peixinhos não ficassem tristonhos, eles dariam cá e lá uma festa aquática, pois os peixes alegres tem gosto melhor que os tristonhos.
Naturalmente também haveria escolas nas grandes caixas, nessas aulas os peixinhos aprenderiam como nadar para a guelra dos tubarões. Eles aprenderiam, por exemplo a usar a geografia, a fim de encontrar os grandes tubarões, deitados preguiçosamente por aí. Aula principal seria naturalmente a formação moral dos peixinhos. Eles seriam ensinados de que o ato mais grandioso e mais belo é o sacrifício alegre de um peixinho, e que todos eles deveriam acreditar nos tubarões, sobretudo quando esses dizem que velam pelo belo futuro dos peixinhos. Se incutiria nos peixinhos que esse futuro só estaria garantido se aprendessem a obediência. Antes de tudo os peixinhos deveriam guardar-se antes de qualquer inclinação baixa, materialista, egoísta e marxista. E denunciaria imediatamente os tubarões se qualquer deles manifestasse essas inclinações.
Se os tubarões fossem homens, eles naturalmente fariam guerra entre si a fim de conquistar caixas de peixes e peixinhos estrangeiros. As guerras seriam conduzidas pelos seus próprios peixinhos. Eles ensinariam os peixinhos que, entre os peixinhos e outros tubarões existem gigantescas diferenças. Eles anunciariam que os peixinhos são reconhecidamente mudos e calam nas mais diferentes línguas, sendo assim impossível que entendam um ao outro. Cada peixinho que na guerra matasse alguns peixinhos inimigos da outra língua silenciosos, seria condecorado com uma pequena ordem das algas e receberia o título de herói.
Se os tubarões fossem homens, haveria entre eles naturalmente também uma arte, haveria belos quadros, nos quais os dentes dos tubarões seriam pintados em vistosas cores e suas guelas seriam representadas como inocentes parques de recreio, nas quais se poderia brincar magnificamente. Os teatros do fundo do mar mostrariam como os valorosos peixinhos nadam entusiasmados para as guelras dos tubarões.A música seria tão bela, tão bela, que os peixinhos sob seus acordes e a orquestra na frente, entrariam em massa para as guelas dos tubarões sonhadores e possuídos pelos mais agradáveis pensamentos. Também haveria uma religião ali.
Se os tubarões fossem homens, eles ensinariam essa religião. E só na barriga dos tubarões é que começaria verdadeiramente a vida. Ademais, se os tubarões fossem homens, também acabaria a igualdade que hoje existe entre os peixinhos, alguns deles obteriam cargos e seriam postos acima dos outros. Os que fossem um pouquinho maiores poderiam inclusive comer os menores, isso só seria agradável aos tubarões, pois eles mesmos obteriam assim mais constantemente maiores bocados para devorar. E os peixinhos maiores que deteriam os cargos valeriam pela ordem entre os peixinhos para que estes chegassem a ser, professores, oficiais, engenheiros da construção de caixas e assim por diante. Curto e grosso, só então haveria civilização no mar, se os tubarões fossem homens.

quarta-feira, março 09, 2011

PARA TUDO SE ACABAR NA 4ª FEIRA

Ouvi hoje um discurso que não foi do rei. Fez-me recordar aquela canção do Vinicius:
“A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira
Tristeza não tem fim
Felicidade sim”
Quando certas pessoas discursam, a gente chega a pensar que somos nós os malandros. Que eles nunca tiveram responsabilidades em nadica de nada. Os pilantras somos nós.
Até dia 12 vou publicar uma série de textos do Brecht. À minha maneira é o meu contributo para uma afirmação de uma vontade colectiva que desejo com honra, dignidade e de afirmação plena. Aqui vai o 1º texto:

O Analfabeto Político
BERTOLT BRECHT
"O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguer, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo."
Nada é impossível de Mudar - "Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem
sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar."
Privatizado - "Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem
privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence."

segunda-feira, março 07, 2011

CARNAVAL 2011

Talvez o melhor Carnaval de Sempre
Confesso o meu receio de ir ver em ano de contenção, demonstrações claras de desperdícios. Afinal o que vi é perfeitamente enquadrável nos limites da decência de custos. Menos grupos é certo. Menos faustosos também é verdade. Mas de uma dignidade incomum.
E o que foi perdido em lantejoulas e plumas, foi ganho em coreografias e em enquadramentos musicais.
Fiquei maravilhado com as letras das marchas e com as componentes musicais que as suportaram. Um pouco de magia, uma pitada de humor e sátira social qb. De tal forma gostei que não resisto a lançar daqui um desafio à CMP.
Já agora porque é que não se pede a cada grupo a sua marcha e não se edita um CD com as marchas do Carnaval de 2011. O que se apurasse da venda de CDs reverteria a favor do próximo Carnaval.
Eu penso que os políticos por hábito são imunes a este tipo de apelos. Os únicos que ouvem são os que escutam vindos de si próprios. Mas neste caso penso não ser desajustada a proposta. E segundo conversei com algumas pessoas faz parte do que muita gente gostaria de ver acontecer. E parece-me que rende votos. Daí o meu apelo.

domingo, março 06, 2011

Loira em Luanda

Uma loira chegou ao hotel em Luanda, e como estava muito calor, abriu a janela. Só que começaram a entrar vários mosquitos. Então, ela ligou para a recepção e reclamou:
- Boa noite, estou com muito calor e com a janela aberta vários mosquitos entraram no meu quarto e estão-me a incomodar.
- Se a Senhora desligar as luzes do seu quarto, eles irão embora - disse-lhe o recepcionista.
Ela fez o que ele disse e realmente eles foram embora.
Depois de um tempo, começaram a entrar vários pirilampos, e então ela tornou a ligar para a recepção a reclamar. E o recepcionista perguntou:
- Mas o que foi agora?
Ela responde:
- Não resolveu nada... Os mosquitos voltaram com lanternas!!!

sábado, março 05, 2011

PERIGOS VÁRIOS
Nestes dias de carnaval, tudo pode acontecer. ESta compilação de incidentes, prova isso mesmo. Fica aqui como prevenção...

quinta-feira, março 03, 2011

PRESO POR AMOR
A nossa televisão pública transmitiu um dia destes uma notícia interessante sobre a eventual prisão de um jovem por ter grafitado uma mensagem de amor para uma aluna nos muros/paredes da Escola Secundária de Peniche em 2008.
Julgo que a queixa terá sido apresentada pelo órgão de gestão da Escola Secundária de Peniche. O caso foi a julgamento e o jovem causador de tal “acto criminoso” condenado a pagar uma coima de 312 €.
Como não terá pago, a polícia foi a sua casa e intimou-o ao dito pagamento ou em alternativa a passar 1(?) mês na Cadeia de Caldas da Rainha.
Eu desafio os que me lerem a fazerem comigo um exercício de visionamento para além da árvore. Vamos ver o que uma declaração de amor terá eventualmente custado ao Estado Socialista que temos.
1. Constatar a presença dos escritos, exercer as acções necessárias para descobrir o prevaricador, deslocação à esquadra e apresentação da queixa respectiva……….. 300€
(estão aqui os tempos consumidos por contínuos, professores, entidades policiais, secretaria do tribunal)
2. Julgamento, despesas do Tribunal com ocupação dos juízes e outros funcionários do Tribunal, despesas de expediente…… 1000€
3. Deslocações da PSP à residência do arguido, intimações diversas…………………. 100€
4. 1 Semana de detenção, deslocações, despesas com alimentação e alojamento………. 400€
5. Notícias em Telejornais da televisão pública incluindo despesas de deslocações do carro de exteriores e de jornalistas de Lisboa a Peniche…. 10000€

Números redondos a mensagem de amor inscrita nas paredes da escola e que entretanto foi apagada por trabalho voluntário da família do criminoso réu, terá custado ao erário público cerca de 11800€

Sobre a estupidez que tudo isto representa não faço comentários. Não é espectável que os responsáveis por todo este esbanjamento se redimam sobre a forma como consomem os dinheiros públicos. Atrevo-me a dizer no entanto que a minha simpatia vai mais para o criminoso do que para quem apresentou queixa e quem lhe deu andamento. Só porque estes últimos não têm de todo a noção do ridículo em que caíram.

terça-feira, março 01, 2011

OS DIAS DE CARNAVAL
Irrompem as músicas e as cantigas de rir. São dias de cor e de alegria. Crianças e jovens, adolescentes e idosos fazem do faz-de-conta os seus dias de estar em paz com o mundo que a todos pisa e maltratata. Para depois chegar a quarta-feira e com ela tudo o que agora vamos esquecer. É uma época em que merece a pena estar e ser. Desejo um bom Carnaval Penicheiro a todos os que aqui se fixarem nesses dias.